Submersão: belas fotografia e paisagens te fazem mergulhar em um mundo quase alternativo

SUBMERSÃO protagonizado por James McVavoy e pela vencedora do Oscar Alicia Vikander, com estréia agendada para esta Quinta-feira, dia 19 de abril, é distribuído pela Califórnia Filmes

Uma história de amor que nos apresenta dois mundos extremamente opostos, mundos dos dois protagonistas, Danielle Flinders (Alicia Vikander) e James Moore (James McAvoy) que se encontram por acaso em um remoto hotel na Normandia. Um lugar que, por sinal, é maravilhoso!

A fotografia abraçou todas as paisagens de maneira brilhante. A luz ficou perfeitamente natural. Neste lugar ambos se preparam para uma perigosa missão. Eles se apaixonam quase contra sua vontade, mas logo reconhecem um no outro como o amor de suas vidas.

Quando precisam se separar, descobrimos que James trabalha para o Serviço Secreto Britânico. Ele está envolvido em uma missão na Somália para caçar uma fonte de terroristas suicidas se infiltrando na Europa.

Danielle ‘Danny’ Flinders é uma bio-matemática trabalhando em um projeto nas profundezas do mar para provar sua teoria sobre a origem da vida no planeta.

Logo, vivem em mundos muito diferentes. James é feito refém dos terroristas e não tem como contatá-la. Danny tem de ir ao fundo do mar em um submergível, sem mesmo saber se James está vivo.

A direção desse thriller romântico é de Wim Wenders (O Sal da Terra, Asas do Desejo), que é baseado no romance Submersão e tem roteiro assinado por Erin Dignam (The Last Face).

James McAvoy, faz um ótimo trabalho e apresenta um personagem sólido e bem estruturado fisicamente.  A vencedora do Oscar Alicia Vikander dispensa apresentações e é simplesmente brilhante em todos os seus papéis, desde os mais simples aos mais complexos. Cada olhar dado entre os atores durante o longa é intenso e profundo.

Cameron Lamb produziu o longa com Wim Wenders e Uwe Kiefer para a Neue Road Movies na Alemanha, Jean-Baptiste Baptiste Babin para o Backup Studio na França e Juan Gordon para a MorenaFilms na Espanha.

Uma complicada história que abrange algumas das preocupações mais profundas da vida, Submersão é baseado no romance de J.M. Ledgard, um jornalista que cobriu a sociedade e a política através da África para a revista The Economist e se inspirou em suas experiências de quando vivia e trabalhava na Somália:

“Eu estava muito interessando na nossa falta de perspectiva do planeta em que vivemos”, ele diz. “É muito maior do que achamos que é, muito mais complicado do que pensamos. E ao mesmo tempo é muito mais duro e desafiador. Sempre fui obcecado pelos oceanos e a ideia de que claramente existe muito mais vida no oceano do que na superfície, particularmente a vida microscópica das bactérias, vírus e algas em uma profundidade muito grande. Essa quantidade de vida pesa mais do que todo o resto da vida no planeta e é mais antiga, mais resistente e mais forte. E, não importa o que aconteça aos humanos, essa vida vai continuar em frente. Claro que sabemos agora que evoluímos a partir do fundo do oceano, onde a vida começou, no fundo do oceano.

Naquela época da minha vida estava na África”, ele continua, “estava noticiando muito sobre terrorismo e passando muito tempo com homens da Al-Qaeda, que, provavelmente não conseguiria conhecer hoje, se quisesse manter minha cabeça no lugar. Então a história é baseada nessas duas experiências”.

Ledgard criou um romance altamente intrincado, onde três mundos distintos se envolvem.

“O romance tem três frentes”, ele diz. “Uma se passa na África, e é sobre um espião britânico que é sequestrado por um grupo jihadista. A segunda frente é sobre uma professora do Imperial College, de Londres, que é uma bio-matemática, o que significa que ela estuda o volume de vida microscópica nos oceanos. E a terceira frente é o encontro desses dois personagens em um hotel na França, e forma a parte central da história. Eles vivem uma paixão avassaladora. Então é sobre ciência, crenças e amor”.

Fica aqui o convite para todos conferirem esse filme tão belo e único que tem uma história diferente e original, além do conteúdo histórico e social.

Veja o Trailer:

 

 

 

Siga-nos no Instagram @artecult / @barcelosmariane

MARIANE BARCELOS

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

maribarcelos
Eu me chamo Mariane Barcelos, tenho 25 anos, sou designer e estudante de Audiovisual, construindo uma carreira na área. Já viajei para quase todos os cantos do mundo, inclusive já fui para fora do planeta, já dei um pulo em Marte, conheci uns anéis de Saturno e me aventurei em galáxias muito distantes, me transformei em bruxa, loba e vampira, também já fui super heroína e vilã. Não pensem que sou louca, sou apenas uma cinéfila que enxerga nos filmes uma maneira de se desconectar da realidade, ou quem sabe me conectar, com a minha realidade. Quando eu vejo um filme é para me conectar com aquele mundo, se não estou no clima, digo "nossa que dor de cabeça" e fica para um outro momento. Cinema é para ser sentido, para se apaixonar e se iludir. Encantar. Espero poder compartilhar com vocês, toda essa emoção que eu sinto ao assistir um filme e conseguir fazer com que vocês também embarquem nessa viagem sem destino. Agora através do ArteCult, também faça cobertura de eventos, como o Festival do Rio, RioMarket, Pré-Estreias e afins. Assim como nos filmes, espero poder trazer grandes novidades e coberturas completas em todas as mídias sociais, para que vocês, leitores, possam se sentir sempre imersos ao nosso universo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *