AC Entrevista: Gyselle Soares, do Piauí para o mundo

Radicada na França desde 2008, a piauiense Gyselle Soares voltou ao Brasil e se prepara para estrear no teatro.

Após algumas temporadas na França, Gyselle Soares está de volta ao Brasil. Em terras brasileiras, a vida profissional da morena anda a todo vapor. Em breve, a piauiense sobe aos palcos do Teatro Vannucci, no shopping da Gávea, no Rio.

Além dos projetos como atriz, a bela se arrisca como escritora. No final do ano, lançará um livro de bolso “Bonjour. Como fazer sucesso fora do Brasil, por Gyselle Soares”, onde dará dicas valiosas aos interessados em viver na capital francesa, Paris. “ É como se fosse uma ‘cartilha’, onde vou dar dicas valiosas aos interessados em viver na capital francesa.”

Abaixo você confere uma entrevista exclusiva para o ArteCult, onde Gyselle fala mais sobre a carreira no teatro, cinema, quarentena e muito mais.

 

Você estreou um programa na  TV Antena. Conta um pouco mais sobre essa nova aventura.
“Estou muito feliz com essa oportunidade! É o programa “Circuito de lives do São João do Nordeste”, na TV Antena 10, afiliada da Rede Record, no meu estado, Piauí. Fazemos uma verdadeira festa online para levar um pouco de entretenimento para as pessoas que estão isoladas. É um desafio apresentar ao vivo, algo que nunca fiz. É importante sair da zona de conforto e aprender sempre mais na minha profissão! Isso me dá muita adrenalina artisticamente. Esse programa está indo ao ar, apenas durante o mês de junho, termina nesse sábado, foi uma experiência maravilhosa e agradeço muito pela oportunidade. “

Gyselle Soares – Foto: Diego Araújo

Qual a importância que o São João tem na sua vida?
“Adoro essa época do ano. Sempre gostei de dançar quadrilha. Quando criança, minha família não tinha dinheiro para comprar o traje da festa, então, minha mãe comprava os tecidos e fazia minha roupa para que eu pudesse participar.”

Queria saber mais sobre a experiência de fazer cinema na França. E claro, como foi voltar?
“É bastante desafiador atuar em uma língua que não é a sua de origem, mas eu gosto de desafios. Eles me movem. Foi enriquecedor. Agregou muito a minha carreira como atriz. Me preparei bastante para abraçar as oportunidades e dar o meu melhor, assim as coisas foram fluindo. Voltar ao meu país é muito bom, pois amo fazer trabalhos por aqui. Tenho portas abertas na França e cheguei oo Brasil para abrir as daqui também.”

 Você está escrevendo um livro, sobre Como Se Dar Bem com os Franceses. De onde veio a ideia de escrever sobre esse assunto?  Vão ter experiências suas no livro?
“Pretendo lançar no ano que vem, um livro de bolso “Bonjour! Como fazer sucesso fora do Brasil”. É como se fosse uma ‘cartilha’, onde vou dar dicas valiosas aos interessados em viver na capital francesa, Paris, abordando as diferenças de cultura francesa e brasileira, e falando de como fazer sucesso na sociedade parisiense. “

A gente sabe que uma carreira no mundo do entretenimento é bem complicada, incerta. O que mais te motiva para seguir?
“A arte transforma, te envolve. Eu não tenho essa preocupação de dar certo ou não, eu só faço com amor e sinto que é a minha vocação, o que me faz feliz, o que me deixa realizada. Tudo isso me motiva a buscar mais o aprendizado, me aprimorar e dar sempre o meu melhor como atriz!”

Qual seu maior sonho que você ainda não realizou?
“Tenho muitos sonhos, mas quero ter saúde, fazendo o que eu gosto perto da  minha  família, trabalhando com a arte, crescendo pessoal e profissionalmente!”

Como você está passando por essa quarentena?
“Estou muito feliz com minha família no Piauí. Me sinto segura por estar perto deles nesse momento tão duro e difícil para todos nós. Eu tive muita sorte de ter voltado ao Brasil no final de novembro para passar as festas de fim de ano com eles. Nesse período, tudo isso começou lá na Europa e em Paris, onde morava, e, infelizmente, muitos amigos foram rapidamente contaminados. Mas também passei por momentos complicados. Desenvolvi transtorno de ansiedade. Eu sou uma mulher acelerada e de repente, me vi ‘presa’ em casa, com todos os projetos adiados. Comecei a sentir uma angústia, me senti sufocada, e em alguns momentos, os sintomas eram físicos, como suor excessivo nas mãos, tremedeira nas pernas. Sentia a ansiedade dominando os meus pensamentos. Muita coisa passava pela minha cabeça, eu não conseguia me concentrar e tinha dificuldades para dormir. Decidi procurar um especialista, um psiquiatra, foi quando recebi o diagnóstico de transtorno de ansiedade. Fui medicada e estou me tratando. Já me sinto melhor, mas faço questão de compartilhar isso porque imagino que outras pessoas estejam enfrentando os mesmos problemas diante de tudo isso que está acontecendo. Indico que procurem a orientação de um profissional para ajudar. “

Quais são seus planos quando tudo voltar ao normal?
“Primeiro, quero estar com saúde! Pretendo me preparar bastante nas técnicas de atuação brasileira, me reciclar, voltar aos meus cursos com Sérgio Pena, que adoro, e Cininha de Paula, para estar preparada para meus novos projetos. Minhas técnicas de atuação são mais voltadas para o mercado francês, pois atuei mais lá como atriz. As técnicas de atuação entre os países são diferentes. Também vou estrear na comédia musical ‘The Breakfast Club’, no Rio de Janeiro, e também quero voltar a atuar em novelas.”

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

maribarcelos
Jornalista por paixão. Música, Novelas, Cinema e Entrevistas. Designer de Moda que não liga para tendência. Apaixonada por música e cinema. Colunista, critica de cinema e da vida dos outros também. Tudo em dobro por favor, inclusive café, pizza e cerveja. Visite: Instagram.com/PortalMariBarcelos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *