O Segredo de Davi: Uma produção intrigante, cheia de suspense e mistério. Veja nossa entrevista com elenco e diretor!

Cinema nacional já foi comumente sinônimo de pornochanchadas à alguns anos atrás e em tempos mais recentes, comédias muitas vezes bobas e sem muito conteúdo. De um tempo para cá filmes com temáticas diferentes das mais comuns, vem ganhando aos poucos mais visão e mais força no mercado, como, por exemplo: Canastra Suja, O Doutrinador, Benzinho, O Nome da Morte, entre outros lançamentos desse ano. Hoje, dia 22 de novembro, O Segredo de Davi chega aos cinemas, trazendo uma produção intrigante, cheia de suspense e mistério.

A história de Davi pode parecer comum ao ouvir de início: um jovem estudante de cinema, que mora sozinho e não é muito sociável. O problema é que Davi esconde um grande segredo de seu passado e, além disso acaba se tornando um serial killer e conforme as mortes vão acontecendo, seu segredo fica mais evidente. Davi é vivido por Nicolas Prattes que entrega uma interpretação incrível, longe de tudo aquilo que o mesmo já fez. O trabalho corporal de Nicolas com olhares, gestos e tiques nervosos, engrandece / completa toda a narrativa que o acompanha, construindo um personagem forte e muito bem-apresentado.

Em seu primeiro longa-metragem, André Hendges que possui um papel de extrema importância na trama, provou que está pronto para sair dos palcos teatrais e ir às grandes telas. A dualidade presente em seu papel, foi muito bem dividido e trabalhada, ficando evidente em tela. É certo que outros diversos personagens importantes para a trama, ganham grandes cenas como as com a atriz Neusa Maria Faro, Bianca Müller e Eucir de Souza. De fato, o trabalho de criação e escolha de elenco, ganha uma grande porcentagem no resultado final de sucesso.

Em uma história forte como essa alguns momentos de ‘respiro’, com mais calma, até mesmo algumas risadas, funcionam perfeitamente para fazer o assistente ganhar um ar e seguir a história. Neste caso o roteiro traz o personagem que conduz a esses momentos: Caio, amigo de Davi. Representado por João Côrtes, ele possui um humor negro que desperta em alguns momentos com risos, carregando essa função notável, mas um ponto precisa ficar claro: a atuação que João Côrtes entrega é muito bem idealizada, de maneira que o resultado fica estruturado e fora do clichê. Outro ponto do roteiro, é o conto pelo ponto de vista de Davi. O mais comum é termos a visão das vítimas ou uma visão mista, entretanto, nesse enredo enxergamos a apenas pelos olhos do serial killer , que se conhece junto ao espectador. Durante o seu segundo ato, alguns momentos podem parecer um pouco arrastados, porém, no fim a estrutura como toda, justifica essa pontos, muito comuns em filmes do gênero.

Acompanhado de uma visão fantasiosa e simbólica, sua fotografia concede uma imersão ao mundo de Davi, além de transformar em imagem toda a parte imaginativa e detalhista. Se tratando de um cinegrafista, em muitas momentos essa visão do Davi falada anteriormente é traduzida realmente em imagens de uma própria câmera. Essa diferença é notável e muito inteligente, pois, nos aproxima ainda mais do universo. A trilha sonora, cumpre o seu papel e casa perfeitamente com todo o estereótipo, incluindo todos os silêncios necessários — muitas vezes mais ensurdecedor do que um heavy metal.

O Segredo de Davi chega com um enredo bem amarrado que possui qualidade técnica, onde nem sempre todos ‘os porquês’ precisam ser respondidos, muitas vezes são bobagens, atuações excelentes com personagens muito bem desenvolvidos. Um suspense que mistura realidade e fantasia e pede atenção para seus grandes mistérios.

Veja a entrevista com o elenco e o diretor:

 

 

 

 

Ficha técnica

  • Direção: Diego Freitas
  • Roteiro: Diego Freitas
  • Elenco: Nicolas Prattes, André Hendges, Neusa Maria Faro, Eucir de Souza, Cris Vianna, Bianca Muller, Giselle de Prattes, João Côrtes, Giulia Ouro, Tutty Mendes, Tuna Dwek, Guilherme Rodio, Simonia Queiroz, Vinicius Bicudo, Isadora Magalhães, Lua Haddad, Jonathan Moreira e Áurea Maranhão.
  • Produtor Executivo: Luciano Reck
  • Coprodutores Executivos: Márcio Yatsuda, Amadeu Alban, Elisa Tolomelli
  • Gênero: Suspense
  • Ano: 2018
  • Classificação: 16 anos

 

MARIANE BARCELOS

Siga-nos no Instagram @artecult / @TiltCine / @barcelosmariane

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

maribarcelos
Eu me chamo Mariane Barcelos, tenho 26 anos, sou designer e estudante de Audiovisual, construindo uma carreira na área. Já viajei para quase todos os cantos do mundo, inclusive já fui para fora do planeta, já dei um pulo em Marte, conheci uns anéis de Saturno e me aventurei em galáxias muito distantes, me transformei em bruxa, loba e vampira, também já fui super heroína e vilã. Não pensem que sou louca, sou apenas uma cinéfila que enxerga nos filmes uma maneira de se desconectar da realidade, ou quem sabe me conectar, com a minha realidade. Quando eu vejo um filme é para me conectar com aquele mundo, se não estou no clima, digo "nossa que dor de cabeça" e fica para um outro momento. Cinema é para ser sentido, para se apaixonar e se iludir. Encantar. Espero poder compartilhar com vocês, toda essa emoção que eu sinto ao assistir um filme e conseguir fazer com que vocês também embarquem nessa viagem sem destino. Agora através do ArteCult, também faça cobertura de eventos, como o Festival do Rio, RioMarket, Pré-Estreias e afins. Assim como nos filmes, espero poder trazer grandes novidades e coberturas completas em todas as mídias sociais, para que vocês, leitores, possam se sentir sempre imersos ao nosso universo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *