DIA NACIONAL DO LIVRO: Confira as dicas de livros que recebemos de vários autores sensacionais

 

Hoje,  dia 29 de outubro, comemoramos o Dia Nacional do Livro, data originada na inauguração da Real Biblioteca no Rio de Janeiro, em 1810, quando, com a vinda da família real, a Real Biblioteca Portuguesa foi transferida para o Brasil. Tornou-se a Biblioteca Nacional. Na época, um acervo de cerca de 60 mil peças, entre livros, manuscritos, mapas etc. Hoje, considerada, pela UNESCO, uma das 10 maiores bibliotecas do mundo.

Para nós do Canal Literatura, que celebramos os livros, os bons autores e suas boas histórias, a data não poderia passar em branco. Convidamos alguns escritores para dividir conosco esse amor e compartilhar uma boa dica de leitura com nossos leitores. Inclusive, muitos deles já foram entrevistados pela gente, estamos também acrescentando os links dessas entrevistas exclusivas!

BOA LEITURA !!

Anotem aí as sugestões destes talentos:

 

ANA MARIA MACHADO@anamariamachado236. Escritora, membro da Academia Brasileira de Letras. Autora, entre outros, de Vestígios, A audácia dessa mulher, Do outro lado tem segredos.
  •  Um defeito de cor, de Ana Maria Gonçalves –  “É um livro fascinante e  bem narrado, em que a ficção se constrói a partir de uma pesquisa histórica  rigorosa,  ancorando o enredo e os personagens na sociedade  e no século XIX em que viveram, entre a África e o Brasil”.
    (obs: clique AQUI para ver sua entrevista no ArteCult)

 

 ANTÔNIO TORRES@antoniotorres781. Escritor, membro da Academia Brasileira de Letras. Autor de Querida cidade, Essa terra e Um táxi para Viena D’Áustria.
  •  A Terra em pandemia, de Aleilton Fonseca – “Trata-se de um longo poema narrativo que se torna uma ode à angústia em que vivemos, para nos dizer que sempre restará a poesia como nossa salvação”.(obs: clique AQUI para ver sua entrevista no ArteCult)

 

 JOZIAS BENEDICTO@joziasbenedicto. Escritor e artista visual. Autor, entre outros, de Como não aprender a nadar, A ópera náufraga e Aqui até o céu escreve ficção.
  • Contos completos, de Caio Fernando Abreu – “É meu atual livro de cabeceira. Todos os contos que marcaram a juventude dos anos 1970-80-90 e hoje continuam a nos fazer pensar e chorar”.(obs: clique AQUI para ver sua entrevista no ArteCult)

 

 ANDREIA BORGES DA SILVA@andreiaborges777. Escritora. Autora de A lógica abstrata dos acasos.
  • Quarenta dias, de Maria Valéria Rezende – “É um livro muito reflexivo, onde podemos conhecer um pouco dos sentimentos mais íntimos do ser humano, além de nos aprofundarmos nas histórias de moradores de rua e da periferia. Pelo que pesquisei, a autora chegou a dormir na rua para escrever o livro. Achei a história maravilhosa! Recomendo!”
    (obs: Veja ainda hoje a sua entrevista aqui no ArteCult !)

 

 LUÍS PIMENTEL@fidedonanisia. Jornalista e escritor. Autor de Esconjuro: A corda e o cordel na revolta dos alfaiates, Aquela música e Alguém vai ter que pagar por isso.
  • Baixo esplendor, de Marçal Aquino – “Nesse novo romance, Marçal Aquino, um dos grandes ficcionistas brasileiros contemporâneos, ombreia com o Velho Graça, Vilela, Torres e Sanches Neto (olha a intimidade!) no meu panteão de mestres”.
    (obs: clique AQUI para ver sua entrevista no ArteCult)

 

CLAUDIA MANZOLILLO@claudiamanzolillo. Escritora e mestra em Literatura Brasileira. Autora de A dona das palavras.
  • A noite escura e mais eu, de Lygia Fagundes Telles – “Nesse livro de contos, a autora retoma a linhagem de personagens femininas do romance As meninas. Destaco o conto ¨Uma sombra branca pálida¨, em que a imagética lygiana alcança doses de lirismo e dramaticidade envolventes”.

 

 ALEXANDRE BRANDÃO – @alexandre_pbrandao. Escritor. Autor de No osso: crônicas selecionadas, Qual é, solidão? e O bichano experimental.
  • Fichas de vitrola & outros contos, de Jaime Prado Gouveia – “Lançado em 2007, reúne dezoito contos, alguns de livros anteriores e outros inéditos até então. Além de boas histórias, a diversidade narrativa, que vai do tradicional ao experimental, é o que mais chama a atenção”.
    (obs: clique AQUI para ver sua entrevista no ArteCult)

 

RUBERMÁRIA SPERANDIO@rubermariasperandio_. Escritora. Autora de Matrioskas.
  • Dois idiotas sentados cada qual no seu barril, de Ruth Rocha – “Toda vez que penso em literatura infantil, esse livro me vem à memória. Sobre egoísmo, um livro necessário, não só para crianças”.
    (obs: clique AQUI para ver sua entrevista no ArteCult)
WILLIAM SOARES DOS SANTOS – @williamsoaresdossantos. Escritor, tradutor e professor. Autor de Três sóis, Poemas da meia-noite (e do meio-dia) e Memórias de um triste futuro.
  • Pedagogia da autonomia, de Paulo Freire – “Um dos brasileiros mais lidos no mundo”.
    (obs: clique AQUI para ver sua entrevista no ArteCult)
CESAR CARDOSO@cesar.cardoso.7. Escritor. Autor de As primeiras pessoas, Urubus em círculos cada vez mais próximos e Coisa diacho tralha.
  • 50 contos, de Luiz Vilela – “É uma coletânea reunindo 50 dos melhores contos desse autor mineiro, que é um dos grandes contistas brasileiros e um dos melhores criadores de diálogo também”.
    (obs: clique AQUI para ver sua entrevista no ArteCult)
WINTER BASTOS@literatura_na_varanda_2016. Escritor. Autor de Prisões de estimação.
  • O beco do rato, de José Petrola – “Bons contos sociais enfocando vida em quitinetes, trabalho burocrático e outras insatisfações duma classe média baixa urbana cada vez mais asfixiada”.
LILIAN FONTES@lilianfontesmoreira. Escritora e doutora em Comunicação e Cultura. Autora de Escrita fina, Santo dia e De olhos bem abertos.
A angústia e outros presságios funestos, de César Manzolillo – “São 60 contos curtos intitulados com nomes próprios, numa narrativa densa e direta. Impossível sair ileso dessa leitura”.
REGINA MARIA CASTELO BRANCO@reginacbranco. Escritora e vencedora do concurso ¨Eu amo o Rio!¨, promovido pelo ArteCult (2021). Regina Maria também é Professora de História, aposentada, das redes pública e privada.
  • Vida e morte de M. J. Gonzaga de Sá, de Lima Barreto – “Visão crítica da sociedade brasileira no início da República, considerando a cidade do Rio de Janeiro”.
    (obs: clique AQUI para ver o conto vencedor de Regina Maria no concurso “Eu Amo o Rio!”)
ARTUR LAIZO@artur_laizo_escritor@ligadeescritoresjf. Médico, escritor e presidente da LEIA JF. Autor de  É difícil morrer,  A festa derradeira  A mansão do rio vermelho  (trilogia)
  • O escravo de capela, de Marcos DeBrito – “O autor consegue, em seu romance, contar a lenda do Saci Pererê e da Mula sem cabeça com maestria. O livro de terror é extremamente bem escrito, assim como todas as obras do autor. Eu recomendo!”

 

TANUSSI CARDOSO@tanussicardoso@cardosotanussi. Escritor. Autor de Eu e outras consequências, Exercício do olhar e Teias.

  • Grande sertão: veredas, de Guimarães Rosa – “Uma escrita poética e imagética perturbadora. Um livro avassalador, assombroso, magnificamente escrito”.
LEILA REGINA SANTA@leilarwsanta@bibliotecamachado. Professora e funcionária da biblioteca Machado de Assis (Botafogo, Rio de Janeiro) .
  • Memórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis“É um divisor de águas na obra do nosso querido Machado de Assis. Inovador na narrativa, crítico como sempre, elegante no estilo e com uma dose do humor peculiar do mestre”.
JONATAN MAGELLA@aleatoriosliterario. Escritor. Autor de Vidas irrisórias e Desculpe o transtorno.
  • O voo da madrugada, de Sérgio Sant’anna – “Não importa a obra, você sempre encontrará um contista pronto a não se repetir, sempre buscando formas novas para velhos conteúdos (eroticidade e arte, por exemplo). Você sempre encontrará um contista se arriscando em sua mistura de ficção, memórias e um qualquer coisa de experimental”.

 

LUIZ ANTONIO AGUIAR@luiz_antonio_aguiar, Blog do Luiz Antonio Aguiar, site www.luizantonioaguiar.com.br e canal no Youtube: E esse papo de Literatura?Escritor. Professor de Literatura (FGV/Direito-RJ e Cátedra Unesco de Leitura PUC-RJ), palestrante e consultor editorial. Escritor com mais de 150 títulos publicados, prêmios nacionais (incluindo 2 Jabuis em 1994 e 2013) e no exterior, entre eles O Caso Édipo.
  • Meu mestre de história sobrenatural, de Luiz Roberto Guedes – “Conheço Luiz Roberto Guedes faz tempos, e este livro é garantia de entretenimento com contos surpreendentes, bizarros, bem ao seu estilo”.(obs: clique AQUI para ver sua entrevista no ArteCult)
PEDRO GABRIEL – @eumechamoantonio. Poeta, escritor. Autor do best-seller Eu me chamo Antônio (2013), Segundo (2014) e Ilustre Poesia (2016).
  • O livro das ignorãças, de Manoel de Barros – “Manoel de Barros é meu poeta preferido. A forma como ele constrói o sensível na superfície simples de seus poemas me toca profundamente. Tenho a sensação de que a sua infância não consegue escapar das suas rugas e que é lá – nesse território fértil e muitas vezes abandonado quando ganhamos a idade adulta – que a sua imaginação faz a festa. Com a leitura de O livro das ignorãças espero que você alcance a simplicidade desse grande inventor de palavras. Palavras que, até então, pareciam não existir em nenhum dicionário, mas que vibram de sentido em nosso imaginário como se já existissem em nós desde sempre. Seus versos são imãs que aguçam a nossa vontade de abrir novamente a porta trancada da fantasia e sair para brincar nas ruas adormecidas da nossa criancice”.
JOÃO PAULO VAZ@jopvaz. Escritor, instrutor no Instituto Estação das Letras/RJ. Autor de “A mão do chefe” (contos, ed. Nova Prova, Porto Alegre, 2004 – Prêmio Mário Quintana), “Sexmaster 5 e outras histórias” (contos, ed. Cais Paharoux, Rio de Janeiro, 2008) e “Greg Sam” (romance, ed. 7 Letras, Rio de Janeiro, 2015)
O sol na cabeça – Geovani Martins – “Os contos de ‘O sol na cabeça’ traçam um retrato múltiplo e contundente do Rio, a partir de três óticas diferentes: da marginalidade, da crítica social e da memória. Geovani Martins está perfeitamente à vontade em todas as três e transita entre elas com igual desenvoltura, tanto no que diz respeito às tramas quanto à linguagem”.
SUZANA VARGAS@suzana.vargas e @institutoestacaodasletras. Poeta, autora de livros para crianças e jovens e ensaísta com 16 títulos publicados. Mestre em Teoria literária, especialista em leitura e diretora do IEL, Instituto Estação das Letras.  Autora, entre outros, de Caderno de Outono e outros Poemas ( 1998, Relume Dumará) , indicado ao Prêmio Jabuti, O Amor é vermelho ( 2005, Ed.Garamond), Leitura: uma aprendizagem de Prazer (ensaio, 8a ed. Altabooks ) e Doce de Casa (infantil, José Olímpio)
  • O filho de Mil homens, de Valter Hugo Mãe – “Livro com alta voltagem poética que narra a história de um homem à procura de uma família através de um filho que não é seu. Resumo paradoxal para uma história apaixonante que nos faz rever nossos valores tão desgastados para os laços de parentesco”.
  •  Jeito de matar lagartas , de Antônio Carlos Vianna – “Belíssimo livro de contos através dos quais reconhecemos nosso Brasil profundo. Personagens e episódios incrivelmente poéticos e paradoxalmente tristes, linguagem que nos introduz nas mais variadas formas de expressão que nos ajudam a solucionar e a equalizar problemas brasileiros eternos”.
SONIA MARIA MAZZEI@mazzeisoniamaria. Poeta, escritora, bacharel em Português/Literaturas pela UFRJ, com pós-graduação em Literatura Portuguesa pela UERJ. Autora de três livros infantis: Vida de Balão é Foguinho, de 1995, Doce Surpresa (Prêmio Carioquinha de Literatura Infantil de 2004) e Vida, Encontro e Festa: no vai e vem da floresta, lançado no dia 08 de dezembro de 2018, pela Editora Penalux, no Museu da República/RJ. Participou de várias antologias de contos e poesias e em 2017 lançou seu primeiro livro solo de poemas: Revoada, pela Editora Penalux.  Envelope Violeta é seu novo livro de poemas inéditos, publicado em 2020, também pela Editora Penalux.
  • Primeiras Estórias, João Guimarães Rosa – “Através desse livro, comecei a admirar João Guimarães Rosa. Seu texto renova a linguagem literária brasileira, com inovações formais e aproveitamento magistral da linguagem coloquial e da fala popular.  João Guimarães Rosa me encanta pelo estilo único do mundo roseano. Em ‘Primeiras Histórias’, composta por vários contos, encontro sonoridade, dinamismo e o arbítrio criador dentre tantas outras características.  Destaco os contos: ‘Nenhum, nenhuma’, ‘Nada e a nossa condição’, ‘Luas-de-mel’. Contudo, todo o livro é excelente e recomendo a sua leitura”.(obs: clique AQUI para ver matéria sobre seu livro Envelope Violeta no ArteCult)

 

MARIA HELENA MOSSÉ. Escritora. Autora de Batom no Dente,  2016, e Murmúrios,  2019, ambos da Editora 7Letras.

  • Tudo é Rio, Carla Madeira – “No duro ofício da escrita o erotismo ocupa um lugar
    delicado. Carla Madeira no seu romance ‘Tudo é Rio’ administra o tema com precisão e lirismo. Começa com a força explosiva de
    uma palavra: ‘Puta. Não tem outro nome para Lucy’. E, logo depois, descreve, sem rodeios, a personagem chave de um
    triangulo amoroso: ‘Tinha um jeito baixo e arrogante de provocar todo mundo esfregando o sexo sem censuras, descobrindo os
    seios e atirando palavras cruas encharcadas de lama’.  A trama do romance envolve Dalva e Venancio um casal
    apaixonado, ambos vivem um para o outro. Mas, o ciúme dele vive à espreita e, um dia, foge ao seu controle. De um golpe, a
    vida deles mudará para sempre. O título já fala de um rio, águas turvas de paixão, só não nos avisa que precisamos mergulhar
    nesse leito que parece correr para um abismo.
    Paixão, desvario, morte. E, voltamos à questão do erotismo.
    Esse, sob o comando hábil da autora, está à serviço do desejo e do amor. O amor que salva, apesar de tudo. Amor que não morre.
    Ninguém consegue ler esse romance devagar pois ele convida a um querer saber mais e mais. No entanto, pela beleza da construção das frases, ele merece ser saboreado”.

MARLENE DE LIMA. Escritora. Autora de Homem sem agá – Editora Cais Pharoux e Por onde anda a gata? – Editora 7 Letras  (Finalista no Prêmio Jabuti de 2018).

  • “Doramar ou a odisseia”, de Itamar Vieira Junior – “Os contos aprisionam o leitor num realismo mágico, em que o fantástico e o lirismo se mesclam na amálgama da natureza com os sentimentos humanos. No conto título, Doramar, uma empregada doméstica, ao sair da casa dos patrões, se depara com um cão agonizante no corredor. A partir desse encontro toda sua história de pobreza, lutas e pequenas alegrias é desfiada. Nesse e noutros contos, como ‘A floresta do adeus’, o ‘Farol das almas’ e outras histórias, a vida e a morte, o trágico e o grotesco, a felicidade e o gozo se intercalam num conjunto de doze narrativas, que valem a pena ser lidas”.

 

GEORGE PATIÑO – @georgepatino; Jornalista e escritor. Autor de Tito Madi (perfil biográfico do cantor).

  • O clube dos feios & outras histórias extraordinárias, de Carlos Trigueiro – “As narrativas curtas de Carlos Trigueiro fidelizam o leitor e o fazem ansiar pela chegada aos desfechos de suas histórias, seja pela trama que constrói, seja pelo rico vocabulário, repleto de trocadilhos, imagens e referências multiculturais”.
LUIZ OTÁVIO OLIANI@luizotaviooliani. Escritor. Autor de Fora de órbita, A vida sem disfarces e Ingênuos, pueris e tolinhos.
 
  • Memórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis – “É um romance emblemático de Machado de Assis. Uma obra antológica que desvenda, por meio do protagonista, quem é o ser humano diante de suas alegrias e fraquezas”.
BETO MOURA.  Professor, escritor e radialista. Autor de A agulhinha Iaiá, A última aventura de Papai Noel e As cucas e o saci. Quem diria, estavam aqui.
  • Céu de chocolate, de Fátima Moura – “Alice, jovem tímida e cheia de conflitos em família. É sufocada com tantas atividades que os pais impõem em sua rotina. Sente-se presa e privada de sua liberdade. Tudo muda quando conhece o jovem Pedro”.
JAIRO CARMO@jairocarmo – Juiz de direito, Coordenador de Direito Civil da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (EMERJ), escritor. Recebeu dois prêmios literários da Academia Fluminense de Letras, pelo conto Abaporu, e um da Academia Paraense de Letras, pela peça Homem Nu.  Integra o coletivo literário “Os Quinze”, participando de dois livros de contos. Autor de Balaio de Dois (2013), Ed. Imprimatur, e  Amores Subversivos (2014), Histórias Inverossímeis (2016) e  O cão do teu olhar (2018), Ed. 7 Letras.
  • Incidente em Antares, de Érico Veríssimo – “É um livro corajoso. No calor da ditadura militar, aborda tema político de forma direta, driblando a censura. As personagens são mortos-vivos da sociedade brasileira, inseridas na trama com claro efeito simbólico. A cidade de Antares é metonímia: representa a América Latina com seu modelo político corrupto e colonizado. O Brasil acrescenta a esse sistema o governo ditatorial, ilustrado a partir do Rio Grande do Sul, obcecado pelas tradições locais, com forte apelo patriarcal e coronelista. Outro motivo é o realismo fantástico que marca a segunda parte do livro, centrado no episódio dos mortos rebelados na sua condição de insepultos, que se vingam denunciando os males da sociedade local. O que eles revelam em praça pública – espaço democrático – é fruto do sistema político corrupto e colonizado. E é aí, fundado nessa narrativa, que a metonímia retorna ao ponto de partida da história, com sinais de alegoria”.
WALTER MACEDO FILHO@waltermacedofilho. Escritor e dramaturgo. Autor de Nebulosos (livro de contos), além de peças teatrais, como Encontro e O Fim da Psiquiatria.
Te vendo um cachorro, de Juan Pablo Villalobos – “Eu me diverti muito com esse livro. Um senhor de mais de 70 anos vai morar num prédio onde a maioria dos moradores se reúne no saguão para participar de uma espécie de “clube do livro”. A síndica, que também coordena o “clube”, acha que o protagonista é um escritor. Ele não desfaz a confusão e se diverte com a situação. Vale a pena a leitura. Muito engraçada e bem escrita”.
ISA COLLI – @isacolli_oficial. Escritora de livros infantis. Tem lançados quase 40 títulos, sendo um romance, um livro de poesia e os demais voltados ao público infantojuvenil. Autora de “O Reino do Tempo”, “Incêndio no Museu” e “Descobertas de Inaiá”, que são os lançamentos desse ano. Sites:  isacolli.com e collibooks.com
  • “O menino que descobriu as cores”, dos autores Tais Faccioli e Tiago Vilariño – “O Tiago tem 8 anos e criou essa história em parceria com a mãe quando tinha apenas 5 anos. O livro estimula os pequenos a usarem a criatividade por meio da descoberta das cores. E agora eles estão lançando “Natal do Jorginho”, que é o segundo título da coleção Mundo de Jorginho. Essa dupla promete! Eu indico esse livro porque ele tem influenciado positivamente as crianças nas escolas, uma vez que elas se inspiram no Tiago, uma criança que já tem seu livro publicado. Elas percebem que nada é impossível para quem tem força de vontade e acredita nos sonhos.”(obs: clique AQUI para ver uma das matérias sobre a autora no ArteCult)
BRUNO LIMA – @bruno_lima_74.  Bruno Lima é doutor em Estudos Literários pela UERJ. Além de textos científicos publicados em revistas espacializadas e como capítulos de livros, é autor de Bruxaria do início ao fim: o projeto filosófico-(meta)ficcional de Machado de Assis, Do amor e das suas (des)formas, Nuncas, Eu: itinerário para a autoficção, e Pretérito Imperfeito
  • “Bastante aos gritos”, de Cesar Garcia Lima – ” é um ótimo livro de poesia escrito e publicado durante a pandemia, que consegue oferecer ao leitor um lirismo necessário e bonito em momentos difíceis pelos quais vivemos.”

 

REGINA CASTELO BRANCO@reginacbranco.  Escritora, professora de História aposentada das redes pública e privada

  • Vida e morte de M.J.Gonzaga de Sá de Lima Barreto. – “É uma visão crítica da sociedade brasileira no início da República, considerando a cidade do Rio de Janeiro.”(obs: clique AQUI para ver o poema “FUGA”de Regina sobre o Rio de Janeiro – Poema vencedor do Concurso EU AMO O RIO)

 

TONIA TINOCO (TAI) – @toniatinoco.  Escritora, autora do livro “Lumen Há”, entre outros.
  • O ARROZ DE PALMA. Francisco  Azevedo – “Um dos livros que abriram a minha visão, o meu coração e o meu poder de reflexão. Além de me dar muita  diversão.”(obs: clique AQUI para ver a matéria sobre seu livro LUMEN HÁ em ArteCult)

 

EDUARDO LAMAS – @eduardolamas20 .  Escritor e jornalista. Autor de “Contos da Bola”, “Sutilezas” , “O Negro Crepusculo” e “Profano Coração”.
  • Grande Sertão: Veredas, do Guimarães Rosa” e “Lavoura Arcaica”, do Raduan Nassar .  –  “Em Lavoura Arcaica, Raduan Nassar utiliza o rebelde personagem André para relatar com maestria, recheado de lirismo e parábolas, a história trágica de uma família de origem árabe. A frase “Em toda ordem há uma semente de desordem” não saiu mais da minha memória desde que vi o filme dirigido por Luiz Fernando Carvalho, com roteiro bem fiel à obra original, e depois li o livro duas vezes (e pretendo voltar a ele mais vezes). Raduan só tem três livros publicados e, apesar disso, pôs Lavoura Arcaica, o de estreia (em 1975), entre os melhores de todos os tempos”

APROVEITEM TODAS ESSAS DICAS!!   

E boa leitura !

Equipe ArteCult – LITERATURA
Compilação e Entrevistas:  ANA LUCIA GOSLING e CÉSAR MANZOLILLO 

Veja aqui entrevistas exclusivas com escritores renomados
e com novos autores sobre seus lançamentos:

AC ENCONTROS LITERÁRIOS

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Avatar
Ana Lúcia se formou em Letras (Português-Literatura) em 1993, pela PUC/RJ. Fixou-se em outra carreira. A identidade literária, contudo, está cravada no coração e o olhar interpretativo esgarçado pra sempre. Continua experimentando cursos em que o debate lhe acresça não só à escrita mas à alma. Some-se a isso sua necessidade de falar, sangrar e escorrer pelos textos que lê e escreve e isso nos traz aqui. Escreve ficção em seu blog pessoal (anagosling.com) desde março de 2010 e partilha impressões pessoais num blog na Obvious Magazine (http://obviousmag.org/puro_achismo) desde junho de 2015. Seu texto “Não estamos preparados para sermos pais dos nossos pais” já foi lido por mais de 400 mil pessoas e continua a ser compartilhado nas redes sociais. Aqui o foco é falar de Literatura mas sabe-se que os processos de escrita, as poesias e os contos não estão só nos livros mas na vida em si. Vamos falando de “tudo” que aguçar o olhar, então? Links: Contos, poemas, crônicas: anagosling.com Artigos, crônicas: http://obviousmag.org/puro_achismo Redes Sociais: Twitter: https://twitter.com/gosling_ana Facebook: https://www.facebook.com/analucia.gosling

One comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *