Vila Itororó: Após restauração, vila famosa de Bela Vista (SP) se transformará em Complexo Cultural

Restauro, que durou três anos, contempla três casas e um pequeno prédio das 11 edificações da vida, que receberão oficinas, exposições, debates e outras atividades Restauro, que durou três anos, contempla três casas e um pequeno prédio das 11 edificações da vida, que receberão oficinas, exposições, debates e outras atividades

 

Foi entregue, na última sexta-feira (20/12), a primeira fase da obra da Vila Itororó, localizada na Bela Vista, no centro de São Paulo.  A entrega foi feita pela Concrejato Engenharia, empresa especializada em restauração de patrimônios. O restauro, que durou cerca de três anos, contemplou a requalificação de três casas e um pequeno prédio com nove apartamentos das 11 edificações da vila, que receberão oficinas, exposições, debates e outras atividades.

O projeto incluiu a restauração das fachadas, piso, cobertura, forro, esquadrias, instalação elétrica e hidráulica, além da instalação de passarelas metálicas e um elevador para facilitar a integração entre as três residências. Já no prédio a integração se deu no piso intermediário com a criação de uma cozinha e lavanderia comunitária. Os principais materiais utilizados para a obra foram tijolos especiais, madeira para as esquadrias pois muitas foram reproduzidas, reforços metálicos, assoalho de madeira, ladrilho hidráulico, forro metálico e forro de madeira, afira a reprodução de gradis metálicos.

 

Além do interessante conjunto edificado, mesmo de construções aparentemente singelas, desvendou-se na obra paredes com pinturas decorativas ornamentais de flores em vários períodos.

De acordo com Erica Machado, coordenadora de obras da Concrejato, o primeiro passo do restauro foi consolidar as edificações para, em seguida, realizar o reforço estrutural em cada unidade, uma vez que as mesmas se encontravam em estado de ruínas.

“Antes de qualquer coisa precisávamos entender a estrutura que existia ali, analisar se aquela estrutura era suficiente para suportar uma obra e, caso não fosse, precisávamos entender a melhor maneira para que essa estrutura se tornasse suficiente para aí então realizar o restauro. Foi uma obra delicada por serem casas muito instáveis. O grande desafio veio da própria ruína do prédio, que estava em um estado de conservação muito degradado”, explica Erica.

Com o restauro, foi identificada e resgatada uma fonte que alimenta o rio Itororó (água barulhenta, em tupi), que dá o nome à Vila. Há alguns anos, o ponto de água estava soterrado debaixo da Avenida 23 de Maio, a mesma que deu origem à primeira piscina privada de São Paulo. “Fizemos um resgate histórico de uma fonte que já existia e agora vai circular por toda a vila por meio de uma canaleta”, conta.

As quatro edificações restauradas vão se tornar um restaurante comunitário, um espaço de residência artística, um laboratório de fabricação digital e marcenaria (fab lab) que já está sendo ocupado, além da sede da Casa da Memória Paulistana, que integra a rede Museu da Cidade.

A VILA ITORORÓ E SUA HISTÓRIA

A Vila Itororó é um conjunto arquitetônico de 1917 que possui 11 edificações interligadas por uma praça com 6.828m² de área construída. Desde 2015, quando as obras tiveram início, a vila passou a realizar visitas monitoradas no pátio das casas restauradas e pouco depois foi aberto o centro cultural, com atividades gratuitas para a comunidade. A vila é tombada pelos órgãos estadual (Condephaat) e municipal (Conpresp) do patrimônio histórico.

O empreiteiro português Francisco de Castro foi quem, entre 1922 e 1929, construiu a Vila Itororó. Consta dos registros que o prédio principal foi edificado com sobras do material (e, portanto, já naquela época Castro adotou posturas de sustentabilidade) do antigo Teatro São José, destruído por um incêndio no final do século 19 – as colunas gregas e outros elementos utilizados no palacete seriam remanescentes do prédio do teatro.

Castro também construiu junto ao palacete uma piscina, que era abastecida com água do riacho Itororó (atualmente no subsolo da avenida 23 de Maio). O conjunto é tombado pelos órgãos de preservação do patrimônio nas esferas estadual e municipal que, em 2010, aprovaram a intervenção. De acordo com a prefeitura, as diretrizes de uso do conjunto após o restauro levam em consideração a reprodução da diversidade cultural da cidade como uma típica vila paulistana.

Sobre o novo complexo cultural que está sendo conctruído, a prefeitura de São Paulo já informou:

“O uso do espaço será multidisciplinar, com a aproximação de temas como a valorização do patrimônio histórico, artes, educação, gastronomia, lazer e entretenimento. O projeto prevê espaços de lazer e convivência. Um museu multimídia sobre a Vila Itororó e a história de São Paulo na década de 1920 funcionará dentro do complexo que receberá, ainda, residência artística, salas de ensaio, espaços de cinema, teatro, dança, circo, oficinas e playground para crianças”.

Sobre a Concrejato:

Pioneira na modernização de edificações históricas, a Concrejato é especializada na execução de serviços técnicos de revitalização, restauro do patrimônio histórico e arquitetônico, recuperação e reforço estrutural e obras especiais. A empresa atua em grandes obras de infraestrutura no Brasil, realizando a recuperação e reforço de pontes e viadutos, portos e aeroportos. Entre outros projetos, a Concrejato executou as restaurações do Theatro Municipal, da Catedral da Sé, Museu da Língua Portuguesa e do Museu do Futebol, em São Paulo, a revitalização do Museu de Arte do Rio – MAR, os restauros do Mosteiro de São Bento e Cine Palácio, a recuperação do Elevado do Joá e as obras emergenciais do Museu Nacional, no Rio de Janeiro. A companhia está iniciando os trabalhos da maior obra de patrimônio histórico com a recuperação e a modernização do Museu do Ipiranga. Hoje a Concrejato é líder no mercado de recuperação de estruturas e de restauro de patrimônios.

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Raphael Gomide
Fundador e Diretor Geral do ArteCult.com e Sócio-fundador e editor do QuadriMundi. Ambos projetos da Webstaff, sua empresa. Apaixonado pela sua família e por toda forma de ARTE e CULTURA. Nas redes sociais, administra além das páginas do ArteCult e QuadriMundi, as páginas do OlheiroMusical.com, Atuando, Dica de Vinho, Dicas de Filmes, Dicas de Livros, Dicas de Músicas, Futuristiko, Infância80, Olheiro Musical, Bullying nas Escolas, Reação Adversa e Portal TEAmigo (comunidade TEA - Transtorno do Espectro Autista).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *