Série Comentando os Super-heróis : Superboy

Olá, pessoal, tudo bem? Espero que sim.

Hoje, no nosso “Callbatpapo”, vamos falar sobre o Superboy, mas não o do Smallville, ou, como nós, velhacos, conhecemos na época, o de “Pequenópolis”.

Capa da Revista com a primeira aparição do Superboy

A primeira aparição do personagem foi na revista More Fun Comics #101 (1944). Acredito eu que o surgimento do personagem, que era uma versão jovem do próprio Superman, ocorreu devido à onda de sidekicks que tinha invadido as revistas com o Robin (Abril de 1940), o Ricardito (Novembro de 1941) e outros. Como o Superman era o “último filho de Kripton”, a saída foi contar histórias de sua juventude.

Devido ao processo movido pela família de um dos criadores do Superman (Jerry Siegal), a DC ficou um certo tempo sem utilizar o herói, que era utilizado nas histórias “flashbacks” do Superman e nas histórias da Legião dos Super-Heróis, em que usavam o conceito de viagem no tempo para poder o Superboy interagir com os personagens do século XXX (DC sempre rouba no jogo com esses conceitos e com o conceito de Terras Paralelas).

Superboy original

Superboy com a Legião dos Super-Heróis

Primeiro visual do Kon-El

O segundo Superboy apareceu na história do “Retorno do Superman”, onde apareceram 4 “Supermans“ enquanto o original não retornava. Apareceram o Aço, o Superman Ciborgue, o Erradicador e o Superboy. Esse Superboy foi criado pela dupla Karl Kesel no argumento e Tom Grummett no desenho (Grummett desenhava os Titãs na época). Ele era um clone, feito pelos cientistas do Projeto Cadmus, para substituir a falta de um campeão do porte do Superman. Feito com DNA do Superman e utilizando-se um outro DNA, dessa vez humano, para poder completar o DNA Kriptoniano. E utilizaram o do Lex Luthor para isso.

Voltando ao Superboy, o visual criado pra ele era muito legal e, como tudo nos anos 90, sim, caro Padawan, ele tinha jaqueta. Só abro espaço pra uma dúvida dessa mente perturbada que vos fala: “Se o Superboy é invulnerável, como ele pode furar a orelha ?”. Esse personagem fixou base no Havaí e tinha uma temática nas suas histórias mais simples, focadas até na parte do cotidiano do personagem.

Clark Kent, ajudando o menino, o levou para o rancho dos Kent’s e lá ele ganhou a identidade de Conner Kent (Kol-El), um primo de Clark. Nessa época, o personagem ganhou novo “uniforme”, de que eu também gosto, que é uma calça jeans normal e apenas uma camiseta preta com o S em vermelho.

Evolução do Uniforme do Superboy Conner Kent

Durante os eventos de Crise Infinita, Superboy-Prime aparece para matar Conner. O motivo era porque ele não aceitava que Conner fosse considerado um herói apesar de ser um clone, enquanto ele, apesar de ser de uma Terra paralela, era o verdadeiro Superboy e havia sido esquecido. Os dois se enfrentam numa batalha épica pelas ruas de Metrópolis.

A batalha termina com a morte de Conner. Ele é enterrado ao lado das sepulturas de Kal-L e Lois Kent (o Superman e Lois Lane da Terra 2).

Como vocês sabem, nos quadrinhos, as pessoas morrem “Mais ou menos” (voz do Poderoso Castiga) . No arco “A Legião de Três Mundos”, o processo utilizado para trazer o Superman de volta foi uma câmara regenerativa na Fortaleza da Solidão.

SuperBoy Prime

Sobre o Superboy Prime, sempre achei o persogem “over”. Para vocês terem ideia do poder dele, ele quebrou as “paredes da realidade” com socos. Esse personagem era da chamada Terra Prime e após o final da “Crise nas infinitas terras”, ele, junto ao personagem Alexander Luthor Jr , da Terra 3, o Superman e sua esposa, a Lois Lane da Terra 2 (uma versão mais velha dos personagen ) decidiram refugiar-se e recomeçar em uma dimensão paraíso.

Socos na realidade

Anos depois, o Superboy Prime, enlouquecido e com um super-traje, deu os socos na realidade falada acima, o que trouxe várias consequências, como o retorno do Jason Todd, o segundo Robin, morto pelo Coringa na história “Morte em família”, o retorno da Patrulha do Destino, por exemplo. Ele foi derrotado e preso no centro de um sol vermelho. No arco tropa Sinestro, o vilão Sinestro, portador do anel de energia amarela , liberta o nosso SuperDoido.

Jonathan Kent

Hoje, após os Novos 52, o Superboy é Jonathan Kent, filho do Superman e de Lois Lane. As aventuras desse Superboy podem ser lidas na revista “Superfilhos”, junto com o Robin Damian Wayne (filho de Bruce Wayne).

Superboy e Robin

Grande Abraço e até a próxima, “nerdaiada“.

CALLBAT

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Carlos CALLBAT Soares
Nascido no Rio de Janeiro em 1971 sou um leitor de quadrinhos há mais de 40 anos e apaixonado por esta arte. Sempre tendo como base a visão do leitor, escrevo com humor ( espero....rs ) sobre a Quadrinhos em geral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *