Vale Tudo: A novela dos anos 80 que ainda ilustra o Brasil

Vale Tudo – Foto: Divulgação

 

Continuando os lançamentos de suas novelas de maiores sucessos no Globoplay, sua plataforma digital, a Rede Globo coloca permanentemente em seu catálogo, uma de suas mais famosas e aclamadas obras, Vale Tudo, novela escrita por Gilberto Braga e com um elenco grandioso como Regina Duarte, Antônio Fagundes, Beatriz Segall, Glória Pire, Lílian Cabral, Reginaldo Faria, Nathália Timberg, Sérgio Mamberti, Stepan Nercessian, Renata Sorrah, entre outros.

Vale Tudo – Foto: Divulgação

A novela foi ao ar em maio de 1988, e ficou na grade do horário nobre da emissora até janeiro de 1989, despertando interesse de milhares de espectadores devido ao seu tema polêmico que refletia a vida de milhares de brasileiros. E que ainda reflete, já que Vale Tudo é uma obra que não envelheceu nem um pouco, ao mostrar como cada pessoa do Brasil tem que fazer para alcançar o sucesso profissional e financeiro em um país que vive em crise constante, que afeta principalmente o menos afortunados, da classe média para baixo.

A trama principal acompanha Raquel (Regina Duarte), uma mulher simples, trabalhadora que após sofrer um golpe da própria filha ambiciosa, Maria de Fatima (Glória Pires), vendeu a casa delas de Foz do Iguaçu onde elas viviam, para se tornar modelo no Rio de Janeiro, Raquel desesperadamente vai atrás da filha com o intuito de convence-la a voltar com ela e, depois de fracassar nisso, decide se instalar também no Rio. Com a ajuda de seus novos amigos na nova cidade, Raquel logo tem a ideia de se sustentar vendendo sanduiche na praia e, aos poucos durante a novela, vai crescendo dentro desse ramo alimentício.

Vale Tudo – Foto: Divulgação

No arco de Raquel, embora seja o principal, o autor não se limita em mostrar um único método de se vencer dentro de sua profissão. Através dos outros personagens vemos como cada um sobe na vida de formas diferentes, alguns escolhendo caminhos mais curtos e fáceis, a ponto de prejudicar outros sem remorso, como Maria de Fatima que passa em cima da própria mãe sempre que tem a oportunidade ou de Marco Aurélio (Reginaldo Faria), que tem um cargo de grande importância, mas vive desviando dinheiro da empresa. A maioria mantem certos princípios, e sem prejudicar ninguém, como por exemplo Ivan (Antônio Fagundes), um homem de formação acadêmica que foi demitido de um excelente emprego em seu primeiro dia, devido à crise econômica, ingressa em um cargo bem abaixo de seu nível profissional e aos poucos vai provando sua capacidade nas estreitas até finalmente revelar todo o seu potencial para seus superiores. O arco de Ivan se choca bastante com o de Raquel, já que eles também são o principal arco romântico da trama.

A novela também aborda tema mais sérios como alcoolismo, através de Heleninha (Renata Sorrah), uma mulher que sofreu demais com um casamento horrível, uma mãe cruel e abusiva, que encontrou conforto na bebida, transformando em um vício que afeta todos ao seu redor, principalmente as pessoas que ela ama, como sua tia Celina (Nathália Timberg), que sempre a tratou com muito amor e carinho, e seu filho Thiago (Fábio Villa Verde), no qual se preocupa demais com a saúde e bem estar de sua mãe. Helena ainda guarda uma culpa terrível por ter provocado sem intenções a morte de seu irmão ao dirigir embriagada, mostrando o preço alto que um vício pode cobrar.

Vale Tudo – Foto: Divulgação

Dentro de diversas críticas sociais que a novela faz, Vale Tudo é mais conhecida hoje por uma personagem, Odete Roitman (Beatriz Segall), a principal vilã que tenta atrapalhar ou destruir a carreira profissional de diversos personagens, incluindo Raquel. Odete, mãe de Heleninha e irmã de Celina, é dona da companhia aérea na qual Ivan trabalha. Ela se acha acima de todos, por causa de sua alta posição nos negócios e na alto sociedade, acreditando que o dinheiro dela compra tudo e enxergando as classe inferiores com desprezo e mediocridade. Odete acha que quem está abaixo dela só serve para servir os ricos e poderosos, uma crítica bem exposta sobre o olhar dos mais bem sucedidos e privilegiados em relação aos mais humildes e pobres, que precisam batalhar todos os dias para colocar comida na mesa.

Algumas frases que ficaram famosas da polêmica e marcante Odete Roitman:

  • Sobre o Brasil: “Eu gosto. Acho lindo, uma beleza… Mas de longe. Só em cartão postal. Essa terra aqui não tem jeito. Esse povo não vai pra frente, as pessoas aqui não trabalham, só se fala em crise. Crise desde que eu me conheço por gente que se fala em crise nesse País. Não sei como vocês conseguem viver nesse País, realmente não entendo.”

  • Sobre os brasileiros: “É um povo preguiçoso. Isso aqui é uma mistura de raças que não deu certo. Conheço uns dois ou três que não são.”

  • Sobre Violência: “Só há uma solução. É evidente que é a pena de morte. E pra ladrão e assaltante, cortar a mão em praça pública.”

Embora todas suas maldades e prejuízos que causou, Odete Roitman é lembrada por um grande acontecimento na reta final da novela, seu assassinato, que ocorreu depois da revelação de um segredo repulsivo e desumano que ela guardou durante anos, e a partir disso, foi feito a pergunta: “Quem matou Odete Roitman?”,  afinal suspeitos e motivos para sua morte eram o que não faltavam.

Uma pergunta que mexeu com o público da novela, deu ainda mais popularidade à trama e só foi respondida no último capitulo. Fãs de Vale Tudo poderão ver e rever a novela quando quiser no catálogo da Globoplay, que estará disponível a partir de hoje, e muitos poderão ver pela primeira vez, uma das novelas mais contemporâneas da televisão brasileira.

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

BRUNO MARTUCI
Colaborador de CINEMA & SÉRIES dos sites ARTECULT.com, The Geeks, Bagulhos Sinistros, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *