AC Entrevista: Novos planos, sua vida pessoal, CRISTIANE MACHADO conta tudo em um entrevista

Capa da revista Voi no mês de abril, a atriz Cristiane Machado conversou com a nossa colunista Mariane Barcelos. A atriz, que irá lançar um livro contando sobre a violência doméstica que sofreu e toda sua luta, também nos contou sobre sua trajetória, incluindo a carreira internacional.  Novos planos, sua vida pessoal, Cristiane Machado conta tudo em entrevista exclusiva para vocês.

ArteCult: Você é uma atriz de carreira internacional, inclusive foi convidada pelo diretor americano Josh Taft, para fazer parte do elenco do seu novo filme. Como foi esse convite? Como foram as filmagens?

Cristiane Machado: Filmei antes de me casar. Eu trabalhei com o diretor Josh Taft em uma campanha mundial da Coca-Cola que filmamos em Grumari, no Rio de Janeiro. Na época, quando finalizamos o trabalho, ele me deu o cartão com seus contatos e disse que começaria em breve a trabalhar em um roteiro que teria uma personagem que era meu perfil: uma brasileira sensual, com um lado brejeiro, que precisava passar um lado misterioso. Perguntou se eu falava inglês e logo depois veio o convite oficial. Fui com meu agente a Los Angeles, nos Estados Unidos, conversar pessoalmente e foi incrível. Filmar com profissionais de Hollywood foi um sonho realizado.  

Tem uma imagem sua rodando vários museus pelo mundo, que o artista Vik Muniz retratou. Conta um pouco sobre essa experiência.

Ele projetou uma foto do meu rosto em tamanho gigante no chão e foi montando com sucatas e objetos. Foi um trabalho muito interessante e bem detalhista. Nunca pensei que poderia virar a musa inspiradora do Vik. Ele só tinha esculpido o rosto de uma atriz, que foi a Elizabeth Taylor. Ser a segunda nessa linha de trabalho foi uma honra para mim.

Imagem de Cristiane Machado, que foi transformada na obra de arte Melancolia, de Vik Muniz, usada na abertura de Passione – Divulgação.

Foto: Carlo Locatelli

Alguém já te reconheceu na rua depois de ver o retrato?

Sim. Esse trabalho teve uma grande repercussão. Como foi abertura da novela Passione da Rede Globo e depois virou obra de arte e rodou o mundo, teve uma visibilidade bem interessante, diferente das novelas. Na novela, as pessoas te veem todo dia, mas você ter sido escolhida pelo Vik Muniz para ter seu rosto esculpido gera uma curiosidade diferente de como foi feito. Meu rosto foi fotografado e depois projetado a foto em um galpão no Rio e montando peça a peça com sucata. Meus cabelos cacheados foram pneus, meu enfeite de cabeça foi um vaso de girassol e assim por diante. Agora, na abertura da novela foi transformada em um grande quadro, uma obra de arte e está rodando os principais museus do mundo. 

 

Em 2017 você estava no ar em ‘Um Contra Todos’, série da Fox. Logo depois você entrou em cartaz nos cinemas, já filmou mais outro longa no exterior. Como você lida com essa rotina? Tem algum tipo de preparação que você não abre mão?

A minha paz é tudo. Preciso de um tempo para me recolher, ler e me preparar. Construir, fazer nascer a personagem com suas referências. Muitas das vezes vou anotando pontos da personalidade dela, o que a aconteceu, o que gerou, vou buscando elementos que a representem. Eu amo viajar, descobrir coisas novas e fazer trabalhos em uma outra cultura, com outra equipe é uma experiência fantástica. Esses longas foram filmados antes de eu me casar e é uma alegria vê-los sendo lançados agora. Cada personagem foi feito com muito amor. Amo meu ofício, além de precisar trabalhar como todos, amo o que eu faço. 

Todo o mundo está acompanhando o drama que você está passando, por culpa das agressões do seu ex marido. Primeiro, gostaríamos de dizer que sentimos muito, afinal nenhum ser humano deveria passar por isto. E você foi muito corajosa em abrir isso para todos, de onde veio essa força?

Para mim, foi muito difícil abrir publicamente. Primeiro, pelo drama e decepção e a grande frustração e o terror que vivi e ainda vivo. Segundo, minha profissão sempre foi pautada com muita integridade e nunca sequer tive algum escândalo que a manchasse. Mas eu não tinha proteção. Queria viver. Pedi proteção policial e não tive e obviamente não tinha dinheiro. Sou uma sobrevivente e quero permanecer viva. Você denunciar uma pessoa com influência e que se utiliza desse fato, de diversas formas, é preciso muita coragem. Acho que a minha coragem veio de querer estar viva e meus pais também. Ele ameaçou matá-los se eu o entregasse. Vou até o fim provar e fazer a justiça. Só quero justiça e a verdade. Eu sei o que passei por medo de não estar viva. Quantos trabalhos perdi por estar machucada e ter vergonha de expor, ou de sair na rua porque iriam ver e descobrir. Tentei dar muitas chances a ele. Tenho consciência tranquila. Ele que não quis mudar. Eu descobri que nos piores momentos descobrimos uma coragem que não sabemos que existe. 

Acredito que você esteja contando com o apoio dos seus familiares e dos seus fãs. Antes de contar tudo, abrir para a mídia, teve medo por eles?

Claro!!! Meu pai é deficiente visual e minha mãe deficiente física. Eles são as pessoas mais importantes na minha vida! Mas precisava alertar o que vivia. Influência pode mudar tudo até uma denúncia. Medo também. Queria manter minha integridade física e a deles. Foi uma covardia. Na verdade, foi bem mais que uma covardia. Foi desumano viver assim. Tenho recebido tanto carinho e pedido de ajuda, que vejo que tenho uma missão no meio desse furacão. E ajudarei muitas mulheres. Tem muita coisa errada que precisamos clamar por mudanças e mais avanços ainda do que conseguimos com a lei Maria da Penha. 

 

Foto: Carlo Locatelli

 Você está escrevendo um livro. Pode nos contar um pouco sobre ele?

 Vou falar da Cristiane antes de tudo acontecer, porque eu já tinha uma carreira, e da Cristiane depois, passando pelo fato em si. Mas também vou comentar sobre as brechas que o sistema dá, as brechas que a Lei Maria da Penha permite, fazendo com que muitas mulheres não denunciem. Quero mostrar a verdade, as dificuldades que encontrei no sistema judiciário, na polícia. Isso virou uma missão para mim até para tentar mudar. Será um alerta.  Quero tentar contribuir para mudar um pouco essa realidade assustadora.  

Como fica sua carreira depois desse ocorrido? Porque você afirmou está vivendo com medo, em razão do fato de ainda está sendo ameaçada. Sendo que nada do que aconteceu foi culpa sua.

Eu espero muito retomar minha carreira, que sempre foi motivo de muito orgulho. Nunca estive envolvida em nenhum escândalo. Fiz grandes trabalhos, novelas e filmes. É uma mancha que irei carregar, mas não tive escolha porque precisava sobreviver. Fatalmente morreria sendo agredida. Espero mais do que nunca retomar logo minha carreira porque amo, sobrevivo dela apesar de ter parado por causa do meu agressor, acreditando que ele a aceitaria. Quando casamos, sonhamos com uma família e muito amor. Ele detestava minha profissão, escolhia o que fazer, mas acreditava que eu conseguiria mudar a opinião dele. Quero mais do que nunca retomar minha vida, minha profissão. Mas acho também que meu exemplo servirá para encorajar muitas mulheres e nosso sistema que receberá cada vez a mulher com mais agilidade e se aprimorando cada vez mais. Recebi muitas mensagens de ajuda, solidariedade e amor, então, acredito que tenho minha missão de lutar por justiça e por nós mulheres, que vivemos relações abusivas e lutar para que a violência doméstica e o feminicídio sejam cada vez menores. Quero a minha vida de volta, mas sei que sou exemplo para tantas mulheres e irei cumprir essa missão com toda certeza. E Deus ajudará, como uma sobrevivente a resgatar minha vida e minha carreira o quanto antes.

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Jornalista por paixão. Música, Novelas, Cinema e Entrevistas. Designer de Moda que não liga para tendência. Apaixonada por música e cinema. Colunista, critica de cinema e da vida dos outros também. Tudo em dobro por favor, inclusive café, pizza e cerveja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *