Espetáculo Infinito Singular: a Feminilidade da Terceira Idade em cena

Grupo Fios de Memória.  Foto: Pedro Tambelini.

O grupo Fios de Memória estréia seu segundo espetáculo, Infinito Singular, nos dias 23 e 24/2 na Arena Abelardo Barbosa – Chacrinha, no bairro de Guaratiba, RJ. Composto por mulheres entre 55 a 80 anos e dirigido pela pesquisadora em Dança/Cidade/Corpo e educadora Jéssica Felipe, aborda questões da feminilidade na maturidade.
O espetáculo de dança contemporânea retrata a feminilidade de cada mulher em cena. Partindo das descobertas do que lhe é único, Infinito Singular, desabrocha a mulher sensual, selvagem, sensível e forte que gira em sua ancestralidade e nos mostra o ‘sem fim’ de um dançar seu processo de vida morte vida das mulheres. No palco 16 mulheres de 55 até 80 anos, dançando um trabalho que fala da feminilidade descoberta no processo de vida morte vida delas, propondo uma experienciação sensorial que gesta as histórias da corporeidade feminina. Capaz de revelar memórias presentificadas no corpo, colocando em destaque a mulher mais experiente que descobre o fazer algo por si mesma, após anos de construções e contribuição na cidade.
O grupo surgiu da Oficina Dança Livre, da Arena Abelardo Barbosa – Chacrinha, localizado no bairro de Guaratiba, para pessoas acima de 55 anos. Esta oficina proporcionou o mergulho na escuta e na conexão com o espaço e o outro, causando ao movimento das mulheres em cena muitas perguntas que nem sempre poderiam ser respondidas com palavras, mas sentidas no corpo pela própria ação do gestar o movimento. Um processo às vezes doloroso, por se permitir revelar-se algo inaugural. Desmistificando a idade limite para ser bailarina, elas sobem ao palco com as (pro)curas mais íntimas de mulheres maduras, uma desconstrução do estereótipo patriarcado.
Conheça um pouco sobre o grupo:
Confira o primeiro espetáculo Fios de Memória:
Ficha Técnica:Diretor: Jessica Felipe
Interpretes Criadoras: Verá Ciconha; Lulu lã; Mimi da Silva; Gê Viana; Lívia Soares; Margarida Bastos; Deth Xavier; Teca Coelho; Rosinha Santos; Nini Domingues; Ane Souza; Zezé Melo, Lena Medeiros; Ceia Alves; Laura Abreu e Maria de Maria.
Cenografia: Gerson Pindaré

Poema de Paulo Emílio Azevedo na Voz de Lívia Soares
Serviço:
Dias: 23 de fevereiro e 24 de fevereiro de 2019
Horário: 19 horas
Valor ingresso: Inteira 10 e meia 5 reais (Por Decreto Municipal todos os moradores da cidade do RJ pagam meia entrada)
Duração: 40 min
Classificação indicativa: 16 anos
Local: Arena Abelardo Barbosa – Chacrinha
R. Soldado Elizeu Ipólito s/n
Links:
Instagram: @fiosdememoria

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Rafaeli Mattos
Mestre em Artes Visuais, com ênfase em dança – UFRJ (2013), Especialista em Estudos Contemporâneos em Dança –UFBA/FAV 2007 e Bacharel em Dança, Intérprete e Coreógrafa, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – 2006/1. Possui formação em jazz, ballet, ballet moderno – Horton, dança contemporânea, sapateado e canto popular. Qualificada Profissional da Dança, artista-dançarina sapateadora e Instrutora de Dança, seguimento sapateado, pelo SPDRJ, atua como professora de sapateado, jazz e balé desde 2007 em diversos espaços de dança do Rio de Janeiro. Integrou a Cia de Dança Contemporânea Helenita Sá Hearp – 2004/1 a 2005/1, Cia Étnica de Dança e Teatro – 2007 a 2008, Projeto Ateliê Coreográfico do Centro Laban RJ – 2008 a 2009, Projeto de residência internacional da coreógrafa Erica Essner (Erica Essner Performance CoOp) no Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro 2007 e do grupo A.C.Ho com a performance Q _ _ _ _ _ , realizada no eventro Transperformance em 2011. Como cantora atuou na Cia Nós da Dança no espetáculo Bossanossa – 2009. Foi coreógrafa residente no Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro de julho de 2005 a julho de 2006, onde realizou seu primeiro trabalho autoral Chora Corpo Choro, composto pelos solos Rádio e Violão Mudo e pelo quarteto Choro na Feira. Seu segundo solo autoral Ah vai andas?! participou, em junho de 2012, em work in progress do evento Novíssimos da Ocupação Dança pra Cacilda. Em 2015 integrou o corpo de jurados dos festivais de dança Barra Dance e Barra Dance Kids. Sua oficina de Sapateado para Terceira Idade foi contemplada nos anos de 2014 e 2015 nos editais Viva a Cultura e Viva o Talento da secretaria de Cultura do RJ. Hoje atua como professora de balé e sapateado na ONG Projeto Dançarte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *