VIÚVA NEGRA: Um filme com uma ótima abordagem sentimental, dentro do padrão Marvel

 

A história de Viúva Negra, que se passa logo depois dos eventos de Capitão América: Guerra Civil, segue o mesmo estilo de espionagem moderna que os dois últimos filmes do Capitão seguiram e a história funciona dentro desse conceito, já que se trata de uma das espiãs mais famosas do MCU. Mas dessa vez o que chama mais atenção não é a ação pesada ou os combates físicos, mas sim a exploração e o desenvolvimento do lado emocional da Natasha Romanoff (Scarlett Johansson).

Como se trata de um filme da Marvel Studios, a ação é bem contínua e empolgante e a diretora proporciona uma ótima experiência visual, com movimentos de câmera extraordinários, que fazem o espectador viver o momento, algo que o fã já espera ver em um filme da Marvel.

Cena de “Viúva Negra”. Foto: Divulgação.

A novidade, no entanto, é essa exploração do lado mais emocional e sentimental da Natasha, algo que se originalizou em sua infância.  Desde essa época, já era forçada a agir como uma agente disfarçada, algo que nunca foi de sua vontade, mostrando rapidamente sua interação com sua família de fachada. O filme mostra que, mesmo não sendo sua verdadeira família, o carinho e admiração que ela tinha por eles era real. Isso é bem aprofundado em certos momentos, quando, aos poucos, ela vai se reencontrando com cada membro que fez parte dessa missão, mostrando esse lado mais sensível e vulnerável da Natasha, revelando um lado da personagem que era raramente mostrado em outros filmes da Marvel.

Dos membros de sua falsa família, depois da Scarlett, o grande destaque vai para a irmã de Natasha, Yelena (Florence Pugh), que também tem seus próprios traumas. Isso é mostrado como uma ótima motivação para a personagem e a atriz faz um ótimo trabalho para incorporar a personagem, que vai desde o sotaque que ela cria até a sua própria atuação, através da qual nos transmite uma personagem forte, mas que guarda sua dor por tudo que passou.

Cena de “Viúva Negra”. Foto: Divulgação.

Os outros membros da família de Natasha também são bons personagens, principalmente o Guardião Vermelho (David Harbour), que é uma versão russa do Capitão América e que funciona bem como o grande alívio cômico do filme.

Melina, interpretada por Rachel Weisz, é outra personagem interessante acrescentada dentro desse universo, mas muitas vezes, o roteiro perde a oportunidade de dar um pouco mais de destaque merecido a ela.

Cena de “Viúva Negra”. Foto: Divulgação.

Sobre os antagonistas, temos dois vilões que juntos funcionariam perfeitamente, mas separados, são problemáticos. Primeiro temos o vilão principal, interpretado por Ray Winstone, que tem um jogo de palavras afiadas, e atitudes desumanas e desprezíveis, mas ele em si não transmite a sensação de ameaça ou de uma grande presença vilanesca, lembrando bastante um vilão fraco dos primeiros filmes da franquia 007.

Já com o Treinador acontece o oposto, trata-se de um personagem bem interessante, principalmente pelo seu jeito de estudar e decorar as táticas e movimentos de luta dos Vingadores e usar isso contra a Natasha, sendo uma ameaça mais perigosa que o outro antagonista, mas o personagem tem pouca presença no filme, e tirando o plot que o envolve, o Treinador não tem um momento marcante no filme.

Cena de “Viúva Negra”. Foto: Divulgação.

Através do personagem de Winstone, o filme ainda faz uma crítica social sobre como homens poderosos controlam as mulheres, fazendo com que elas ajam como eles bem quiserem a seu favor, algo bem elaborado diante do cenário fictício criado pela história, que reflete muito a realidade.

O humor padrão dentro do estilo Marvel é outro elemento que proporciona momentos bem divertidos sobre as atitudes dos personagens, principalmente sobre uma característica específica de Natasha, que aliás, agora, não tem como os fãs não repararem nos outros filmes em que a Viúva Negra aparece.

Um dos pontos mais esperados pelos fãs é a resposta sobre o que afinal aconteceu em Budapeste, fato que a Viúva Negra e o Gavião Arqueiro sempre citaram em diversos momentos dentro do MCU. E a resposta é algo relevante, tanto para esse filme, quanto para o público ao sentir o peso do ocorrido, ao rever os antigos filmes da Marvel Studios.

CONFIRA O TRAILER

Viúva Negra é um dos filmes da Marvel em que o foco emocional é o grande destaque da história, acrescentando um novo olhar sobre uma das personagens mais queridas e fortes desse universo, deixando sempre novos elementos que, com certeza, serão retomados nos próximos projetos da Marvel.

NOTA: 8,5

BRUNO MARTUCI

 


ArteCult – Cinema & Companhia

Siga nosso canal e nossos parceiros no Instagram para  ficar sempre ligado nas nossas críticas, últimas novidades sobre Cinema e Séries, participar de sorteios de convites e produtos, saber nossas promoções e muito mais!

@artecult , @cinemaecompanhia , @cabinesete ,
@cinestimado,  @cineelaw e @marimastrange

#VamosParaOCinemaJuntos

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

BRUNO MARTUCI
Colaborador de CINEMA & SÉRIES dos sites ARTECULT.com, The Geeks, Bagulhos Sinistros, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *