Leilão na Fonte: projeto se consolida como forma de democratizar o acesso à arte

Realizado totalmente online, o leilão é uma nova tendência no mercado de arte

O Leilão na Fonte, realizado em parceria com a Úmida Arte, desde 2017, utiliza o perfil no Instagram @leilaonafonte, como única ferramenta de operação. O projeto contabiliza 10 edições, e já vendeu mais de 150 obras, de mais de 70 artistas, e estima-se que tenha arrecadado cerca de 90 mil reais, valor distribuído para artistas e instituições, e para pagar o custeio do leilão. Os recursos da próxima edição, que abre neste dia 18 de junho, serão destinados à Casa Amarela, localizada no Morro da Providência, projeto criado pelo artista frânces JR que atende crianças com projetos educacionais e culturais de forma gratuita.

Dentre os reflexos positivos provocados pelo leilão, pode-se dizer destacar a visibilidade e comercialização de obras de artistas novos, de comunidades, criando a cultura do exercício da arte como profissão, como reconhecimento. Como as obras iniciam do lance de “zero real” acabam sendo arrematadas por valores acessíveis trazendo novos públicos para a prática do colecionismo de arte. Ao final o lucro é revertido para ONGs educacionais, como um exemplo de que é possível fazer o que se gosta e ajudar as pessoas.

Na opinião do artista Acme que já participou de vários leilões, a ação da Úmida Art abre portas para novos artistas conseguirem visibilidade:

“É uma coisa boa para novos talentos. Em um país em que é difícil ser artista e consumir arte, ter uma plataforma virtual que articula isso é muito bom. A galeria é um local mais elitizado, as vezes você tem até medo de entrar, e ali é virtual se você gosta da obra dá um lance e participa do processo.” diz Acme.

Quando artista Rafael Meggetto, um dos sócios da Úmida Art, realizou seu primeiro leilão ainda em seu instagram pessoal, não imaginava que a idéia se tornaria um projeto com tanta de mobilização em torno da arte. Começar um leilão, sem lance inicial, parecia uma ideia surreal, mas na época queria que sua arte chegasse até a casa das pessoas, vivia uma nova fase na carreira, migrando do design gráfico, do escritório, para o ateliêr de pintura, criar arte autoral. Queria escoar uma antiga produção, para que o novo viesse.

“No mesmo momento, antes de começar a leiloar, decidi que parte do que eu conseguisse arrecadar seria destinado a algum projeto social, queria ajudar de alguma forma pessoas mais necessitadas com a minha arte”, diz Rafael.

O Arte Salva, foi o primeiro a receber apoio do leilão, projeto que ajuda crianças do Lixão de Gramacho:

“Foi um sucesso! Consegui em dois meses de leilão arrecadar para o projeto quase o valor de um ano de doação! Isso me motivou e com o tempo pensei que esta idéia poderia envolver outros artistas e mobilizar novos públicos”, diz Rafael.

Acesso à arte

O Leilão na Fonte tem como principal objetivo dar acesso a arte, nas palavras de Rafael “É presente do artista para o público, pois começa do valor zero, uma chance única do público ter acesso a excelentes obras”. Além da formação de novos públicos, também é uma forma de um artista que está estreando no mercado poder apresentar seu trabalho, fazer com que sua obra chegue a casa das pessoas, perceber como as pessoas se relacionam com sua obra. De acordo com Rafael é possível levantar muitas informações sobre o comportamento do público, “Diante da crise o Leilão na Fonte tem sido um excelente instrumento de manter a circulação de arte ativa, um lugar único para novos colecionadores conseguirem boas peças, afinal começamos sempre do zero, e essa é a brincadeira”. Diz Rafael.

Filantropia

Um dos princípios do Leilão na Fonte é a filantropia, parte dos recursos do leilão é destinada para entidades filantrópicas. Dentre as casas que já receberam doações temos: Adapt Surf, Favela Brass, Arte Salva, Projeto Papo com zero, Solar Meninos de Luz, Roda Cultural do Terreirão, Fórum Faz Cultura, Anjos do Picadeiro e Mariscarte.

Os recursos do próximo Leilão na Fonte, que abre neste dia 18 serão destinados à Casa Amarela, que também funciona como residência artística e recebe projetos especiais, todos voltados para dar às crianças da comunidade mais acesso a educação e arte e visibilidade global à comunidade. Para os próximos leilões já estão programados o Projeto Fêmea Alma Fala e o projeto Papo na Escola.

Veja exemplos de posts do leilão na Fonte:

O slogan do Leilão na Fonte “Onde pinga não seca”, faz referência a continuidade como caminho para a prosperidade, refere-se também à tendência contemporânea de compartilhamento, colaboratividade e inclusão, que são verdadeiros mantras dos sócios Rafael Meggetto, Marcio Regaleira e Rafael Carvalho na condução das atividades da Úmida Art, produtora artística que também articula projetos de arte, murais e intervenções, marketing institucional e filantropia.

Quem quiser participar do Leilão na Fonte basta seguir o perfil @leilaonafonte.

ANA MARIA LIMA

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

ANA MARIA LIMA
Ana Maria Carvalho é jornalista, fotógrafa, especializada em comunicação e psicanalista. Empresária especializada em Arte Contemporânea. Escreve sobre artistas, galerias, feiras e exposições.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *