Malhação: Viva a Diferença vence prêmio inédito no Emmy Internacional Kids 2018

O autor Cao Hamburger e o diretor artístico Paulo Silvestrini recebem o prêmio Emmy Internacional Kids 2018 por Melhor Série com ‘Malhação: Viva a Diferença’. Crédito Globo/Divulgação.

Foi uma noite de reconhecimento para a Globo, em Cannes, na França. A emissora recebeu o prêmio inédito de melhor série no Emmy Internacional Kids 2018 com ‘Malhação: Viva a Diferença’, escrita por Cao Hamburger e dirigida por Paulo Silvestrini. Os vencedores foram anunciados pela Academia Internacional de Artes e Ciências da Televisão em uma cerimônia durante o MipTV. A Globo também concorria com ‘The Voice Kids’ na categoria ‘Reality’.

Esta foi a quarta indicação de ‘Malhação’ ao prêmio. Por duas vezes, disputou a categoria ‘Digital’:  em 2017, com ‘Malhação – Seu Lugar no Mundo’, de Emanuel Jacobina e direção geral de Leonardo Nogueira; e em 2016, com ‘Malhação Sonhos’, escrita por Rosane Svartman e Paulo Halm, com direção de núcleo de José Alvarenga Jr e direção geral de Luiz Henrique Rios. Em 2015, concorreu por melhor “Série”.

‘Viva a Diferenca’ concorreu ao Emmy Internacional Kids 2018 com produções da Alemanha, Austrália e Canadá. A temporada vencedora celebrou a diversidade em São Paulo, tendo como fio condutor a história de amizade entre cinco garotas de raízes, vivências e personalidades distintas. A trama acompanhou a vida dessas jovens, que descobriram juntas como pode ser enriquecedor viver, confrontar e celebrar as diferenças.

Cao Hamburger e Paulo Silvestrini, autor e diretor artístico da trama, receberam a estatueta e falaram sobre a alegria de receber o prêmio. “O reconhecimento internacional a esse trabalho é importante para celebrarmos a diversidade da sociedade e da cultura brasileira, nosso maior bem. Além de nos fazer lembrar de valores essenciais – como respeito e valorização dos direitos humanos, diferenças religiosas, culturais, raciais e de orientação sexual – e da educação pública, único caminho para o desenvolvimento do pais. É também o reconhecimento ao trabalho de alto nivel de todo o elenco e equipe técnica e artística”, destaca Cao. Silvestrini comentou o significado do prêmio para a equipe: “É muito legal ver o reconhecimento de um trabalho feito com tanta seriedade e amor por uma equipe incrível e um elenco maravilhoso. O Cao é um grande parceiro e amigo. Sinto muito orgulho do que fomos capazes de realizar”.

As atrizes Manoela Aliperti, Gabriela Medvedovski, Heslaine Vieira, Daphne Bozaski e Ana Hikari – Crédito Globo/Divulgação.

Com a nova estatueta, a Globo já acumula 17 prêmios Emmy. O primeiro foi o de “Personalidade Mundial da Televisão”, recebido por Roberto Marinho, em 1976, prêmio que receberia novamente em 1983. Seu filho, Roberto Irineu Marinho recebeu a estatueta em 2014, na mesma categoria. Em 1981, ganhou com o musical ‘A Arca de Noé’ e em, 1982, com ‘Morte e Vida Severina’. A Globo foi premiada sete vezes por “Melhor Novela”, com ‘Caminho das Índias’ (2009), ‘Laços de Sangue’, coprodução com a SIC, exibida em Portugal (2011), ‘O Astro’ (2012), ‘Lado a Lado’ (2013), ‘Joia Rara’ (2014), ‘Império’ (2015) e ‘Verdades Secretas’ (2016). ‘A MulherInvisível’ (2012) e ‘Doce de Mãe’ (2015) venceram na categoria ‘Melhor Comedia’. Fernanda Montenegro recebeu o prêmio em 2013 como ‘Melhor Atriz’ por seu papel em ‘Doce de Mãe. O Jornalismo recebeu a estatueta em 2011, pela cobertura do ‘Jornal Nacional’ sobre a invasão do Complexo do Alemão no Emmy Internacional de Jornalismo.

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

maribarcelos
Eu me chamo Mariane Barcelos, tenho 26 anos, sou designer e estudante de Audiovisual, construindo uma carreira na área. Já viajei para quase todos os cantos do mundo, inclusive já fui para fora do planeta, já dei um pulo em Marte, conheci uns anéis de Saturno e me aventurei em galáxias muito distantes, me transformei em bruxa, loba e vampira, também já fui super heroína e vilã. Não pensem que sou louca, sou apenas uma cinéfila que enxerga nos filmes uma maneira de se desconectar da realidade, ou quem sabe me conectar, com a minha realidade. Quando eu vejo um filme é para me conectar com aquele mundo, se não estou no clima, digo "nossa que dor de cabeça" e fica para um outro momento. Cinema é para ser sentido, para se apaixonar e se iludir. Encantar. Espero poder compartilhar com vocês, toda essa emoção que eu sinto ao assistir um filme e conseguir fazer com que vocês também embarquem nessa viagem sem destino. Agora através do ArteCult, também faça cobertura de eventos, como o Festival do Rio, RioMarket, Pré-Estreias e afins. Assim como nos filmes, espero poder trazer grandes novidades e coberturas completas em todas as mídias sociais, para que vocês, leitores, possam se sentir sempre imersos ao nosso universo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *