Malhação: Viva a Diferença – Mouhamed Harfouch relembra com orgulho do orientador Bóris

Mouhamed Harfouch – Foto: Globo/Estevam Avellar

Enquanto Edgar (Marcelo Antony) enxerga o colégio Grupo apenas como um negócio lucrativo, o orientador pedagógico Bóris (Mouhamed Harfouch) valoriza a importância da educação como um agente transformador da sociedade e está sempre lutando contra os métodos que o dono da instituição impõe. Prevendo a revolta dos alunos com a instalação de catracas e cercas elétricas, ele mais uma vez tentou alertar Edgar, em vão.

Casado com Dóris (Ana Flavia Cavalcanti), a obstinada diretora da escola pública Cora Coralina, Bóris é apaixonado por ela e os dois se identificam nos mesmos valores e formas de enxergar a vida.

Na entrevista abaixo, Mouhamed conta que tem imenso orgulho do personagem por sua atuação como educador e que a parceria com Ana Flávia Cavalcanti foi uma das melhores experiências durante a gravação da temporada.

‘Malhação: Viva a Diferença’ tem autoria de Cao Hamburger e direção artística de Paulo Silvestrini e vai ao ar logo após o ‘Vale a Pena Ver de Novo’.

Entrevista com Mouhamed Harfouch

 Você está revendo Malhação? Qual o sentimento que a reprise te desperta?
O sentimento prazeroso de rever um momento muito especial da minha vida. Essa temporada de Malhação tem vários significados para mim: O contato com o público mais jovem, a oportunidade incrível de viver um educador e de mostrar a importância deste agente transformador da sociedade, as amizades formadas durante o trabalho que ficaram até hoje, e o nascimento do meu segundo filho Bento, logo no início das gravações da novela. Não faltam símbolos neste lindo trabalho.

Dóris ( Ana Flávia Cavalcanti ) e Bóris ( Mouhamed Harfouch ) – Foto: Globo/Cesar Alves

Você tem alguma lembrança mais marcante da época de gravação? Qual?
Tenho várias, mas a primeira cena que gravei como Bóris foi muito marcante. Era uma cena rápida com o Lucinho (Lucio Mauro Filho). Nós já nos admirávamos, mas nunca tínhamos trabalhado juntos. Eu estreando em Malhação, naquele momento onde você tem mais dúvidas do que certezas, e quando cheguei para gravar, era final de externa e não teríamos muito tempo para fazer a cena. Falei para o Lucinho: não vai dar né? E ele, disse: Cara, vai! Fui para a cena perdido, não havia muito tempo para errar ou repetir muitas vezes. Mas nós fizemos a cena de primeira, em 5 minutos! (Risos) Fomos salvos pela nossa cumplicidade e verdade…assim nasceu a relação dos personagens Roney e Bóris, que eram melhores amigos e ali nasceu também a minha amizade de irmão com Lucinho, que carregamos para a vida! Nesta reprise revemos a cena e nos ligamos em seguida, foi risada geral, porque falamos: Ficou boa, né? (Risos).

O que esse personagem representou na sua carreira?
Bóris foi um personagem bonito e desafiador. Dar um colorido cômico sem perder a seriedade e importância para tratar de temas tão caros ao nosso Brasil como a educação é um desafio. Tenho muito orgulho deste personagem por retratar como o educador é fundamental na formação de uma sociedade justa, ética, com valores e princípios e sobretudo democrática. Bóris educava para criar cidadãos e não passadores de ano. Ele formava seres humanos e isso é imprescindível em qualquer lugar do mundo. Vivemos tempos de muita intolerância, ignorância, e apostar na educação é apostar no esclarecimento, no senso crítico, na ciência e na verdade. No mais, não há momento mais oportuno para reprisarmos um produto que celebra a diferença e o respeito à liberdade do que esse.

Como foi participar de uma novela onde a maioria do elenco é formada por jovens atores? Conte um pouco sobre a experiência.
Foi lindo. Rejuvenesci com esse trabalho. Aprender é a arte da troca. Aprendi muito com eles. Era uma turma muito talentosa, muito especial, todos cheios de vontade em contar esta história. Chegaram com uma garra, com um talento, com uma energia boa, que contaminou a todos nós veteranos. E ainda ganhei um carinho do público mais jovem que carrego até hoje. Sou muito grato a este trabalho.

E a parceria com Ana Flavia Cavalcanti?
Ana Flavia foi outro presente. Uma relação de parceria construída, madura e verdadeira. Tenho um orgulho imenso do nosso casal. Amei ter dividido este momento com ela.

Na sua opinião, qual a importância do personagem Bóris na trama?
Bóris é o educador que todos gostariam de ter. Eu desejaria que meus filhos fossem educados por ele. É um mestre que mostra sua liderança não na força, não na imposição, não na vaidade, mas na essência e na empatia verdadeira. Na preocupação sincera em construir um mundo melhor, mais justo, igualitário e democrático. Ele nos mostra que não devemos nunca prescindir da educação, a única ferramenta real de transformação social.

Mouhamed Harfouch – Foto: Globo/Estevam Avellar

 

Como tem sido seus dias de isolamento social? Incorporou alguma atividade nesta nova rotina?
Meus dias de isolamento tem sido de resiliência, aprendizados e reinvenção. Estou produzindo muito em casa, escrevendo e fazendo minha parte para ajudar estes que estão na linha de frente do combate à esta doença. Ficando em casa, me protegendo e ajudando a proteger, para assim somarmos forças! O momento é de solidariedade, empatia e respeito, muito respeito. Precisamos ter consciência.

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

maribarcelos
Jornalista por paixão. Música, Novelas, Cinema e Entrevistas. Designer de Moda que não liga para tendência. Apaixonada por música e cinema. Colunista, critica de cinema e da vida dos outros também. Tudo em dobro por favor, inclusive café, pizza e cerveja. Visite: Instagram.com/PortalMariBarcelos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *