Especial Verão 90: Maria Carol fala sobre a doce e zen Diana

Verão 90 da Rede Globo está chegando ao final e já estamos com muitas saudades. Então preparamos um especial quinta e sexta com diversas entrevistas com os atores dessa produção tão nostálgica.

Diana ( Maria Carol ) – Crédito: Globo/João Cotta

Ela foi chegando devagar, como a hippie e tranquila Diana e encantou a todos. Maria Carol, contou um pouco de como foi a experiencia em Verão 90.

Essa novela além de ter sido uma delícia de fazer, acho que todo mundo curtiu muito assistir. Eu sempre fui recebida com muitos elogios, as pessoas se divertem, fora a nostalgia dos anos noventa. Eu acho que foi uma geração que estava um pouco afastada de ver novelas e retornou com essa, são elementos simples de objetos que remetem aos anos noventa. Outra coisa são as músicas, porque todo mundo fala e eu acho um espetáculo.”

Em uma novela com tantas pessoas incríveis, fica até difícil dizer com quem foi mais especial trabalhar. Maria conta como foi gravar com Jorge Fernando e atuar com todo o elenco.

Bom demais! Eu tenho muitos amigos nessa novela, a Débora Nascimento, a Fabiana Karla, o Gabriel Godoy e eu fiz grandes amigos. Mas passou tão rápido, foi tão delícia de fazer e toda a equipe também dessa novela, os diretores, a produção e uma galera que está trabalhando junto… passou muito rápido. O Jorge é enérgico, ele é um diretor com muita energia e tem muita consciência do que ele está fazendo. É tudo muito direto, quando ele tem que brigar ele briga mesmo, não poupa palavras. Mas ele é muito amoroso e talentoso, se você escuta ele não dá errado, mas as vezes ele fica bravo porque não escutam ele e dá errado, é só ir na dele.”

Diana (Maria Carol) e Tobé (Bernardo Marinho) – Crédito: Globo/Cesar Alves

 

 

Sobre o fim da personagem, Maria Carol conta se gostou do rumo que a história tomou.
Eu adorei. O Humberto saiu e agora volta para fazer um final, fiquei querendo ter tido mais trama com esse irmão, porque a gente construiu uma relação tão legal. Mas adorei a Diana com os chás dela, ainda tem muita coisa para acontecer porque a gente gravou muita frente já. Ela faz uma confusão com esses chás, ela e o Tobé. Fazer a Diana foi uma delícia, ficou faltando o nosso surf que a gente fez aula no início. Eu virei uma surfista, comprei prancha e tudo mais, mas não rolou porque era uma dinâmica difícil de acontecer para gravar. A gente chegou a gravar algumas coisas, mas não sei se eles vão usar, mas foi uma delícia.”

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

maribarcelos
Eu me chamo Mariane Barcelos, tenho 26 anos, sou designer e estudante de Audiovisual, construindo uma carreira na área. Já viajei para quase todos os cantos do mundo, inclusive já fui para fora do planeta, já dei um pulo em Marte, conheci uns anéis de Saturno e me aventurei em galáxias muito distantes, me transformei em bruxa, loba e vampira, também já fui super heroína e vilã. Não pensem que sou louca, sou apenas uma cinéfila que enxerga nos filmes uma maneira de se desconectar da realidade, ou quem sabe me conectar, com a minha realidade. Quando eu vejo um filme é para me conectar com aquele mundo, se não estou no clima, digo "nossa que dor de cabeça" e fica para um outro momento. Cinema é para ser sentido, para se apaixonar e se iludir. Encantar. Espero poder compartilhar com vocês, toda essa emoção que eu sinto ao assistir um filme e conseguir fazer com que vocês também embarquem nessa viagem sem destino. Agora através do ArteCult, também faça cobertura de eventos, como o Festival do Rio, RioMarket, Pré-Estreias e afins. Assim como nos filmes, espero poder trazer grandes novidades e coberturas completas em todas as mídias sociais, para que vocês, leitores, possam se sentir sempre imersos ao nosso universo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *