SP: CENTRO CULTURAL FIESP apresenta fotografias do pouco conhecido Theodor Preising

Theodor Preising – 1883-1962 – foto:Divulgação

Em comemoração aos 464 anos da fundação de São Paulo, o Centro Cultural da FIESP inaugurou, no último dia 25, uma exposição do fotógrafo alemão Theodor Preising.

Ele chegou ao Brasil em 1923, vindo de uma Alemanha arrasada pela 1ª. Guerra. Vindo de um país destruído economicamente (a Alemanha foi vencida e obrigada a ressarcir a Inglaterra e a França pelos estragos do conflito), Preising vislumbrou a possibilidade de uma vida melhor no Brasil fotografando a então crescente São Paulo, resultado do desenvolvimento da cultura cafeeira.

Tornou-se fotógrafo e vendia seus postais da cidade. Mais tarde, trabalhou para publicações como “Revista São Paulo” e, até mesmo, para a National Geographic.

Esta sua veia empreendedora nos é mostrada na exposição “São Paulo: Sinfonia de uma Metrópole” no CCFIESP. No total, estão expostas 60 fotografias garimpadas de uma coleção de 15 mil negativos. Retratam a vida paulistana dos anos 20 aos anos 40.

Rua XV de Novembro -foto – Theodor Preising – 1940 – foto: Divulgação

Em uma das fotos, o carnaval é clicado na Av. São João no ano de 1933. Em outra, nos anos 40, mas desta vez em Santos, o fotógrafo registra o passeio das famílias paulistas nas praias da orla. Preising fotografou também seus conterrâneos no antigo clube Germânia (hoje Clube Paulistano, nos Jardins).

O que é interessante nas fotos de Preising é a captação da imagem de modo natural, isto é, as pessoas são fotografadas sem poses rígidas, o que era costumeiro à época. Existe quase uma displicência das pessoas ao se deixarem fotografar. Essa naturalidade faz com que registros de imigrantes japoneses, por exemplo, afastem a sisudez comum e os tornem bem simpáticos.

Carnaval na Av. São João – 1933 – foto: Divulgação

Outro aspecto a ser ressaltado é percebemos, assombrados, como a cidade de São Paulo se modificou ao longo desses 80, 70 anos. É uma oportunidade de conhecermos uma cidade que já existiu e, felizmente, foi registrada para deleite das novas gerações e dos aficionados pelas fotografias antigas.

Com a exposição, além de homenagear a cidade de São Paulo, espera-se que o trabalho de Preising seja (re)descoberto e receba o devido reconhecimento de, por exemplo, ter um livro publicado com outras esplêndidas fotos.

Espera-se.

ANDRÉA ASSIS

SERVIÇO:

Exposição “São Paulo: Sinfonia de uma Metrópole

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Andréa Assis
Carioca, mas paulistana da gema radicada há mais de 20 anos na capital. Formada em Relações Internacionais, tem mestrado em Administração de Empresas em Lyon, na França. Orgulhosa da cidade onde vive, adora mostrá-la aos visitantes, sejam eles brasileiros ou não. Procura sempre descobrir lugares novos e diferentes, por isso sempre se mantém atualizada sobre o que acontece nestas bandas. Para isso, vai sempre às exposições que pipocam aqui e acolá e é sobre elas que pretende lançar seu olhar crítico que não se restringe só às obras, aos trabalhos expostos, mas também ao ambiente: como estão organizadas, se existem informações para os visitantes, enfim, se vale a pena o leitor investir o seu tempo para ir vê-las. Eventualmente, faz críticas de filmes, mas prefere deixá-las aos mais habilitados. Mas não deixa de acompanhar os lançamentos. Humildemente, pede ao leitor paciência para com o que ele lê aqui no espaço, pois a escritura e análise pedem apuro ao longo do tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *