Teatro do Oprimido e Palhaçaria – Conversas e Convergências : Artistas de Guaíba (RS) lançam e-book sobre convergências entre método de Augusto Boal e a arte ancestral da palhaçaria

Quais as convergências possíveis entre o Teatro do Oprimido – reconhecido método de Augusto Boal – e a Palhaçaria, arte ancestral presente em diferentes culturas?

Na busca desses pontos de fricção entre as duas modalidades, cinco artistas de Guaíba – RS criaram o projeto Teatro do Oprimido e Palhaçaria: Conversas e Convergências.

Atriz Jaqueline Iepsen. Foto: Divulgação.

Ao longo do ano, Jaqueline Iepsen  Palhaça Assuntina , Andréia Alencar e Araxane JardimGrupo Comparsaria das Façanhas Ponto de Cultura Espaço Livre Biguá , Aline Helena Elingen e Isaque Santos  Grupo de Pesquisa Teatral Realejo EnCena realizaram uma série de entrevistas com profissionais atuantes em diferentes projetos dessas áreas em Porto Alegre, São Paulo, nos estados do Paraná e de Santa Catarina, na França e na Alemanha, fomentando troca de conhecimento e aperfeiçoamento técnico aos profissionais/pesquisadores envolvidos.

 

CONFIRA NOSSA ENTREVISTA EXCLUSIVA COM A PESQUISADORA E ATRIZ JAQUELINE IEPSEN

1) Jaqueline, antes de mais nada,parabéns pela pesquisa. Gostaríamos de saber como nasceu o projeto, por favor.

Arte visual do projeto e capa do E-book: Henrique Dallmeyer

O projeto nasceu motivado pelo trabalho e envolvimento que tenho com as duas linguagens: a palhaçaria e as técnicas do Teatro do Oprimido de Augusto Boal. Os vários pontos de convergências das linguagens e as possibilidades de troca de vivências, já faziam parte dos meus pensamentos e das conversas com a “Comparsaria das Façanhas”, com a qual me ancorei e me encorajei para inscrever esta pesquisa no edital “Criação e Formação – Diversidade das Culturas da Fundação Marcopolo e Sedac, por meio da Lei emergencial Aldir Blanc, nº 14.017/2020”.
A “Comparsaria” foi pioneira na multiplicação da metodologia do Teatro do Oprimido na cidade de Guaíba/RS, com a qual conheci e aprendi a ser admiradora e multiplicadora de TO, com os queridos Deia Alencar e Araxane Jardim. As vivências e trabalhos realizados com as linguagens nas duas áreas ainda não eram suficientes para uma pesquisa consistente e de qualidade. Precisava ainda de um suporte maior nos quesitos “Pesquisa, divulgação em mídias, uso de plataformas virtuais, produção textual e diagramação do e-book”. Então, o Realejo EnCena precisava fazer parte, já que Aline Helena Elingen e Isaque Conceição, são referências em pesquisa teatral na cidade. Então, nos juntamos, Assuntina Produções Culturais, Comparsarias das Façanhas e Grupo Teatral Realejo EnCena para conversar e encontrar os pontos de convergências destas duas linguagens tão sólidas e encantadoras. Após nosso projeto ser contemplado no edital, iniciamos os trabalhos oficialmente no dia 15 de abril deste ano.

2) Como está sendo o impacto da pesquisa para os profissionais e pesquisadores envolvidos?

Excelente, empolgante. Conhecemos e conversamos com profissionais/artistas de bastante caminhada em uma ou outra das duas linguagens, e as possibilidades de criação, se abriram enormemente. Com certeza foi e está sendo um trabalho de pesquisa muito agregador para nós, cada um em sua fatia de arte que tem a oferecer, irá irradiar esse conhecimento adquirido com a pesquisa, trilhando outros caminhos e possibilidades, presenteando seus públicos.

Processo de pesquisa. Foto de Eduardo Teixeira.

3) Qual a expectativa de vocês em relação à recepção do e-Book ?

O nosso livro / livrista digital, o nosso E-book, está sendo super bem recebido. Artistas, companheiros de trabalho ligados à palhaçaria e ao TO, professores e grupos artísticos diversos estão nos solicitando e nos retornam com comentários gentis, sobre sua qualidade, ineditismo e criatividade. Ele está sendo distribuído de forma GRATUITA por e-mail e sendo disponibilizado também em bibliotecas virtuais.

4) Gostaríamos que você falasse mais sobre o documentário que também esta nascendo a partir desse interessante projeto, por favor.

O vídeo documentário que estamos finalizando, será uma amostragem de todo o nosso processo, destes 5 meses de trabalho. Vamos mostrar desde o trabalho de criação da nossa imagem, trechos das conversas com os nossos convidados, os encontros virtuais, estudos e prática dos “Jogos e Exercícios” de Boal. Queremos mostrar neste vídeo, a diversidade do trabalho desenvolvido.

 

O registro dessas conversas, aliado à pesquisa corporal e teórica do método do Teatro do Oprimido e suas convergências com a linguagem da Palhaçaria, é o tema do e-book, disponível gratuitamente através do e-mail to.palhacaria@gmail.com

Para receber o exemplar do e-book, gratuitamente, basta enviar uma mensagem colocando no assunto EU QUERO!

Na intenção de compartilhar esse processo (que também envolveu oficinas práticas, virtuais\gratuitas) e de incentivar futuras pesquisas, o grupo também está finalizando um vídeo-documentário a ser lançado no próximo dia 19 de setembro.

O projeto foi realizado com recursos da Lei Aldir Blanc, nº 14.017/2020, através do edital Criação e Formação – Diversidade das Culturas, da Fundação Marcopolo em parceria com a SEDAC/RS.

 

Arte visual do projeto e capa do E-book: Henrique Dallmeyer

SERVIÇO: 

Lançamento e distribuição do e-book Teatro do Oprimido e Palhaçaria: Conversas e Convergências

  • Quando? De setembro a dezembro de 2021
  • Como? Via e-mail to.palhacaria@gmail.com . Quem desejar o e-book deve enviar e-mail com o assunto: EU QUERO! para solicitar seu exemplar GRATUITO 
  • Contato: (51) 98458-7354

 

 

César Manzolillo – colunista do canal LITERATURA 

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

César Manzolillo
Carioca, licenciado em Letras (Português – Literaturas) pela UFRJ, mestre e doutor em Língua Portuguesa pela mesma instituição, com pós-doutorado em Língua Portuguesa pela USP. Participante de vinte e quatro antologias literárias. Autor do livro de contos A angústia e outros presságios funestos (Prêmio Wander Piroli, UBE-RJ). Professor de oficinas de Escrita Criativa. Revisor de textos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *