10 SUPERMÃES DAS HQS! Qual delas parece com a sua?

 

Que no segundo domingo do mês de maio é o dia das mães todo mundo sabe! E mesmo com todo esse caos instalado no mundo, nós do Quadrimundi não poderíamos deixar de fazer nossa pequena homenagem a todas as mães do mundo real. E também, por que não, para aquelas dos quadrinhos?

E você que tem a sua viva, não ouse se esquecer de dar um presentinho caprichado para sua mãezinha neste dia tão especial. Ok?!

Gerar e pôr no mundo uma outra vida, já pode ser considerado por si só um superpoder, mas nas histórias em quadrinhos existem algumas supermães que têm outros superpoderes além deste de dar a luz. Aproveite para descubra na nossa lista abaixo, qual destas mães mais se parece com a sua!

Boa sorte. E vamos as 10 supermães do QUADRIMUNDI:

 

10 – SALLY JUPITER, a Sex Symbol

A primeira Espectral foi uma garçonete e dançarina chamada Sally Juspeczyk (que mudou seu sobrenome para “Jupiter” para esconder sua ascendência polonesa). Começou a combater o crime por volta de 1938, aos 18 anos de idade, sendo considerada na época uma queridinha da América. Vítima de estupro na sede dos heróis, Sally Jupiter criou sua filha e por 28 anos escondeu da jovem quem realmente é seu verdadeiro pai. Esta personagem da DC nunca desiste. Maltratando sua filha Laurie por sua escolha nos homens, sua escolha no estilo de vida, tudo na sua vida muda quando ela decide se tornar uma heroína mais uma vez, Sally Jupiter não percebe o quão desagradável ela se tornou com o passar dos anos.

 

9- MISTICA, a Bad Mãe

Mística se tornou uma mestra em manipular as pessoas e mentir para garantir sua sobrevivência com os humanos. Mas usar seus poderes em prol da humanidade mostrou-se cada vez mais difícil e a cada insucesso ficava mais frustrada e raivosa. Em razão disso, passou a acreditar que a humanidade era sua ferrenha inimiga. Mãe biológica de Noturno e Graydon Creed (resultado de um caso com Dente-de-Sabre), também é mãe adotiva de Vampira. Mística sempre teve seus problemas, mesmo sendo forçada a abandonar Kurt, ela adotou Vampira e treinou a garota que tornou-se um importante membro de sua irmandade dos mutantes. Mesmo com todos os problemas, Raven sempre se importou com os dois, chegando a extremos quando necessário para ajudá-los.

 

8- JESSICA JONES, a Mãe Porra-Louca?

Primeiro esqueça aquela versão de garota problema da Netflix, Jessica sempre teve uma história conturbada como super-heroína, mas aquilo lá foi demais. Quem vê Jessica Jones na série, não imagina que nos quadrinhos ela é uma das mais responsáveis e incríveis mães. Jones teve um relacionamento casual com Luke Cage e ficou grávida. Jones e Cage resolveram se tornar um casal,  sua filha Danielle nasceu e eles se casam em “New Avengers Annual” # 1 (junho de 2006) – com Stan Lee oficializando. Depois que Danielle nasce, Jessica volta ao super-herói fantasiado, recuperando seu antigo disfarce de Jewel por um tempo e, posteriormente, adotando o nome de Power Woman em homenagem ao marido. Ela contrata Squirrel Girl para ser a babá de sua filha, mas acha difícil enfrentar os perigos de ser um super-herói e um vingador enquanto protege sua filha que tem um grande futuro pela frente; em um futuro, Danielle Cage se torna a Capitã América. Após o sequestro de sua filha, Danielle, em “Invasão Secreta”, Jones não mediu esforços para encontrá-la. Mesmo tentando ser uma heroína e uma mãe, as constantes ameaças e atentados aos Vingadores, Jessica decide abandonar a equipe e ir morar longe do caos dos heróis e dar a oportunidade de sua filha ter uma vida normal.
Em diversas situações, Jones sempre deixou claro que escolherá sua filha acima de tudo.

 

7- TALIA AL GHUL, a Mãe Controladora

Filha do líder da Liga dos Assassinos, Talia é mãe de Damian, cujo pai é Bruce Wayne.
Mantendo o filho longe do pai por 10 anos, ela entrega o garoto aos cuidados de Batman. Mais tarde ela implanta um dispositivo que permite controlar o corpo de Damian, com a intenção de usá-lo para matar Dick Grayson. Herdeira de um império construído por seu pai Ra’s Al Ghul, ela deu a seu filho Damian tudo… ou quase tudo, exceto socialização decente. Além do fato de que Damian nunca pode realmente ter uma vida normal, pois ela sempre exerceu domínio sobre esse garoto, até clonando seus órgãos para que eles pudessem ser substituídos rapidamente. Espere, ok, acho que esse tipo de eventualidade pode ter consequências, não acham?

 

6- MERA, a Mãe Trágica

Ok, aqui vai uma história triste, como vocês sabem, Mera é o interesse amoroso de Aquaman. O Casal aquático engravidou e gerou o filho chamado Arthur Curry Júnior, também conhecido por Aquababy.
Como os heróis sempre são ameaçados por vilões, não foi diferente com esses. A criança foi escolhida para punir os pais. Ela foi morta pelo Arraia Negra, arqui-inimigo do Rei de Atlantes. Isso causou sérios problemas psicológicos em Mera, que enlouquece depois da morte do filho e se separa do marido, culpando-o por sua perda. E você aí achando que as historinhas do Aquaman eram só sobre conversar com golfinhos…

 

5- VANDA MASMOFF, a Mãe Louca Varrida

Então … a Feiticeira Escarlate nunca teve filhos, eles eram construções de seu poder mutante da magia do caos que altera a realidade, ou algo assim? Mas eis por que ela é ótima. Wanda estava disposta a destruir o mundo para salvar os filhos que pensava ter e é isso que a faz candidata à melhor mãe de quadrinhos. Quase nunca mesmo nível de Madelyne Pryor, mas ela é muito mais louca – e muito mais poderosa. Ela criou alguns filhos da alma de Mephisto depois de se casar com uma máquina e depois que essas crianças foram dissipadas, mais tarde ela ficou louca e destruiu os Vingadores, reescreveu o mundo para colocar Magneto como líder mundial. Eliminou 90 por cento dos mutantes em todo o mundo. Essa é perigosa!

 

4- SUE RICHARDS, a Mãe Moderninha

Sue sempre agiu como uma espécie de figura materna para os outros membros do Quarteto Fantástico, mas foi apenas depois de seu casamento com o Sr. Fantástico que ela realmente se tornou uma mãe. Teve dois filhos, o poderoso mutante com poderes de manipulação da realidade, Frank (imagina o trabalho que deve ser dizer não para esse garoto), e a superinteligente Valeria (mais uma criança problemática). Além do trabalho que filhos poderosos dá, Sue precisa lidar com a constante ausência de seu marido viciado em trabalho.
Como seus dois filhos possuem poderes, Sue permite que os dois a acompanhem em suas aventuras com o Quarteto. O que é relativamente seguro, uma vez que possui o poder de criar escudos de força, poder perfeito para uma mãe protetora. Sue nunca deixou de ser uma super-heroína e aventureira por causa da maternidade, mas em momento algum cuidar de seus filhos deixou de ser sua prioridade. Uma verdadeira supermãe.
Acho que, quando pensamos em uma super-heroína mãe, a imagem de Susan Storm, A Mulher Invisível, membro do Quarteto Fantástico, logo nos vem à nossa mente. De fato, Susan é a primeira e grande mãe do Universo Marvel em tese, aquela família de comercial de margarina, das HQs.

 

3- HIPÓLITA, a Mãe Guerreira

Mãe de nossa heroína máxima, Diana, mais conhecida como Mulher-Maravilha. Há várias versões para sua maternidade: a de que Diana é filha de Hipólita com Zeus e foi abençoada com poderes de vários deuses do Olimpo. Hipólita não teve contato com homem algum, “moldou” seu bebê no barro e Afrodite, por piedade, lhe concedeu esse desejo dando vida a ele. Hípólita representa aquela mulher forte e decidida, mãe da Mulher-Maravilha, é a rainha das Amazonas e tem uma gigantesca capacidade de liderança além de ser uma exímia lutadora.
Sempre tenta proteger sua filha e principalmente fazer com que ela seja quem ela é. Essa supermãe é quase tão conhecida quanto a sua filha. Existem outras versões possíveis sobre a paternidade de Diana, mas o que há de relevante é a mãe rigorosa e amorosa que é Hipólita.

 

2- MAY PARKER – A Mãe de coração

Se você nos disser que a tia May não é a mãe de Peter, você merece um chute na cara. Seja ela uma mulher velha ou atrevida de 50 anos, ela é a mulher da qual Peter depende acima de todos os outros. Infelizmente, nem todo mundo pode ter uma mãe. Seja qual for o motivo, às vezes uma mãe simplesmente não está lá. Contudo, ser mãe é muito mais do que apenas dar à luz.
Ser mãe é cuidar, é amar, é estar lá, é se preocupar se você vai chegar antes das onze da noite e se levou um casaco. Ser mãe é apoiar sua criança em suas decisões, sejam elas boas ou ruins, e saber que é sempre preciso deixar que seus filhos sigam seu próprio caminho, os apoiando para o que der e vier.
E não há um melhor exemplo disso nos quadrinhos do que a Tia May.

 

1- MARTHA KENT – Uma Super Mãe

Imagem: DC Comics

A padroeira de todas as mães de quadrinhos, ela criou em Clark Kent um senso inabalável de verdade, justiça e o jeito americano. Se não fosse por ela, nosso azulão preferido não seria quem é. É uma tremenda responsabilidade cuidar da educação e formação moral de um dos heróis mais fortes da DC.
Martha Kent fez isso e muito mais para Clark, sendo desde sempre a estrela guia dos valores que Superman carrega consigo. Ela também foi responsável por costurar e fazer a roupa do herói, misturando tecidos encontrados na nave que trouxe Kal-El para a terra. Martha Kent não tem superpoderes, não é um gênio da informática, não sabe lutar diversos tipos de lutas… Ela é uma humana, normal, que sabe cozinhar como apenas a sua mãe sabe, que está sempre pronta para ajudar o seu filho, mesmo que sequer tenha ideia de como, que estará sempre lá quando Clark precisar. Ela é exatamente o tipo de mãe ideal que todos deveriam ter, sem dúvidas o mundo seria um lugar melhor se todos tivessem uma mãe assim. Martha é Super com “S” maiúsculo também. Quem não queria uma mãe assim?

 

PAPO DE FILHO NERD

É imperativo dizer que nenhum de nós estaria lendo (ou escrevendo) isso se não fossem por nossas mães. Elas nos alimentaram, nos escutam quando temos um dia ruim… E no mundo dos quadrinhos não podia ser diferente, uma mãe pode ser muitas coisas; alguém que encontrou um bebê em seu campo de milho, uma tia que cuida de seu sobrinho nerd ou, às vezes, uma mãe que criou seu filho sozinha. Em todos os exemplos, ser mãe é ser alguém que se preocupa profundamente com outra pessoa que depende de seu amor. Achamos que reunimos as mais distintas mães das histórias em quadrinhos nesta lista, dê uma boa olhada e tire suas conclusões.

Vote na mãe dos quadrinhos que você mais acha que merece destaque. Em seguida, ligue para sua mãe, pois ela adoraria ouvir de você.

Dedico este texto a minha mãezinha que, lá de cima, me vê e se orgulha do ser humano que me tornei. Beijo Mami!

 

Vanderlei Sadrack

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

VANDERLEI SADRACK
Nasceu e foi criado no Rio de Janeiro, começou a desenhar quando ainda usava fraldas. Primeiro foram as paredes do quarto, – parecia até uma pintura rupestre, dizia sua mãe. – dali em diante nunca mais parou de desenhar e criar mundos. Quando jovem teve como ídolos Daniel Azulay, Maurício de Souza, Laerte, Jonh Byrne, Stan Lee e Moebius. Designer gráfico há mais de 20 anos, trabalha para inúmeras editoras, gráficas e agências, mas foi a sua paixão pelas histórias em quadrinhos e desenhos animados que o motivam até hoje. Fã de Star Trek e X-mem decidiu criar sua própria franquia, Os Dragões do Futuro, Agentes do século 25 com a missão de viajar no tempo, para tentar controlarem catástrofes naturais, para preservar a vida humana na terra. Nesta obra o autor apresenta personagens guardados a mais de 30 anos, que vivem em seu universo. Vanderlei é empresário do setor de livros e editor-chefe da editora niteroiense Kimera. Inaugurou em 2015 o selo Kimera Quadrinhos, chamada por muitos fãs de a "Marvel brasileira" onde já editou e publicou vários títulos de sucesso como: ALFA - A primeira Ordem, Lagarto Negro, Capitão R.E.D, Bombeiro Mascarado, Dragões do Futuro, Wadson Nocaute, LuchTime!, Tobias e o Frango de dentadura, Chiclete, Avenida Cartum, Meu Monarca Favorito e Dogmons.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *