MARINA NADA MORENA: teatro infantil muito divertido faz a alegria da criançada no palco

Quer uma dica para o Dia das Crianças?? Trazendo um teatro totalmente divertido e bem descontraído, Mel Maia e Cauê Campos fazem a alegria da criançada no palco.

O espetáculo Marina Nada Morena é uma ótima pedida para o dia das crianças. Um programa familiar com muita cultura e diversão.

Baseada no livro autoral de mesmo título da carioca meio portuguesa, Vanessa Balula, o espetáculo estreou no início de Setembro no Teatro das Artes, no Shopping da Gávea, Zona Sul do Rio e fica em cartaz até 28 de outubro. Com direção de Ernesto Piccolo, a peça marca a estreia de Mel Maia e Cauê Campos no teatro profissional, interpretando Marina e Lucas, dois amigos inseparáveis. Tendo como personagem principal, Marina, uma encantadora menina dona de um olhar diferente sobre tudo e que transborda de tanta história boa para contar, a trama lida com temáticas do cotidiano de forma dinâmica, abordando as diferenças da vida moderna e tendo como foco principal o valor da amizade.

Cauê Campos (Lucas) e Mel Maia. Crédito: Rodrigo Lopez

Para a autora Vanessa Balula, Marina Nada Morena é uma história que vai tocar não apenas o público infantil, mas também os adultos, por possuir personagens que colorem a vida real, pontuam a fantasia, envolvendo e comovendo o expectador.

“O universo da Marina, tem muitos ecos das referências de mundo de sua família e esse é o grande lance do texto – é aí que se dá o encontro da emoção dos pais com os seus filhos. Pois é reencontro da lembrança, da saudade, esse gostinho bom de voltar no tempo com a surpresa boa de se identificar com os personagens e sua história. Isso é bonito de ver”.

 Fomos conferir a peça e ainda batemos um papo com os atores :

AC ENTREVISTA

Entrevista com Cauê Campos:

Mariane Barcelos – ARTECULT: Cauê, cultura geek e pop. Vocês tiveram alguma influência, mudaram algo quando receberam o texto?

Cauê Campos: A influência que eu tive para algumas partes mais geeks do texto partiram um pouco de mim e outras da Mel, porque sou muito apaixonado por esse mundo de quadrinhos, heróis e tal, e a Mel também conhece muito algumas gírias mais atuais e me deu uma força muito boa pra ajudar a criar algumas coisas, porém algumas brincadeiras que a gente faz, e alguns personagens, rolou uma influência do nosso diretor, e da produção, o que ajuda muito! Durante os ensaios a gente foi adaptando algumas coisas pra ficar ainda mais legal!

ARTECULT – Como funciona o improviso com a plateia? Ainda mais trabalhando com o público infantil, vocês estão sujeitos a intervenções inesperadas.

Cauê Campos: A gente tem que estar pronto pra tudo ali em cima, e o texto nos ajuda bastante nisso, por que sempre tem uma pergunta, uma brincadeira, pra interagir com o público, o que é muito legal, e deixa a coisa ainda mais viva! Também é muito divertido, as crianças são incríveis.

ARTECULT – Você usa de diversos sotaques ao longo da peça, para os personagens que estão embutidos dentro do seu personagem. Como foi esse estudo de sotaques e personalidades?

Cauê Campos: Confesso que rolou uma ajudinha do pessoal nessas criações, eu sempre perguntava como seria melhor, se poderia usar um sotaque de um jeito, e eles me ajudavam bastante, daí foi só juntar com o texto, e com o que a gente pensava. E isso resultou em cada um dos personagens, que eu espero que vocês estejam gostando! risos

Entrevista com Mel Maia:

ARTECULT – Mel, como funciona o improviso com a plateia? Ainda mais trabalhando com o público infantil, vocês estão sujeitos a intervenções inesperadas.

Mel Maia: Toda apresentação tem um novo integrante hahaha interagimos e deixamos a criançada falar, e com isso vamos dando continuidade a peça!

ARTECULT – Seu texto tem algumas rimas e praticamente não tem interrupções. Como foi sua preparação para a peça e como está sendo ao longa da temporada?

Mel Maia: A preparação foi bem tranquila, pelo fato de eu nunca ter feito nada parecido, foi bastante tranquilo pra mim, começamos os espetáculos com os textos intactos e conforme o tempo fomos adaptando e deixando mais natural (sem mudar a história) e brincalhão!

 

Durante a peça os dois utilizam muito bem todo o palco e o aproveitam do cenário que, mesmo sendo simples é muito funcional e interativo. Nem muito colorido, nem sem cor, toda a ambientação do palco estimula a imaginação do público, dando ainda mais brilho nesse teatro infantil.
As crianças realmente interagem durante a sessão, respondendo as perguntas, comentando, sorrindo e prestando muito atenção.

Alguns momentos da peça são apresentados número musicais, o que ajuda ainda mais na atenção dos pequenos.

Depois da sessão, Mel Maia e Cauê … tiraram foto com toda a criançada que ficou encantada em conhecer os atores. Super simpáticos e carinhosos!

MARIANE BARCELOS

Siga-nos no Instagram @artecult / @TiltCine / @barcelosmariane

 

SERVIÇO:

Marina Nada Morena
Quando: até 28 de outubro
Local: Teatro das Artes | Shopping da Gávea
Endereço: R. Marquês de São Vicente, 52 – Gávea
Horários: Sábado e Domingo às 17h | Teremos espetáculo excepcionalmente na sexta-feira dia 12/10 – Dia das Crianças
Ingressos: R$ 60,00 inteira | R$ 30,00 meia-entrada
Venda: https://divertix.com.br ou pela bilheteria do teatro
Classificação Livre
Duração: 60 minutos
Capacidade do teatro: 421 lugares

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

maribarcelos
Eu me chamo Mariane Barcelos, tenho 26 anos, sou designer e estudante de Audiovisual, construindo uma carreira na área. Já viajei para quase todos os cantos do mundo, inclusive já fui para fora do planeta, já dei um pulo em Marte, conheci uns anéis de Saturno e me aventurei em galáxias muito distantes, me transformei em bruxa, loba e vampira, também já fui super heroína e vilã. Não pensem que sou louca, sou apenas uma cinéfila que enxerga nos filmes uma maneira de se desconectar da realidade, ou quem sabe me conectar, com a minha realidade. Quando eu vejo um filme é para me conectar com aquele mundo, se não estou no clima, digo "nossa que dor de cabeça" e fica para um outro momento. Cinema é para ser sentido, para se apaixonar e se iludir. Encantar. Espero poder compartilhar com vocês, toda essa emoção que eu sinto ao assistir um filme e conseguir fazer com que vocês também embarquem nessa viagem sem destino. Agora através do ArteCult, também faça cobertura de eventos, como o Festival do Rio, RioMarket, Pré-Estreias e afins. Assim como nos filmes, espero poder trazer grandes novidades e coberturas completas em todas as mídias sociais, para que vocês, leitores, possam se sentir sempre imersos ao nosso universo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *