Especial OSCAR 2018: as categorias menos visíveis (Parte 1) – Melhor Documentário em Curta-Metragem

Para deixar o leitor mais informado, vamos trilhar uma direção diferente: as categorias menos “visíveis” na premiação. Como o Oscar abrange mais de 20 categorias, há a necessidade de se privilegiar umas em detrimento de outras, mais chamativas, atrativas e, até por isso, deixadas nos últimos momentos da festa. Todos sabemos da existência da audiência planetária e, decorrente disso, dos patrocinadores.

Bem, vamos começar pela categoria de Melhor Documentário em Curta-Metragem, aquela que aparece quase no início da cerimônia, quando você aproveita e vai ao banheiro ou vai até a geladeira pegar uma cervejinha …

Neste ano, segue abaixo a lista dos indicados e, na sequência, um breve resumo com seus respectivos links e/ou trailers:

  • Edith+Eddie
  • Heaven is a Traffic Jam on the 405
  • Heroin(e)
  • Kayayo: The Living Shopping Baskets
  • Knife Skills
  • Traffic Stop

Edith+Eddie 

Edith+Eddie – poster divulgação

É um documentário em curta-metragem que mostra a vida do 1º casal inter-racial norte-americano que ainda está vivo.

Ganhou vários prêmios em festivais e mostras de documentários como o Hamptons International Film Festival, o International Documentary Association e o Rhode Island International Film Festival só para citar alguns.

Veja o trailer:

 

 

 

 

Heaven is a Traffic Jam on the 405(*)

Heaven is Traffic Jam on the 405 poster – divulgação

O curta resgata a vida de Mindy Alper que passou 10 anos internada em instituições psiquiátricas e sofreu com choques e muita indiferença até surgir um profissional que a escutasse. Desse contato, emergiram desenhos e esculturas que a trouxeram à tona como forma de se expressar.

Hoje, aos 56 anos, Mindy tem como agente uma das mais renomadas galerias de arte de Los Angeles.

“Heaven…” já foi premiado em 2016, como Melhor Curta-Documentário no Austin Film Festival (Texas, EUA), tanto pelo Público quanto pelo Júri. Também ganhou os prêmios de Público e Júri para Melhor Curta no Full Frame Documentary Film Festival de 2017 em Durham, Carolina do Norte, EUA.

(*)405 é a rodovia mais movimentada dos EUA que liga Los Angeles à periferia da cidade. O título do curta foi uma das falas da artista e representa, segundo a sua perspectiva da vida.

Veja o Trailer:

Heroin(e)

Heroin(e) poster – divulgação

O curta mostra a epidemia de heroína na cidade de Huntington, Virgínia Ocidental, EUA. Mostra também como 3 mulheres tentam reduzir os danos desta devastadora droga na cidade: uma socorrista do Corpo de Bombeiros que presta os primeiros-socorros nos casos de overdoses; uma juíza que tenta ajudar com as suas sentenças e uma missionária que oferece alimentação àquelas que se prostituem para comprar a droga.

O curta é produção original da Netflix.

Site: http://heroinethefilm.com/

Veja o Trailer:

 

 

 

 

Kayayo – The Living Shopping Baskets

Kayayo poster – divulgação

Kayayo é o nome que se dá a meninas que, a partir dos 6 anos de idade, trabalham como carregadoras. Elas levam na cabeça cargas de 60 a 100 kgs. É sobre uma delas, Bamanu – uma garota de 8 anos que sustenta a família – sobre a qual o curta fala. Existem cerca de 10 mil meninas ou Kayayo em Nairobi, capital de Gana.

Veja o Trailer: https://vimeo.com/ondemand/kayayo/210376162

 

Knife Skills

Knife Skills poster – divulgação

O curta retrata um restaurante francês de classe internacional, em Cleveland, EUA, que tem o desafio de treinar uma equipe de cozinheiros em um período de 2 meses. Só que a equipe é composta de ex-presidiários que nunca cozinhou ou serviu pratos antes na vida. A história contada foca em 3 pupilos e no fundador do restaurante que, também, no passado, passou uma temporada na cadeia.

Site: http://knifeskillsthemovie.com/

Veja o Trailer:

 

 

 

 

Traffic Stop

Traffic Stop poster – divulgação

Uma professora afrodescendente de 26 anos, Breaion King, de Austin, Texas, tem a sua história contada no curta. Ela é pega pela câmera da viatura policial após violar leis de trânsito e é presa em uma violenta abordagem. O documentário compara as filmagens das câmeras da polícia com as cenas de vida cotidiana de King, oferecendo um outro retrato mais amplo.

O filme é produzido pela HBO e estará disponível pelo canal a partir de 12.03 para assinantes (EUA).

Site: https://www.hbo.com/content/hboweb/en/documentaries/traffic-stop/about.html

Veja o Trailer:

 

 

 

 

Veja AQUI todos os nossos reviews sobre os indicados deste ano

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Andréa Assis
Carioca, mas paulistana da gema radicada há mais de 20 anos na capital. Formada em Relações Internacionais, tem mestrado em Administração de Empresas em Lyon, na França. Orgulhosa da cidade onde vive, adora mostrá-la aos visitantes, sejam eles brasileiros ou não. Procura sempre descobrir lugares novos e diferentes, por isso sempre se mantém atualizada sobre o que acontece nestas bandas. Para isso, vai sempre às exposições que pipocam aqui e acolá e é sobre elas que pretende lançar seu olhar crítico que não se restringe só às obras, aos trabalhos expostos, mas também ao ambiente: como estão organizadas, se existem informações para os visitantes, enfim, se vale a pena o leitor investir o seu tempo para ir vê-las. Eventualmente, faz críticas de filmes, mas prefere deixá-las aos mais habilitados. Mas não deixa de acompanhar os lançamentos. Humildemente, pede ao leitor paciência para com o que ele lê aqui no espaço, pois a escritura e análise pedem apuro ao longo do tempo.

2 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *