Author Archives

Márcio Calixto

Márcio Calixto

Professor e escritor. Lançou em 2013 seu primeiro romance, A Árvore que Chora Milagres, pela editora Multifoco. Participou do grupo literário Bagatelas, responsável por uma revolução na internet na primeira década do século XXI, e das oficinas literárias de Antônio Torres na UERJ, com quem aprendeu a arte de “rabiscar papel”. Criou junto com amigos da faculdade o Trema Literatura e atualmente comanda o blog Pictorescos. Tem como prática cotidiana escrever uma página e ler dez. Pai de dois filhos, convicto morador do Rio de Janeiro, do bairro de Engenho de Dentro. Um típico suburbano. Mas em seu subúrbio encontrou o Rock e o Heavy Metal. Foi primeiro do desenho e agora é das palavras, com as quais gosta de pintar histórias.
A Kombi

A Kombi

Preciso dialogar sobre uma descoberta: uma Kombi Corujinha da década de 1960, estacionada, na garagem de meu vizinho. Vocês, queridos, têm noção do que é isso? A bendita tem a famosa placa amarela, que dá ainda mais o ar de…
Desertos e nós

Desertos e nós

Segui ao barco de meus amigos. Depois de uma simbiose temática puxada pela timoneira Ana Gosling – deste mesmo canal de literatura -, sigo-me a ele também, o deserto, como alegoria a que tanto nos atamos, por estarmos desertificados. É…
Café nosso.

Café nosso.

Como muitos sabem, venho lendo muitas autoras nacionais. Eu fico positivamente impressionado com a quantidade somada à qualidade de novas autoras que vêm surgindo cotidianamente. É importante salientar que há uma leva de novos autores, todos de excelente gabarito, que…
Rogéria se foi?

Rogéria se foi?

Sei que grandes ícones com o tempo se vão fisicamente. Jerry Lewis faleceu em Agosto último e conheço várias pessoas que estão rememorando sua obra. Enorme, icônica, fabulosa. No entanto, quando se vão, eles deixam uma lacuna, que alguns ingenuamente…
O singelo poder dos grupos

O singelo poder dos grupos

Primeiro, preciso agradecer publicamente ao meu editor Raphael Gomide. Ficar algumas semanas sem preencher o espaço de minha coluna, sem ser pressionado para que tal acontecesse, precisa gerar esse agradecimento. Quando lhe vim com um singelo pedido de desculpas, ele…