ORÁCULO Cia de Teatro 25 anos: Companhia de Teatro inicia comemorações com “Diários Marginais”

Companhia de teatro fundada em 1996 reapresentará em transmissão online, no YouTube, o encontro fictício de Lima Barreto com João do Rio

Se em 2020 as apresentações teatrais ficaram escassas, por causa da pandemia, a Oráculo Cia de Teatro, fundada pelos atores Gilson Gomes, Wagner Brandi e Neila Tavares, em 1996, não deixou de se preparar para as comemorações dos seus 25 anos. E será com a reencenação de um grande sucesso da companhia, “Diários Marginais: um encontro com Lima Barreto e João do Rio”, que os festejos terão início em fevereiro, como parte da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc.

Na impossibilidade de se fazer o espetáculo numa sala de teatro com público, a Oráculo recorreu a uma de suas marcas registradas: a criatividade. Assim, a peça com o encontro fictício de Lima Barreto e João do Rio, dois dos grandes cronistas do Rio de Janeiro do início do século XX, será apresentada gratuitamente no YouTube ( linktr.ee/oraculocia ), de sexta a domingo, às 16h, nos dias 5 a 7, 19 a 21 e 26 a 28 de fevereiro.

– O espetáculo mostra os últimos dias de delírio de Lima Barreto, confinado em sua biblioteca para terminar o seu “Cemitério dos vivos”, sua obra inacabada. Durante seus delírios, Lima tem um encontro com João do Rio, e a partir daí travam um verdadeiro duelo em defesa de suas ideias – relata Gilson Gomes, que representa Lima Barreto e assina o texto junto com Wagner Brandi, que interpreta o João do Rio na peça e, paralelamente, trabalha na novela “Gênesis”, da TV Record, fazendo o papel do médico Sagai.

A montagem, que tem a direção de Luiz Furlanetto (Prêmio Shell de Melhor Direção por Transpotting, em 2011), fez a sua estreia em 2015, no Sesc Tijuca. Em 2016 foi selecionada no Edital da Funarj para circulação nos seus equipamentos culturais e se apresentou nos teatros Armando Gonzaga e Arthur Azevedo. Participou ainda do projeto Paixão de Ler, realizado pela Secretaria Municipal de Cultura e a Prefeitura do Rio de Janeiro, e também foi convidada para integrar a programação do Salão Carioca do Livro, no Pier Mauá, Armazém 3, na Zona Portuária do Rio de Janeiro. O espetáculo esteve ainda no 3º Festival de Teatro do Centro Cultural Midrash, e se apresentou na Flip 2017, a convite do Coletivo João do Rio, numa mostra paralela. Além disso, participou do Circuito Sesi Cultural e fechou a agenda de 2017 no Centro Cultural Parque das Ruínas.

Confira o teater de Diários Marginais:

 

Recentemente o grupo foi convidado pelo cineasta Oswaldo Lioi, para adaptar o espetáculo em longa-metragem. O espetáculo e o trabalho do grupo serão publicados no livro “Bastidores: a história do teatro brasileiro”, de autoria do jornalista e pesquisador teatral Simon Khoury.

– Um de nossos maiores objetivos com este texto foi preservar e resgatar a vida e a obra desses grandes escritores brasileiros. Ao juntar os dois, propomos algo inédito e inovador nos palcos brasileiros, pois apesar de terem vivido a mesma época, nascidos no mesmo ano (1881) e morrido um ano após o outro (João do Rio, em 1921, e Lima Barreto, em 22), nunca se encontraram, apenas trocavam “farpas” literárias através de suas obras – explica Wagner Brandi.

Ainda dentro das comemorações do seu 25º aniversário, a Oráculo montará este ano mais duas peças inéditas: “A confissão” e “Diário da Lua”, segundo texto da trilogia “Diários”.

O espetáculo “Diários Marginais: um encontro com Lima Barreto e João do Rio” tem o patrocínio da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, Secretaria Especial de Cultura, Ministério do Turismo e do Governo Federal através do Fomento a todas as Artes (Lei de Emergência Cultura Aldir Blanc).

Um pouco da história

Após a sua fundação, a Oráculo mergulhou num trabalho de pesquisa até se decidir por sua primeira montagem. Então, em 1996, estreou com O Assalto, de José Vicente, participando do VI Festival Carioca de Novos Talentos, realizado pelo RIOARTE, da qual recebeu a indicação de Melhor Ator (para Gilson Gomes), também concorrendo à categoria Melhor Espetáculo. O grupo ao longo de sua existência vem desenvolvendo o projeto A Literatura sob o Olhar Teatral, que tem como objetivo levar para o palco obras literárias de grande valor, tendo como principal proposta tratar o homem em relação ao mundo em que vive.

A companhia já adaptou para o teatro a peça América, de Franz Kafka (adaptação, concepção e direção de Paulo Afonso de Lima, 1998), com temporada no antigo Museu do Telephone, hoje OI Futuro, e participando do V Festival Veiga de Almeida, no qual recebeu 7 indicações a prêmio. Durante aquele período recebeu convites para o Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica (Porto) em Portugal.

A Oráculo ainda montou “O Capote”, de Gogol (adaptação, concepção e direção de Paulo Afonso de Lima, 1999); “O Mandarim”, de Eça de Queirós (adaptação de Gilson Gomes e direção de Wagner Brandi, 2001), apresentado no evento internacional Eça entre milênios: pontos de olhar, realizado pelo Instituto Camões de Portugal; “Uma Lenda Quixotesca”, adaptação de “Dom Quixote” (feita por Gilson Gomes); “Oh, Nelson Rodrigues, Que Adoráveis Criaturas!”, adaptação para o teatro da vida e obra literária de Nelson Rodrigues, realizado no centenário do autor, por Neila Tavares (com direção de Wagner Brandi, 2012); “Riso Invisível” (2013), de Francisco Alves PH, texto escrito para os atores Gilson Gomes e Wanderlei Nascimento, com direção de Wagner Brandi; “Amor por anexins ou Uma Consulta”, adaptação da obra de Artur Azevedo (2015/2016), por Gilson Gomes, com direção de Wagner Brandi, com apresentações pela Secretaria Municipal de Cultura, Bibliotecas Parques, Circuito Sesc e Casa da Gávea. Entre outras.

Depois de “Diários Marginais”, na década passada, a companhia montou “Torturas de um coração”, de Ariano Suassuna (2018/2019), circulando por vários equipamentos culturais do Rio de Janeiro e de Minas Gerais, com sucesso de crítica e público.

Ficha técnica de “Diários Marginais: um encontro com Lima Barreto e João do Rio”

  • Local: transmissão online no canal da peça no YouTube (linktr.ee/oraculocia)
  • Datas: sexta a domingo, nos dias 5 a 7, 19 a 21 e 26 a 28 de fevereiro
  • Horário: 16h
  • Ingresso: gratuito
  • Texto e atuação: Gilson Gomes e Wagner Brandi
  • Direção: Luiz Furlanetto
  • Direção de arte: Oswaldo Eduardo Lioi
  • Cenografia: Ianara Elisa
  • Criação de vídeo-cenário e operação: Mayara Ferreira
  • Fotografia: Leonardo Pergaminho
  • Design gráfico: Alexandre Muner
  • Iluminação: Djalma Amaral
  • Operador de luz: Geilson Silva
  • Direção Musical: Charles Kahn
  • Direção de palco e Contra-regra: Ana Paula Casares
  • Assessoria de imprensa: Eduardo Lamas
  • Filmagem do espetáculo: Ton de Melo
  • Produção executiva: Gilson Gomes
  • Coordenação do projeto: Oráculo Cia de Teatro
  • Realização: WGL Produções e Eventos & Kadiwéu Projetos Artísticos
  • Classificação: 12 anos
  • Duração: 60 min

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Redação ArteCult.com
Redação do Portal ArteCult.com.   Expediente: de Seg a Sex - Horário Comercial.   E-mail para Divulgação Artística: divulgacao@artecult.com.   Fundador e Editor Geral: Raphael Gomide.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *