#AulaEmCasa do Theatro Municipal: Criação de Figurinos para Teatro e Ópera com Marcelo Marques, figurinista e diretor de teatro

Marcelo Marques. Foto: Acervo Pessoal

Marcelo Marques, um dos mais respeitados figurinistas do país é o convidado da Campanha #AulaEmCasa do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Com o patrocínio Ouro Vale e Petrobras, a live vai abordar o processo de criação dos figurinos para os espetáculos, o estilo literário, a importância do contexto histórico em que foi escrito o roteiro, a situação política da época, as condições geográficas, étnicas e religiosas da região, todos os detalhes do conteúdo da obra são fundamentais na hora de criar os figurinos dos personagens:

 “São obras de arte vivas que não correspondem a modismos e sim a época em que foi escrita a obra e a época da montagem para que se tenha um conhecimento profundo da história. Depois do rascunho feito é hora de falar a mesma linguagem do diretor” – ressalta o figurinista e também diretor de teatro.

A aula será na próxima segunda, dia 14 de setembro, às 14h, no Instagram do Theatro (@theatromunicipalrj). Aproveite para ampliar o seu conhecimento com a Campanha #AulaEmCasa.

Não perca e compartilhe !

 

Sobre Marcelo Marques

Marcelo Marques. Foto: acervo pessoal.

O figurinista, cenógrafo, ator e Diretor de Teatro Marcelo Marques começou a sua carreira em 1978. Desde então, tem em seu currículo mais de 270 espetáculos de teatro, ao lado de diretores como Bibi Ferreira, Jorge Takla, Charles Moeller, Claudio Botelho, André Heller, Sérgio Módena, Roberto Vignatti, Sergio Britto, Jacqueline Laurence, Luis Arthur Nunes, Gilberto Gavronski, Wolf Maia, Daniel Herz, Gilles Gwizdek, Cininha de Paula , William Pereira, Marco André Nunes ,e Flávio Marinho. Criou figurinos para L’Elisir d’Amore (Donizetti), Macbeth (Verdi), Idomeneo (Mozart), La Fille du Régiment (Donizetti),Ariadne auf Naxos (Strauss), Samson et Dalila (Saint-Saëns), Diálogo das Carmelitas (Poulenc), Tristão e Isolda (Wagner),Nabucco (Verdi) e “Crepúsculo dos Deuses”(Wagner), A Valquíria (Wagner). Marcelo criou os figurinos para o show “Opus Brazil” (comemorativo dos 30 anos de relações diplomáticas Brasil-China), realizado no National Sing And Dance Ensemble – a Ópera de Pequim, dando procedimento a uma carreira internacional que inicia em 1983, com figurinos para um espetáculo na Tel Aviv University, continuando com Óperas para o Teatro Solis de Montevideo, e o Theatro Nacional de São Carlos de Lisboa.  O figurinista já passou pelas principais salas e festivais brasileiros como Festival Amazonas de Ópera, Palácio das Artes, Theatro Municipal do Rio de Janeiro e de São Paulo.. Marques foi premiado pelo Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Estado do Rio de Janeiro (Sated), nas categorias de melhor cenário e melhor figurino; e recebeu o Prêmio Shell de melhor figurino em 2003, pelo espetáculo “O Último Dia”, com direção de Sergio Britto. No ano de 2015, foi premiado com o Troféu Cesgranrio de Teatro, e com o Prêmio questão de crítica, por seu figurino do espetáculo “Edypop”. Além de várias outras Indicações a importantes prêmios durante sua carreira. Foi por cinco anos consecutivos julgador do Grupo Especial das Escolas de Samba do Rio de Janeiro, nos quesitos Fantasia e Alegoria, a convite da LIESA. Em 2016, ganhou os premios Zilka Salaberry, e CBTIJ de melhor figurinista, por seu trabalho em “Todo Vagabundo Tem Seu Dia de Glória”. Criou os figurinos do Musical “Se Meu Apartamento Falasse” para a Moeller&Botelho em 2017. Ainda em 2017, dirigiu, fez cenário e figurinos para o Theatro da Paz de Belém, na ópera “La Voix Humaine”, com o Grande soprano Eliane Coelho,”Kammersängerin” da Wiener Staatsoper . Criou os figurinos da ópera “Nabucco” de Verdi, no Teatro Nacional de São Carlos, em Lisboa. Foi indicado a sete premios no ano de 2017 por seu trabalho em espetáculos como “Josephine Baker” , “Janis Joplin” , e “Guanabara Canibal”. Ganhou em 2019, o Premio CBTIJ de Melhor figurino de 2018 pelo espetáculo “O Choro de Pixinguinha”, e recebeu uma Moção Honrosa da Camara dos Deputados do Rio de Janeiro concedida a artistas que com sua Arte lutaram contra a segregação racial. Foi indicado aos Premios Cesgranrio  e Questão de crítica por seus figurinos no espetáculo “Cole Porter, ele nunca disse que me amava”, sob a direção de Charles Moeller (figurino que pelo “Observatório do Teatro” um dos cinco melhores do eixo Rio-São Paulo esse ano). E criou os figurinos para o espetáculo “Quebrando Regras, um Tributo a Tina Turner”, sob a Direção de João Fonseca. Recebeu e, 2020 o premio Cesgranrio de Teatro por seus figurinos nos espetáculos “O Despertar da Primavera” , e “Cole Porter”, dirigidos por Charles Moeller . Nos últimos anos, Marcelo Marques tem se dedicado também a palestras e workshops sobre o processo de criação de cenários e figurinos.

SERVIÇO

Campanha #AulaEmCasa com Marcelo Marques, figurinista e diretor de teatro em “Criação de Figurinos para Teatro e Ópera”

  • Data: 14 de setembro – segunda-feira
  • Live / aula on-line às 14h
  • Plataforma: Instagram @theatromunicipalrj 
  • Patrocínio Ouro @valenobrasil e @petrobras

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Redação ArteCult.com
Redação do Portal ArteCult.com.   Expediente: de Seg a Sex - Horário Comercial.   E-mail para Divulgação Artística: divulgacao@artecult.com.   Fundador e Editor Geral: Raphael Gomide.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *