Música: Melro convida a desacelerar no single “Conversa de Pescador”

Crédito: Jefferson Luz

O contraste entre o orgânico e o eletrônico, o cinza das cidades e o azul do mar, a pressa e a calmaria guia “Conversa de Pescador”, segundo single de Melro, projeto do cantor e compositor Marcio de Andrade ao lado do produtor e multi-instrumentista Renato Amu. A faixa já está disponível nos serviços de streaming e amplia a sonoridade apresentada no clipe de estreia, “Convidada Indesejada”.

Ouça “Conversa de Pescador”: https://smarturl.it/ConversaDePescador

Ao mirar seu olhar de compositor nos encontros e desencontros da vida moderna nas grandes cidades, Melro encontra a paz no mar. Se conversa de pescador remete ao imaginário, aqui a expressão ganha vida real e convida a experienciar cada detalhe que passa despercebido em meio à correria do dia-a-dia. A inspiração veio das cidades praianas onde o artista viveu – primeiro, Natal (RN), e depois o Rio de Janeiro (RJ) -, mas vai além e se apropria do conceito japonês wabi-sabi, que aceita a transitoriedade e a imperfeição como parte da nossa humanidade.

 

“É sobre o pescador que entra no mar com sua jangada, ainda pela noite, e faz suas preces para colher o dia que vem com a manhã. Em contraste, a cidade, com todo o seu concreto e janelas misteriosas é pano de fundo para o mar, por vezes calmo e por vezes tomando o que é seu sem pedir licença”, explica Marcio.

“As paisagens litorâneas estão presentes na estética que me atravessa. Embora não seja uma pessoa solar, gosto de saber que a praia vai estar bem ali pertinho. Essa praia que me habita traz suavidade, calma e uma agradável neblina. O vento bate frio no rosto enquanto o sol do fim da tarde aquece com todo o equilíbrio e calma da mudança de seu turno com a lua. Essa é a paisagem que me atravessa e as cores com as quais eu tento pintar minhas canções”, completa o artista, que compôs a letra. Já a sonoridade de “Conversa de Pescador” foi construída ao lado de Renato Amu, responsável pela produção e execução de todos os instrumentos (violão, guitarra, baixo e sequencers).

 

A inspiração sonora veio de linhas de baixo de bandas como The Verve, Coldplay e Oasis. Havia, também, uma sintonia temática, de acessar a imagem de um sol não escaldante, de uma melancolia doce que não é deprimente, nem necessariamente feliz – mas sempre poética.

Melro é a personificação de poemas e canções compostos por Andrade há muitos anos e guardados em gavetas, ganhando vida apenas no escuro do quarto. Vocalista com experiência em bandas potiguares como Ledgers e Astúria e a carioca Inventário, Marcio mostrou sua versatilidade ao integrar coros-cênicos, sendo solista do Coletivo Embando e do grupo vocal Dá No Coro (indicado a categoria melhor grupo MPB no 27º Prêmio da Música Brasileira). Além disso, formou-se ator na centenária Escola Estadual de Teatro Martins Penna.

Mais tarde, se uniu a outros cantores parceiros para fazer uma série de shows no Beco das Garrafas (RJ) revisitando canções do Clube da Esquina. Já com o amigo Yves Baeta, mesclou músicas autorais com releituras de Milton Nascimento em uma série de shows. Foi ao participar do projeto Live a Live, que unia músicos e novos artistas, que Andrade conheceu o produtor carioca Renato Amu. Ele o convidou a gravar a voz em uma canção sua, “Convidada Indesejada”. Logo notaram o diálogo e afinidades estéticas entre suas ideias. Durante uma pausa na gravação, Marcio tocou uma canção de sua autoria: “Conversa de Pescador”. Amu então sugeriu que a gravassem também, registrando assim as duas primeiras faixas do projeto solo Melro.

O nome veio carregado de nostalgia: trouxe o mesmo pseudônimo que Marcio utilizava em um Tumblr para postar poemas. Já a identidade sonora vem da nova MPB, do pop singer-songwriter, do indie, do rock e do britpop dos anos 90 e 2000, desembocando em elementos eletrônicos. O resultado pode ser visto inicialmente no single e clipe “Convidada Indesejada”, cujo vídeo foi gravado no litoral do Recife com direção de Sylara Silvério e roteiro de Carlos Augusto Domingos.

 

Assista ao clipe “Convidada Indesejada”:

 

Agora, Melro amplia essa sonoridade ao revelar “Conversa de Pescador”. Em breve, será iniciada a gravação do primeiro EP do projeto.

 

Letra – Conversa de Pescador (M. de Andrade)

Sigo as marcas na areia

Sem saber aonde vão dar

Já não tenho tanta pressa

E caminho devagar

Piso fundo na água rasa

Da imensidão do mar

(Refrão)

Viaje o mundo e volte aqui

Pra onde não existem portas

Cair na praia e ouvir velhas estórias

Até a luz trazer

Deixo as marcas na areia

Sem me importar em chegar

Filosofia é a pedra

Que se move devagar a bem saber

Que não pode evitar as ondas

(Refrão)

Viaje o mundo e volte aqui

Pra onde não existem portas

Viver na praia e ouvir velhas estórias

Até a luz trazer

(Refrão)

Viaje o mundo e volte aqui

Pra onde não existem portas

Morrer na praia e ouvir velhas estórias

Até a luz trazer um novo dia

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Daniela Fróes
Musicalmente eclética, apaixonada pela diversidade dos estilos, das festas e festivais, amante de uma boa música, principalmente das batidas eletrônicas. #Música #MúsicaEletrônica - Nunca se precisou de drogas para senti-la, a essência da batida, a sonoridade toca a alma de um jeito que não da pra ficar parado! "Quem não sente a melodia acha maluco quem dança"!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *