Encontro de Gigantes do Pop Rock Brasileiro – Skank e Os Paralamas do Sucesso fazem show no Rio de Janeiro

Com muita participação do público, que era composto por todas as idades desde aqueles que curtiram as bandas na época que foram lançadas até os mais jovens que herdaram a cultura, Os Paralamas do Sucesso e Skank subiram ao palco do Rio de Janeiro, no KM de Vantagens Hall neste último dia 9.

O primeiro show da noite foi Os Paralamas do Sucesso e como dito pelo próprio Herbert Vianna foi um note mágica e muito especial diante do brilho no olhar de cada um ali presente. “Sinais de Sim” foi a música de abertura para um show cheio de grandes sucessos como: “Alagados”, “Meu Erro”, “Uns Dias” e “Ela Disse Adeus”.

O som da percussão era arrebatador e os instrumentos de sopro tomaram conta da casa.  E na hora de “andar pela linguagem do blues, pela música negra”, segundo o cantor Herbert Vianna, “Caleidoscópio” fez todo mundo cantar antes de um solo de guitarra arrebatador do cantor.

Para dar um gostinho de quero  mais, Samuel Rosa subiu ao palco e cantou junto dos Paralamas “Lourinha Bombril”. Samuel quando subiu ao palco disse:Um amigo falou para meu pai  que desejava que o filho dele  tivesse grandes professores, Deus atendeu os pedidos e hoje eu estou aqui tocando com meus professores.”

E depois de mais sucessos como “Uma Brasileira” e “Vital e Sua Moto”, rolou um bis com um dos maiores sucessos da banda “Óculos”.

 

Depois de uma troca de palco, ao som de “Do Mesmo Jeito (Com Claquete)” Skank colocou todo mundo para se mexer e já chegou causando uma grande comoção quando Samuel Rosa dedicou “É Uma Partida de Futebol”  para todos os familiares e para os meninos do Flamengo, presentes na tragédia que aconteceu no CT do time nesta semana. 

 

“Esmola”, “Uma Canção É Para Isso“, “Saideira” e “É Proibido Fumar”, foram alguns dos sucessos que deram início a um show muito animado e cheio de saudades, já que o grupo se apresenta na casa desde ainda tinha o nome de Metropolitan, quando inaugurada. Samuel e todos os músicos esbanjaram alegria e mais do que técnica no palco. O som parece melhorar a cada show – se é que é possível – e a resposta do público vem a altura da qualidade da música. 

Teve uma pausa para foto e logo depois um momento mais calmo com direito a “Canção Noturna” , “Amores Imperfeitos” e “Ainda Gosto Dela”  com momento acústico junto do público, afinal a cidade que o grupo mais tem DVD’S/CD’S ao vivo, merece né. Esse momentos mais romântico antecedeu o encontro dos grupos no palco que claramente levou todos a loucura, com tantos músicos excepcionais dividindo funções no palco, não tinha como ficar ruim.

“Te Ver” , “Você”, e “Gostava Tanto que Você” foram as primeiras músicas escolhidas para esse encontro, já que após o término do show do Skank que ainda contou com “Sutilmente”, “Vamos Fugir”  e um bis com “Respostas”, as bandas se encontraram no palco novamente. Dessa vez com uma pegada bem reggae, as bandas tocaram Bob Marley e logo depois Tim Mais. E como um pedido de fã, Samuel pediu para tocar junto dos Paralamas uma música que eles já tinham até tocado, “O Beco”.  

 

São encontros assim que unem pessoas de todas as idades, todas as cores e até mesmo misturam alguns estilos musicais, mostram que a música realmente não tem barreira e merece sempre um grande espaço.

 

MARI BARCELOS

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

maribarcelos
Eu me chamo Mariane Barcelos, tenho 26 anos, sou designer e estudante de Audiovisual, construindo uma carreira na área. Já viajei para quase todos os cantos do mundo, inclusive já fui para fora do planeta, já dei um pulo em Marte, conheci uns anéis de Saturno e me aventurei em galáxias muito distantes, me transformei em bruxa, loba e vampira, também já fui super heroína e vilã. Não pensem que sou louca, sou apenas uma cinéfila que enxerga nos filmes uma maneira de se desconectar da realidade, ou quem sabe me conectar, com a minha realidade. Quando eu vejo um filme é para me conectar com aquele mundo, se não estou no clima, digo "nossa que dor de cabeça" e fica para um outro momento. Cinema é para ser sentido, para se apaixonar e se iludir. Encantar. Espero poder compartilhar com vocês, toda essa emoção que eu sinto ao assistir um filme e conseguir fazer com que vocês também embarquem nessa viagem sem destino. Agora através do ArteCult, também faça cobertura de eventos, como o Festival do Rio, RioMarket, Pré-Estreias e afins. Assim como nos filmes, espero poder trazer grandes novidades e coberturas completas em todas as mídias sociais, para que vocês, leitores, possam se sentir sempre imersos ao nosso universo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *