ANIMA MUNDI 2019: Festival continua apresentando animações de alto nível

Ontem (20/7) foi dia de conferir mais filmes no festival ANIMA MUNDI e fiquei muito impressionado com a qualidade da maioria das animações. Realmente a seleção deste ano está campeã e, pelo menos em relação aos filmes participantes das mostras competitivas, o páreo tá bem disputado, tanto na de longas como na de curtas.
Imagens do quarto dia de Festival:
Como foram vários filmes ontem, vou procurar destacar aqui os que mais gostei, ficando então como dicas para vocês, pois acho mesmo que irão gostar.
Inicialmente, na parte da manhã fui no CCBB conferir  uma sessão não-competitiva batizada de “Olho Neles!“. Trata-se de animações que, segundo o pessoal do Anima Mundi, merecem atenção por contribuir para a diversidade de propostas e técnicas da actual animação brasileira.
Desta seleção gostaria de destacar:
  • Guacalove (Diretor Otávio Esses Vieira): uma animação divertida sobre um casal de abacates;
  • Egrégora (Diretora Etienne Tavares de Farias):  sobre 3 mulheres que pegam o mesmo metrô;
  • Lázarus (Diretores Guilherme Vinicius e Victor de Souza): animação futurista sobre um robô e sua amada. Muito bem produzida, com um CGI fantástico;
  • Helena Helena (Diretor Pedro Rodrigues): sobre uma moça que tem TOC;
  • Armadilha (Diretor André da Rocha Zopello): outro curta com um CGI bem legal e sobre um pirata cuja ambição o faz cair numa armadilha em alto mar.
Mais tarde, fui no Estação NET Botafogo conferir mais filmes das mostras competitivas e, é claro, participei da votação.
Assisti dois longas:
  • Rubem Brandt, o Colecionador” da Hungria (Diretor: Milorad Krstić): esta animação da Sony Classics é de tirar o fôlego e sua estória mergulha de uma maneira deslumbrante e original no universo das pinturas dos maiores gênios artísticos, tais como Velásquez, Rembrant, Picasso, Monet, Gauguin e Van Gogh, entre outros. Achei este filme realmente maravilhoso e por vários motivos. Roteiro, trilha, técnica empregada na animação, as homenagens ao mundo das artes, etc. Um pacote completo que agrada a qualquer um. Visite o site do filme: http://sonyclassics.com/rubenbrandtcollector/ .
    Confira o trailer:

 

 

 

  • Another day of life” , produção Espanha/Polônia/Alemanha/Bélgica (Diretores Raul de la Fuente e Damian Nenow): outra maravilha de animação que conta a história real de um repórter polonês que quer registrar os momentos cruciais da guerra de independência de Angola em 1975 e quando se deu o  início da guerra civil. Ela é mesclada com imagens e entrevistas dos personagens reais que aparecem na animação e conviveram com o repórter durante aquele período. Sem querer dar spoiler, apenas reforço: é imperdível. Confira o trailer:

 

 

 

Estes dois filmes estão concorrendo com  brasileiro “A Cidade dos Piratas” e “Buñuel em em Labirinto de las Tortugas” da Espanha/Holanda do diretor Salvador Simó. Destes, consegui assistir o primeiro na última sexta-feira e apesar de ser interessante, não é páreo para estes que assisti hoje. “A Cidade dos Piratas” do diretor Otto Guerra é tão doido quanto seu criador, rs. Mescla um documentário sobre Laerte Coutinho, a cartunista que assumiu sua transexualidade e renegou sua própria obra (“Piratas do Tietê”) e cenas de desenho animado onde não só personagens do “Pitatas” como o próprio diretor são personagens da trama. Uma discussão bem interessante sobre intolerância sexual e descobertas.
O filme é muito louco e se você quiser conferi-lo, encontra-se disponível em http://big201.com/movie/534149/a_cidade_dos_piratas
No final do dia, foi a hora de curtir mais uma seleção da mostra competitiva de curtas. Foi uma sessão com filmes muito reflexivos – alguns até filosóficos – onde o time da França arrebentou. Seguem os que mais gostei:
  • ReMake da Hungria (Diretora Béla Klingl): interessantíssimo stop-motion onde cada personagem vive as mesmas situações de acordo com o tempo, muito bem pensado e dirigido.
  • Best Friend da França (Diretores Nicholas Olivieri, Yi  Chen, Juliana de Lucca,  Varun Nair e David Feliu): uma visão futurista que mostra a estória de uma sociedade viciada num dispositivo que cria melhores amigos virtuais. Fantástico e muito bem produzido.
  • Mémorable da França (Diretor Bruno Collet): uma estória muito sensível e emocionante sobre um casal de idosos. O marido perde progressivamente a memória. Lindo, triste e muito, muito bem feito.

    Cena de Mémorable. Foto: Divulgação.

  • My Generation da França (Diretor Ludovic Houplain): uma crítica monumental ao capitalismo moderno. Você me um caminhão dando ré numa estrada que na verdade volta no tempo mostrando os principais acontecimentos pós Segunda Grande Guerra.
  • Facelift da Alemanha (Diretor Jan Riesenbeck): um stop-motion muito reflexivo e bem feito sobre o comportamento humano no mundo de hoje com a Internet.
O Festival depois segue para Sampa onde terá ainda mãos atrações, inclusive algumas com Realidade Virtual!

RAPHAEL GOMIDE

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Raphael Gomide
Fundador e Diretor Geral do ArteCult.com e Sócio-fundador e editor do QuadriMundi. Ambos projetos da Webstaff, sua empresa. Apaixonado pela sua família e por toda forma de ARTE e CULTURA. Nas redes sociais, administra além das páginas do ArteCult e QuadriMundi, as páginas do OlheiroMusical.com, Atuando, Dica de Vinho, Dicas de Filmes, Dicas de Livros, Dicas de Músicas, Futuristiko, Infância80, Olheiro Musical, Bullying nas Escolas, Reação Adversa e Portal TEAmigo (comunidade TEA - Transtorno do Espectro Autista).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *