FUERZA BRUTA ESTREIA NO ROCK IN RIO E MOSTRA A IMPORTÂNCIA DO FESTIVAL PARA AMÉRICA LATINA E COMO ELE FEZ HISTÓRIA NO CENÁRIO MUNDIAL

Cena do ensaio para o show na Argentina. Ensaios no Brasil começam uma semana antes do festival

  Pela primeira vez no Rock in Rio, a companhia argentina FUERZA BRUTA, conhecida mundialmente pela inesquecível experiência inovadora e revolucionária de seus espetáculos, ocupará uma Arena Olímpica fazendo a plateia mergulhar na história do Rock in Rio. Serão 5 sessões diárias com 30 minutos de duração para uma plateia de 3 mil pessoas em cada apresentação.

 “UMA EXPERIÊNCIA EXTREMA, COMO A ESSÊNCIA DO ROCK IN RIO, NO LIMITE”, Diqui James, Diretor Criativo

“Vamos fazer história! Vamos conquistar nosso lugar na História!”.

É movido por este chamado, com punhos cerrados e corações a mil, que o FUERZA BRUTA estreia no Rock in Rio, tomando a Arena Olímpica da Cidade do Rock para uma apresentação inédita, grandiosa e inesquecível.

Mundialmente conhecido por sua energia e experimentalismo, o grupo argentino Fuerza Bruta fará o público mergulhar em todas as sensações já vividas pelo público na história do maior evento de música e entretenimento do mundo, em cinco apresentações diárias, durante todo o festival. Cenografias inusitadas, acrobacias delirantes, performances de dança e a potente mistura de sons ao vivo e eletrônicos conduzem o surpreendente espetáculo.

“Sempre gostei muito desse espírito do Rock in Rio, de tornar possível o impossível. Nós também temos o mesmo espírito. Já escutamos muitas frases do tipo ‘Isso nunca dará certo’, ‘não tem jeito de fazer um show assim’ ou ‘aqui na Ásia (América ou Europa) é inviável…’. E acabamos fazendo shows no mundo todo, da forma que queríamos”, conta, entusiasmado, Diqui James, Diretor Criativo do Fuerza Bruta. “O Rock in Rio é um evento icônico para toda a América Latina. Eu tinha 20 anos na primeira edição, e era uma grande ousadia, há quase 35 anos atrás, querer reunir as maiores bandas de rock do planeta numa cidade como o Rio.  Nós entendemos essa história, somos parte dessa história e somos contemporâneos dessa história. Agora aplicamos toda a nossa linguagem, força e experiência para mostrar às pessoas a energia do Rock in Rio”.

Serão 30 minutos de imersão no mundo gigantesco e revolucionário do festival. “O público vai sentir e viver o que é o Rock in Rio por completo, de maneira viva. Como se fundou, como arrancou, como conquistou, sua energia gigantesca, e como conseguiu com que todo o mundo olhasse para o Rio”, diz ele. O espetáculo é dinâmico, tem um ritmo frenético e uma energia muito elevada. “É um momento para ser vivido com todos os sentidos, em que seu corpo faz parte do show. A temperatura do espetáculo é o espectador, não a obra. Será uma experiência extrema, como a essência do Rock in Rio, no limite”, garante Diqui.

O maior desafio do grupo é contar essa história já conhecida de uma maneira inovadora. Para isso, ele deixou de lado abordagens mais lineares ou realistas e tomou momentos icônicos do festival para guiar o público: “São situações inesperadas e inesquecíveis, como a chuva e a lama de 1985, o público massivo, suas causas ambientais, os diferentes tipos de sons que ecoam na Cidade do Rock e suas grandes dimensões. Para se ter uma ideia, em uma importante cena, o Rock in Rio aparece simbolizado como um grande planeta, um grande mundo chegando no meio da cidade”, explica.

BRASILEIROS – Para dar vida ao espetáculo, o Fuerza Bruta convocou participações mais que especiais. Dois jovens cantores cariocas terão posições de destaque no enredo e foram selecionados por Diqui James em audições disputadas: O rapper e ator Miatã, artista multifacetado que cantará a música-tema do espetáculo, e a versátil Quel, talentosa cantora e compositora da nova MPB.

“O Fuerza tem a marca argentina, mas ao mesmo tempo, uma linguagem muito internacional, estamos por todo o mundo e qualquer um pode entender e se emocionar com o nosso show. Então, dar ao espetáculo essa cor local, essa mistura com a gente do Rio contando a história de um projeto tão carioca me parecia lógico e quase inevitável. Ficamos muito felizes com as escolhas”, frisou Diqui.

“Apesar de cantor, eu fiz teatro a vida inteira e tenho paixão por cinema. Então sempre esteve na minha cabeça trabalhar com isso em todas as oportunidade que eu tivesse. Pra mim está sendo uma oportunidade maravilhosa unir teatro, circo, música…estou encantado”, comentou Miatã. “Fiquei muito feliz e animada com o convite para ser a voz feminina brasileira do espetáculo no Rock in Rio. Assim que eu conheci o Fuerza, me apaixonei, acho linda a proposta deles de interação com a plateia. Então, eu acho que vai ser uma experiência ótima, ainda mais por ser num festival que une diversas tribos e que tem uma energia muito bacana”, celebrou Quel.

A conexão com o Brasil continua com oito músicos do grupo AfroReggae, que levarão a força de suas percussões para o show. “Estreamos esta parceria em 2017, quando nos apresentamos no Brasil.  Agora eles voltam atuando durante todo o espetáculo. Para nós é uma relação muito importante, pois eles são cariocas e fazem um trabalho único. Estamos mesclando o som do AfroReggae, mais percussivo, com a nossa música, que é eletrônica. Ficou espetacular!”, vibra o diretor, que já tem 10 integrantes brasileiros na equipe fixa do Fuerza, entre atores (6) e técnicos (4). “Será um prazer estar junto com Fuerza Bruta em mais um espetáculo, principalmente no Rock In Rio, onde esse ano teremos um espaço chamado ‘Favela’ com 100% do DNA do AfroReggae. Esperamos arrasar e dar um verdadeiro show”, avisa William Reis, Coordenador do AfroReggae.

Para a temporada no Rock in Rio, mais cinco bailarinos da Cia Urbana de Dança se uniram ao grupo. “Decidimos convocá-los para adaptar a Murga, dança típica de Buenos Aires. É o nosso samba, mas queremos que eles dancem de forma ‘brasileira’”, pontua. “Acreditamos muito nos encontros e parcerias e esta participação no espetáculo do Fuerza foi um presentaço. Valeu o ano”, vibra Sonia Destri Lie, diretora da Companhia.

A música é um condutor fortíssimo nos espetáculos do Fuerza Bruta. Criada pelos produtores e artistas Jaime James e Gaby Kerpel, a trilha sonora nasce das diversas raízes nacionais e internacionais da arte. “Uma das características do Rock in Rio e do Fuerza é a variedade de estilos. Teremos rock, eletrônica, música argentina, pop, hip hop e canções memoráveis da vida do festival. Tudo pensado especialmente para cada cena”.

Todo esse processo de construção artística e musical se deu de maneira muito natural. “Estamos criando e deixando fluir os sentimentos, buscando encontrar a energia que queremos. Há mescla de cenas inéditas e outras que já sabemos ter muita força. Estamos todos muito contentes com o resultado até agora”, comemora Diqui James.

As 3 mil pessoas que assistirão cada apresentação do Fuerza Bruta ao vivo poderão enxergar a grande visão do diretor: O mundo virá ao Rio!

Bem-vindos à sensibilidade coletiva, universal, sem tradução ou anestesia. Bem-vindo ao Fuerza Bruta.

 

SOBRE FUERZA BRUTA

Formada em 2003 na Argentina, a companhia Fuerza Bruta já passou por mais de 36 países e 63 cidades, em apresentações que somam mais de 6 milhões de expectadores. O grupo performático, que monta cenografias criativas, danças inusitadas e faz a trilha sonora do espetáculo ao vivo, é reconhecido mundialmente por seu trabalho. Os espetáculos do FB são experiências dinâmicas e imersivas e atingem diretamente a sensibilidade do espectador. Um espaço onde a velocidade dos estímulos recebidos excede a reação intelectual e a emoção vem em primeiro lugar. O espectador se rende, sabendo que é parte de um evento artístico, uma realidade paralela, etérea, bela, delirante e absolutamente mais verdadeira do que a vida cotidiana. Fuerza Bruta é uma sensibilidade coletiva, universal, sem tradução ou anestesia. Brutalmente feliz.

INSTAGRAM FUERZA BRUTA NO ROCK IN RIO: 

HTTPS://WWW.INSTAGRAM.COM/FUERZABRUTAROCKINRIO/

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Daniela Fróes
Musicalmente eclética, apaixonada pela diversidade dos estilos, das festas e festivais, amante de uma boa música, principalmente das batidas eletrônicas. #Música #MúsicaEletrônica - Nunca se precisou de drogas para senti-la, a essência da batida, a sonoridade toca a alma de um jeito que não da pra ficar parado! "Quem não sente a melodia acha maluco quem dança"!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *