“JORGE MARAVILHA”: VELHAS VIRGENS lança versão punk rock da canção de Chico Buarque

O novo lançamento das Velhas Virgens é a regravação de “JORGE MARAVILHA“, a canção de Chico Buarque de 1974 cheia de lendas ao seu redor. A música foi gravada pelas Velhas em 1998, para o CD “Sr Sucesso” (lançado em 1999 nas bancas), acabou não entrando no disco na época. A canção foi recuperada, remasterizada e está sendo reapresentada para o público. O que era um samba-rock na voz do Chico virou um punk rock cheio de guitarras com as Velhas.

Ouça “Jorge Maravilha”:

https://onerpm.link/jorgemaravilha

A história da música já merecia um filme. Chico Buarque, para escapar da censura, assume o pseudônimo de Julinho da Adelaide, manda a letra da música, entre vários versos românticos, para a Polícia Federal. Com a aprovação e sem a obrigação de gravar tudo o que foi aprovado, escolheu o que queria da letra e, em 1974, saiu no projeto de Jads Macalé intitulado “Banquete dos Mendigos”, gravado no concerto em homenagem aos 25 anos da “Declaração Universal dos Direitos Humanos”.

Alguns acreditavam que a música teria sido feita para filha do ex-presidente Gerneral Geisel por causa do verso “Você não gosta de mim, mas sua filha gosta”. Chico dá sua versão dos fatos:

“Aconteceu de eu ser detido por agentes de segurança (do Dops), e no elevador o cara pedir autógrafo para a filha dele. Claro que não era o delegado, mas aquele contínuo de delegado”.

Se a lenda for melhor que a verdade, fique com a lenda!

Velhas Virgens. Foto: Rafa Rezende

Histórias à parte, a música virou um rock na versão das Velhas Virgens com interpretação bem pessoal e muito humor. Hoje eles sabem que cometeram alguns erros na letra da música, mas acho que o Chico há de os perdoar, no final dos anos 80 não era tão fácil achar as letras corretas. Paulão insiste que não errou e sim mudou de propósito algumas palavras da letra original só para poder alardear que fez uma letra em parceria com Chico Buarque. E durma-se com um barulho destes!

Os vocais agressivos e cheios de sarcasmos de Paulão de Carvalho dão o tom da música enquanto as guitarras fazem uma parede sonora punk rock com influência dos Ramones. A batera e baixo fazem uma cozinha de linhas bem definidas, indo direto ao ponto. Um rock sem firulas, pra bater cabeça, que termina com uma citação ao AC/DC!

Gravação

  • Paulão de Carvalho – Voz
  • Alexandre Cavalo Dias – Guitarra
  • Tuca Paiva – Baixo
  • Caio Andrade – Guitarra
  • Mário “Lips” Freire – Batera
  • Produção de Fábio Haddad
  • Lançada pela Gabaju Records

 

 

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Redação ArteCult.com
Redação do Portal ArteCult.com.   Expediente: de Seg a Sex - Horário Comercial.   E-mail para Divulgação Artística: divulgacao@artecult.com.   Fundador e Editor Geral: Raphael Gomide.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *