Conheça a classificação dos vinhos mais célebres do mundo: os vinhos de Bordeaux

Napoleão III

GRANDS CRUS CLASSÉS – BORDEAUX 1855

Neste meu primeiro artigo, gostaria de apresentar a classificação dos vinhos mais célebres do mundo: os vinhos de Bordeaux. Conheça um pouco da história da classificação e a famosa lista de vinhos criada em 1855.

A História da Classificação

Em 1855, Napoleão III, imperador da França, decidiu lançar uma Exposição Universal em Paris, uma espécie de feira mundial, que foi realizada no Campo de Marte em Paris entre 15 de Maio e 15 de Novembro do mesmo ano e queria que todos os vinhos do país fossem representados. Napoleão III convidou a Câmara de Comércio de Bordeaux a organizar uma exposição, ao que prontamente concordaram, de acordo com seus registros, em apresentar “todos os nossos ‘crus classés‘, em até cinco classes”, mas pediram ao Sindicato dos “Courtiers”, uma organização de comerciantes de vinhos, que elaborasse uma “lista exata de todos os vinhos tintos da Gironde que especifique em qual classe pertence cada vinho”.

Curiosamente, todas as seleções dos Courtiers vieram do Médoc, com a única exceção de Haut-Brion (eles também classificaram os vinhos brancos doces de Sauternes e Barsac). Não que outras regiões vitivinícolas não estivessem ativas; Graves apresenta uma história muito mais longa, e Cheval-Blanc em St.-Emilion, e Canon em Fronsac foram altamente considerados logo no início do século XIX, porém a revolução na qualidade do vinho no século XVIII se concretizou primeiro e mais firmemente no Médoc.

Praça da Bolsa de Bordeaux e seu reflexo no maior espelho d’água do mundo.

A reação à classificação foi acalorada. A lista original dos Courtiers classificava os “chateaux” por qualidade em cada classe, então, por exemplo, o Château Mouton-Rothschild apareceu na liderança dos vinhos da segunda classe. Mas, indubitavelmente, respondendo às críticas, eles escreveram à Câmara de Comércio de Bordeaux no início de setembro, insistindo que nenhuma hierarquia havia sido planejada. Então a Câmara reorganizou a lista de cada classe em ordem alfabética.

Essa classificação sofreu duas pequenas mudanças desde a sua criação. A primeira é de 16 de setembro de 1855, enquanto a Exposição Universal em Paris ainda acontecia: Château Cantemerle foi então adicionado como quinto cru, através de um simples manuscrito de adição à lista anterior. O pedido da dona do Château à época, Caroline de Villeneuve-Durfort, foi aceito pelo sindicato dos Courtiers de Bordeaux, porque os seus vinhos eram vendidos diretamente aos seus clientes (especialmente holandeses) até 1854, sem passar pelos comerciantes de Bordeaux que, portanto, não levaram em consideração seu preço ao longo de vários anos.

A segunda mudança ocorreu em 21 de junho de 1973: o Château Mouton-Rothschild foi alçado do Deuxième Cru ao Premier Cru, por uma decisão assinada pelo então ministro da Agricultura Jacques Chirac, no governo de Georges Pompidou (1911-1974), Presidente da França no período de 20 de junho de 1969 a 2 de abril de 1974, dando satisfação aos repetidos pedidos arquivados em 1961, 1969 e 1971 feitos pelo Barão Philippe de Rothschild (1902-1988). O último pedido não teve aceitação de seu primo, Elie de Rothschild, dono do Château Lafite-Rothschild, e Alexandre de Lur-Saluces, dono do Château d’Yquem. O lema do Château passou por uma mudança de “Premier ne puis, second ne daigne, Mouton suis” (“Primeiro não posso, Segundo não aceito, sou o Mouton”) para “Premier je suis, second je fus, Mouton ne change” (“Primeiro eu sou, segundo eu fui, Mouton não muda”).

Baron Philipe de Rothschild

A Classificação

Classement Médoc

PREMIERS CRUS – 5

  1. Château LAFITE-ROTHSCHILD – Pauillac
  2. Château LATOUR – Pauillac
  3. Château MARGAUX – Margaux
  4. Château HAUT-BRION – Pessac-Léognan
  5. Château MOUTON ROTHSCHILD – Pauillac (classé en 1973)

DEUXIÈMES CRUS – 14

  1. Château BRANE-CANTENAC – Margaux
  2. Château COS d’ESTOURNEL – Saint-Estèphe
  3. Château DUCRU-BEAUCAILLOU – Saint-Julien
  4. Château DURFORT-VIVENS – Margaux
  5. Château GRUAUD LAROSE – Saint-Julien
  6. Château LASCOMBES – Margaux
  7. Château LÉOVILLE BARTON – Saint-Julien
  8. Château LÉOVILLE LAS CASES – Saint-Julien
  9. Château LÉOVILLE-POYFERRÉ – Saint-Julien
  10. Château MONTROSE – Saint-Estèphe
  11. Château PICHON LONGUEVILLE COMTESSE de LALANDE – Pauillac
  12. Château PICHON-LONGUEVILLE – Pauillac
  13. Château RAUZAN-GASSIES – Margaux
  14. Château RAUZAN-SÉGLA – Margaux

TROISIÈMES CRUS – 14

  1. Château BOYD-CANTENAC – Margaux
  2. Château CALON-SÉGUR – Saint-Estèphe
  3. Château CANTENAC BROWN – Margaux
  4. Château d’ISSAN – Margaux
  5. Château DESMIRAIL – Margaux
  6. Château FERRIÈRE – Margaux
  7. Château GISCOURS – Margaux
  8. Château KIRWAN – Margaux
  9. Château LA LAGUNE – Haut-Médoc
  10. Château LAGRANGE – Saint-Julien
  11. Château LANGOA BARTON – Saint-Julien
  12. Château MALESCOT SAINT-EXUPÉRY – Margaux
  13. Château MARQUIS d’ALESME – Margaux
  14. Château PALMER – Margaux

QUATRIÈMES CRUS – 10

  1. Château BEYCHEVELLE – Saint-Julien
  2. Château BRANAIRE-DUCRU – Saint-Julien
  3. Château DUHART-MILON – Pauillac
  4. Château LA TOUR CARNET – Haut-Médoc
  5. Château LAFON-ROCHET – Saint-Estèphe
  6. Château MARQUIS de TERME – Margaux
  7. Château POUGET – Margaux
  8. Château PRIEURÉ-LICHINE – Margaux
  9. Château SAINT-PIERRE – Saint-Julien
  10. Château TALBOT – Saint-Julien

CINQUIÈMES CRUS – 18

  1. Château BATAILLEY – Pauillac
  2. Château BELGRAVE – Haut-Médoc
  3. Château CANTEMERLE – Haut-Médoc
  4. Château CLERC MILON – Pauillac
  5. Château COS LABORY – Saint-Estèphe
  6. Château CROIZET-BAGES – Pauillac
  7. Château d’ARMAILHAC – Pauillac
  8. Château DAUZAC – Margaux
  9. Château de CAMENSAC – Haut-Médoc
  10. Château du TERTRE – Margaux
  11. Château GRAND-PUY DUCASSE – Pauillac
  12. Château GRAND-PUY-LACOSTE – Pauillac
  13. Château HAUT-BAGES LIBÉRAL – Pauillac
  14. Château HAUT-BATAILLEY – Pauillac
  15. Château LYNCH-BAGES – Pauillac
  16. Château LYNCH-MOUSSAS – Pauillac
  17. Château PÉDESCLAUX – Pauillac
  18. Château PONTET-CANET – Pauillac

Classement Sauternes

PREMIER CRU SUPÉRIEUR – 1

  1. Château d’YQUEM – Sauternes

PREMIERS CRUS – 11

  1. Château LA TOUR BLANCHE – Sauternes
  2. Château LAFAURIE-PEYRAGUEY – Sauternes
  3. Clos HAUT-PEYRAGUEY – Sauternes
  4. Château de RAYNE VIGNEAU – Sauternes
  5. Château SUDUIRAUT – Sauternes
  6. Château COUTET – Barsac
  7. Château CLIMENS – Barsac
  8. Château GUIRAUD – Sauternes
  9. Château RIEUSSEC – Sauternes
  10. Château RABAUD-PROMIS – Sauternes
  11. Château SIGALAS RABAUD – Sauternes

DEUXIÈMES CRUS – 15

  1. Château de MYRAT – Barsac
  2. Château DOISY DAËNE – Barsac
  3. Château DOISY-DUBROCA – Barsac
  4. Château DOISY-VÉDRINES – Barsac
  5. Château d’ARCHE – Sauternes
  6. Château FILHOT – Sauternes
  7. Château BROUSTET – Barsac
  8. Château NAIRAC – Barsac
  9. Château CAILLOU – Barsac
  10. Château SUAU – Barsac
  11. Château de MALLE – Sauternes
  12. Château ROMER du HAYOT – Sauternes
  13. Château ROMER – Sauternes
  14. Château LAMOTHE – Sauternes
  15. Château LAMOTHE-GUIGNARD – Sauternes

Por Gianni Tartari | Sommelier Profissional

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Gianni Tartari
Formado e homologado como Sommelier Profissional em 1988 pela ABS – Associação Brasileira de Sommeliers, seção Rio de Janeiro, participou de vários concursos e obteve os títulos de Melhor Sommelier do Brasil em 1991 e 1994, Melhor Sommelier do Rio de Janeiro em 1990 e 1993. Representou o Brasil no VII, VIII e IX Concurso Mundial de Sommeliers, Rio de Janeiro - Brasil 1992, Tóquio - Japão 1995 e Viena - Áustria 1998, respectivamente. Foi colunista mensal da revista Época São Paulo, publicada pela editora Globo, na seção Adega. Manteve o blog Goles & Letras sobre os vinhos que degustou e curiosidades a respeito do mundo dos vinhos. Um dos profissionais mais respeitados do Universo dos Vinhos: foi Wine Director, Consultor Técnico, Brand Embassador, chef sommelier, Wine Hunter, etc das maiores empresas tais Loup, Cantaloup, Seen, Hotel Tivoli, Ristorantino, Grupo Forneria San Paolo, La Tambouille e Cucina, Hotel Emiliano, Importadora Expand, Grupo FASANO (quando atuou como consultor para as maiores empresas do Brasil), De Mour entre outras. E como colunista mensal e editor de vinhos de revistas do segmento tais como a Época e GOSTO. Gianni Tartari é Membro “Chevalier” da Ordre des Coteaux du Champagne. Gianni Tartari Sommelier +5511 9 8339.5797 e-Mail: sommelier@giannitartari.com Site: www.giannitartari.com

2 comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *