“Segredos”: Na reabertura da Pinacoteca de SP Os Gêmeos mostram trajetória de seu estilo inconfundível

 

Foi a partir desta 2ª quinzena de outubro que a Pinacoteca reabriu suas portas após o fechamento em março devido à pandemia. E reabriu com uma exposição bem propícia para o momento. “Segredos” é a retrospectiva mais ampla do trabalho da dupla que abrange a vida dos irmãos Gustavo e Otávio – Os Gêmeos – desde a infância, quando descobriram as latas de spray em um curso de arte na própria Pinacoteca, até à atualidade.

Até a fachada da Pina mudou: letreiro feito especialmente para a exposição – foto: AAssis

Uma profusão de itens pertencentes aos artistas – fotos de família, rascunhos de desenhos, roupas, objetos – constroem o caminho trilhado para se chegar ao estilo próprio peculiar à dupla. E parece ser esse o segredo revelado aos visitantes da exposição. Mostra-nos as origens no Cambuci (bairro classe média paulistano), passando pelos campeonatos de break dance no metrô São Bento e chegando aos trabalhos desenvolvidos a convite no exterior.

Rascunhos dos desenhos: à procura de um estilo – foto: AAssis

 

No Octógono, a instalação “O Portal” convida o visitante ao mundo colorido da dupla. – foto: AAssis

Em outra parte, obras são mostradas em uma série de salas do 1º andar. São quadros, painéis, instalações que reproduzem o mundo onírico de Tritrez. Lá estão os bonecos amarelos, magricelos, vestidos de roupas coloridíssimas e inconfundíveis do traço dos dois artistas. São trabalhos especialmente feitos para a exibição na Pinacoteca, além de outros que foram feitos para exposições no exterior. É lá, também, que se encontra a grande festa, especialmente, para os ávidos por um pouco de cor depois da reabertura da vida cultural paulistana. Serve de reflexão, nesta altura, que a street art foi para a galeria – o que os críticos apelidaram de “street art nutela”. Os quadros, agora, seguindo a trajetória, são bem finalizados, a temática sai do contestatório, são mais comportados. Entretanto, Os Gêmeos continuam, até hoje, grafitando. Vão para rua, teimosamente, refazendo os desenhos que o governo paulistano insiste em apagar… Assim, os dois continuam com dois pés: um na galeria e o outro na rua.

O tradicional boneco amarelo transgressor – foto: AAssis

Com a retomada das atividades culturais da capital paulista, na Pinacoteca, como em outras instituições da cidade, existem protocolos de cuidados sanitários: distanciamento social, higienização com álcool em gel, medição de temperatura, etc. Diferentemente de outros espaços, há necessidade de agendamento/reserva de data e horário da visita. Para se informar melhor, veja os links da Pinacoteca em Serviços.

Bom proveito. Fica a dica.

 

SERVIÇO

. o quê ? exposição Os Gêmeos: Segredos

. onde ? Pinacoteca de São Paulo – Pça. da Luz 2 – Galerias Temporárias e Octógono (1º andar), pátio 1 e outros espaços internos e externos – metrô Luz, linha 1 azul, saída R. José Paulino (a saída da Pinacoteca está temporariamente fechada por causa da pandemia).

. quando ? até 22/02/2021; às , das 14h às 20h (fecha às 3ª)

. quanto ? R$ 25 apenas pelo site da Pinacoteca (www.pinacoteca.org.br) Meia entrada R$ 12,50. Mesmo menores de 10 anos e maiores de 60 são isentos de pagamento, mas devem reservar os ingressos no site e comprovar a idade ao chegar no museu. Aos sáb. o ingresso é gratuito, mas é preciso reservar pela internet. A Bilheteria física permanecerá fechada.

. site: https://pinacoteca.org.br/programacao/osgemeos-segredos/

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Andréa Assis
Carioca, mas paulistana da gema radicada há mais de 20 anos na capital. Formada em Relações Internacionais, tem mestrado em Administração de Empresas em Lyon, na França. Orgulhosa da cidade onde vive, adora mostrá-la aos visitantes, sejam eles brasileiros ou não. Procura sempre descobrir lugares novos e diferentes, por isso sempre se mantém atualizada sobre o que acontece nestas bandas. Para isso, vai sempre às exposições que pipocam aqui e acolá e é sobre elas que pretende lançar seu olhar crítico que não se restringe só às obras, aos trabalhos expostos, mas também ao ambiente: como estão organizadas, se existem informações para os visitantes, enfim, se vale a pena o leitor investir o seu tempo para ir vê-las. Eventualmente, faz críticas de filmes, mas prefere deixá-las aos mais habilitados. Mas não deixa de acompanhar os lançamentos. Humildemente, pede ao leitor paciência para com o que ele lê aqui no espaço, pois a escritura e análise pedem apuro ao longo do tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *