AC Entrevista – João Côrtes: versatilidade e talento poderiam ser nome e sobrenome do artista

João Côrtes. Foto: Marcos Duarte.

Ator, cantor, músico e agora roteirista e diretor. João Côrtes é um verdadeiro artista, multifacetado e, com certeza, você já o viu em algum trabalho. Nascido em São Paulo,  já trabalhou em teatro, novelas (sua primeira foi “Sol Nascente”) e já participou também de grandes séries como “3 Teresas” e “O Negócio”.  Nas telonas, mostrou ainda mais seu talento como ator, apresentando personagens bem diferentes, como por exemplo o Caio no thriller/suspense “O Segredo de Davi” (leia aqui nossa critica do filme) e o bem humorado Cabeça na comédia “Eu Sou Mais Eu” (leia aqui nossa critica ).

Conversamos com João em uma entrevista bem descontraída sobre sua carreia, seus sonhos e novidades.

Confira abaixo a entrevista completa!

ArteCult – Mari Barcelos : João, você começou a estudar teatro aos 12 anos e ficou muito conhecido por ser o ruivo da Vivo. Só que você já mostrou ser muito mais do que só o menino dos comerciais, com grandes trabalhos na TV e no cinema também. Mesmo com esses trabalhos, as pessoas ainda te reconhecem como o ruivo dos comerciais? Como você reage a esse fato?

João Côrtes: A cada novo trabalho que faço existe uma associação que acredito ser normal com a nova personagem, tem gente que vem falar e logo lembra do comercial, na época que eu estava no ar na novela das 6 também brincavam me chamando de Giuseppe ou Peppino, e por aí vai, reajo super bem e com carinho, porque é reconhecimento de um trabalho. Um dos meus primeiros trabalhos foi como ator em série, no caso em “3 Teresas” da GNT e logo depois veio a propaganda que foi mais uma ótima porta de entrada, já que depois dela vieram oportunidades incríveis. Projetos como “Os Experientes”,  em que trabalhei com a Beatriz Segall, e inclusive foi o último trabalho dela. E de lá pra cá vieram séries, longas, novela, teatro…

Você tem uma carreira relativamente nova, mas já fez teatro, novela, série, filme, teve até um booktrailer. Queria que você comentasse um pouco sobre toda essa versatilidade e se existe algum desses setores que você prefere atuar.

João Côrtes: Difícil dizer, vejo o Teatro como um lugar em que o ator encara a sua arte de frente, é o núcleo do trabalho do ator. Mas, ao mesmo tempo, o Cinema é extremamente persuasivo e desafiador. Existe uma qualidade minuciosa do cinema que é extremamente instigante, uma busca profunda por si mesmo. Isso não tem preço e é algo que nenhuma outra área pode te proporcionar.  Por fim, a TV leva o seu trabalho a um número gigante de pessoas, meu desejo é circular entre todos os meios e normalmente me preocupo mais com o projeto e o personagem do que se é pra TV, teatro, cinema…

João Côrtes. Foto: Marcos Duarte.

Quando conversei com você na pré-estreia de “O Segredo de Davi”, comentei que um ponto do Caio que me agradou muito foi o cabelo, compôs muito bem com seu personagem e parece ser bem diferente de você, não só pela cor, claro. Na arte, vale tudo? Vale engordar, emagrecer, mudar muito a estética?

João Côrtes: Acredito que nosso corpo está à disposição do que a personagem pede e o trabalho de caracterização é extremamente importante, então, procuro me colocar sempre aberto ao que a equipe do projeto em que escolhi trabalhar sugere.

Mesmo tendo uma veia para comédia bem forte, você já fez papéis que saem dessa vertente. Você pretende seguir fazendo vários tipos de trabalhos ou seguir com toda essa sua versatilidade para comédia?

João Côrtes: Na verdade você até comentou ainda agora de um trabalho recente que tinha essa vertente totalmente diferente. “O Segredo de Davi” era um thriller/terror e o Caio tinha uma vibe super dark e misteriosa. Foi uma oportunidade ímpar de trabalhar no cinema com um gênero desse tipo, que ainda é pouco executado nas telonas aqui no Brasil. Eu procuro escolher meus projetos pela história, roteiro, equipe, o gênero não é o mais importante.

A música para você é algo que vem de família, certo? Você foi um dos participantes de SuperStar e foi muito elogiado.  O que esse programa trouxe para sua carreira e pra sua vida pessoal?

João Côrtes: Sim, toda a parte da família do meu pai vive da música. Eu tive a oportunidade de apresentar para o Brasil todo o lado “João cantor”, que o grande público não conhecia muito ainda. Também conheci pessoas maravilhosas, fiz tantos amigos, que hoje eu os considero família! Todos ali no Popstar hoje ocupam um espaço muito importante no meu coração. Além de tudo isso, eu me desafiei de muitas maneiras, superei minha ansiedade, algumas inseguranças… Fazer parte do programa me fez olhar para mim mesmo de outro jeito. Com mais confiança em quem eu sou como artista.

Será que podemos esperar um projeto novo na música? Quem sabe o CD com seu pai.

João Côrtes: Sim! Terminei agora em março de gravar o meu primeiro CD, intitulado “Elevador Gourmet”. Será um álbum com músicas autorais e alguns rearranjos de músicas já conhecidas, só que com big band e orquestra, numa versão bem original e no estilo que mais tem a ver comigo, o jazz.

João Côrtes. Foto: Marcos Duarte.

Hoje você já tem fama de galã, quem te acompanha no Instagram vê que você cuida do corpo, se preocupa com a saúde. Mas parece que na sua adolescência você sofreu muito bullying, isso é verdade? Como foi essa transição?

João Côrtes: Acho que toda criança chega a sofrer com algum tipo de situação dessas na escola, pelo menos é o que sempre noto. No meu caso, lembro que recebi alguns apelidos por conta do cabelo ruivo e acredito que, dependendo da forma como você recebe o comentário pode ser considerado bullying. Por exemplo: Se a pessoa atingida não gosta e existe insistência da outra parte, isso já é de certa forma agressivo. Quem tem o poder de definir se aquilo é uma brincadeira ou bullying não é a pessoa que faz, mas sim aquela que é vítima. E isso é importante disseminarmos cada vez mais pra que hoje, quem sente isso, saiba identificar e se defender. É muito importante não deixar que nenhum comentário negativo interfira em quem você é e em como você se sente. Esta mensagem sempre tento passar.

 

E o ator que acabou de estar em cartaz no filme “Eu Sou Mais Eu”, contou também sobre o novo projeto:

João Côrtes: Eu estarei na série americana-brasileira “O Hóspede Americano” da HBO que conta a a história do ex-presidente americano Theodore Roosevelt e Marechal Rondon, quando ambos partiram em uma expedição no Rio da Dúvida, em Rondônia, no começo do século XX. Roosevelt será interpretado por Aidan Quinn, conhecido por trabalhos como a série “Elementary”, filmes como “Music of the Heart”, em que protagonizou ao lado de Meryl Streep e Gloria Estefan, “Lendas da Paixão (Legends of the Fall)”, estrelado por ele, Brad Pitt e Anthony Hopkins, e “Desconhecido (Unknown)”, que teve com protagonista Liam Neeson. A série conta também com Chico Diaz e Theodoro Cochrane no elenco!”

 

MARI BARCELOS

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Jornalista por paixão. Música, Novelas, Cinema e Entrevistas. Designer de Moda que não liga para tendência. Apaixonada por música e cinema. Colunista, critica de cinema e da vida dos outros também. Tudo em dobro por favor, inclusive café, pizza e cerveja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *