Especial OSCAR 2018: O Artista do Desastre…

… que de desastroso não tem nada.

Artista do Desastre conta a história de um dos piores filmes já realizados. Escrito, produzido, atuado e dirigido por Tommy Wiseau em seu primeiro trabalho, The Room.

E James Franco também assumiu todas essas funções no filme!

O filme é extremamente cuidadoso em retratar essa obra, que se tornou clássica acidentalmente, para que não vire apenas uma piada sobre toda essa loucura, inclusive, eu acredito, a atuação de James foi mais que essencial para isso ocorrer.

Os fãs de The Room, irão se familiarizar e até se surpreende com a maneira fiel que são retratadas as cenas, realmente não incrivelmente parecidas, cada detalhe, cada fala, figurino, ângulos de câmera, as atuações e caracterizações, tudo tudo — James mostra de forma praticamente orgulhosa em um split-screen já no fim do filme, vale ressaltar a delicadeza que estava presente nas cenas em que mostram momentos ruins ao longo do roteiro – mesmo que no todo, tudo continue uma grande comédia bagunçada.

Creio que o fato de Franco ter assumido todas as funções assim como Wiseau, agrega a história mais veracidade e paixão. Todos os detalhes estão presentes.

O filme conta com irmãos (James Franco e Dave Franco) atuando como melhores amigos, Dave faz o papel de Greg Sestero que acaba sendo uma base na vida de Tommy, ele traz todo o frescor de um jovem que sonha em ser um grande astro das telonas, que vai amadurecendo ao longo de todo o processo, não só na sua carreira, mas também como pessoa e isso influencia Wiseau.

Ah! Além disso, quem faz o papel da namorada do Greg no filme, a Amber, é sua esposa Alison Brie . Podemos ver algumas participações pequenas ao longo do filme, como Zac Efron e Josh Hutcherson.

Uma curiosidade: Seth Rogen, que dá vida ao um dos únicos membros da equipe sensato, e que aponta todo o tempo o quão ridículo e desgastante está sendo toda aquela produção, é um dos melhores amigos de James Franco, o que na minha opinião acaba trazendo mais ainda um tom tão pessoal ao filme, quanto no original.

Um filme simplesmente maravilhoso, que com certeza (assim espero), estará presente no Oscar.

Então, corram para assistir e depois deixem seus cometários!

Siga-nos no Instagram @artecult / @barcelosmariane

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

maribarcelos
Eu me chamo Mariane Barcelos, tenho 25 anos, sou designer e estudante de Audiovisual, construindo uma carreira na área. Já viajei para quase todos os cantos do mundo, inclusive já fui para fora do planeta, já dei um pulo em Marte, conheci uns anéis de Saturno e me aventurei em galáxias muito distantes, me transformei em bruxa, loba e vampira, também já fui super heroína e vilã. Não pensem que sou louca, sou apenas uma cinéfila que enxerga nos filmes uma maneira de se desconectar da realidade, ou quem sabe me conectar, com a minha realidade. Quando eu vejo um filme é para me conectar com aquele mundo, se não estou no clima, digo "nossa que dor de cabeça" e fica para um outro momento. Cinema é para ser sentido, para se apaixonar e se iludir. Encantar. Espero poder compartilhar com vocês, toda essa emoção que eu sinto ao assistir um filme e conseguir fazer com que vocês também embarquem nessa viagem sem destino. Agora através do ArteCult, também faça cobertura de eventos, como o Festival do Rio, RioMarket, Pré-Estreias e afins. Assim como nos filmes, espero poder trazer grandes novidades e coberturas completas em todas as mídias sociais, para que vocês, leitores, possam se sentir sempre imersos ao nosso universo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *