TELMAH: Escritor André Carretoni lança seu livro no Brasil. Veja a entrevista com o autor.

 

Aconteceu no último dia 23/10, na sede do Instituto APONTAR, o lançamento no Brasil do livro “TELMAH, A Tragédia do Desencontro” (Chiado Books).

TELMAH é o terceiro livro de André Carretoni que mora hoje na Suíça. O livro conta a estória de Hélio Parfia que se vê no meio de uma trama ilógica que desafia as leis do espaço e do tempo.

Conversamos com o autor após o lançamento. Veja abaixo na íntegra esta entrevista exclusiva :

 

André, este é seu terceiro livro. Você acha que neste existe algo relacionado aos outros dois, existe alguma conexão com os demais? 
Ligação com os outros dois livros, não tem não. Só tem uma ligação estilística, na verdade uma evolução estilística, porque sinto que a cada livro que vou escrevendo vou trabalhando mais meu estilo, procurando melhorar o meu texto. Então essa seria a única ligação: a minha busca como escritor.
Qual foi sua maior dificuldade em escrever este livro?
Como é uma… como é que eu posso dizer… uma linda história, é um pouco especial, e não posso falar muito sobre isso para não dar “spoiler”, mas como eu tenho uma linha da história que é bem especial, tive que, a cada alteração que fazia no livro, pensar se aquela alteração tinha um impacto, então às vezes, mesmo fazendo uma pequena mudança de uma frase, tinha que verificar outra parte do livro para ver se tudo continuava coerente.
A trama de Telmah é baseada num evento histórico, correto? Você fez algum trabalho de pesquisa para desenvolver os personagens deste seu livro?
Na verdade, o acontecimento histórico veio depois, a ideia do livro me veio quando eu tinha 18 anos e a ideia de colocar o atentado de 2004 veio depois, quando resolvi escrever de fato um livro, e comecei a escreve-lo mais ou menos 2012. Não me lembro exatamente o porquê, de onde eu tirei a ideia de fazer o acontecimento em 2004 usando o atentado, não me lembro exatamente quando foi que eu tive este insight, resolvi colocar ali para fazer a coisa mais realista, né? E fui para Madrid, aliás fui para Madrid duas ou três vezes para fazer pesquisa. Visitei o local do atentado, li muito jornal de lá, El País…El Mundo…li muitos jornais da época, do dia do atentado, vi inclusive a meteorologia do dia, para saber qual era o clima daquele dia… fui dormir no hotel, quer dizer, em todos os lugares do livro eu estive lá e falo com consciência: eu olho para direita, vou atravessar, o que eu vejo do outro lado,  etc. Até existe um livro de Umberto Eco que eu soube depois que ele também fez isso: “O Cemitério de Praga”. Em Paris ele saiu com um gravadorzinho às 2 horas da manhã e ia falando o que via, gravando por onde passava.  Para descrever bem o lugar. Então, foi uma pesquisa muito grande. Depois, estive ali em 2014, 10 anos depois do atentando, estive em uma reunião no monumento pelos mortos, tentei entrar na catedral onde havia uma missa pelas vítimas, mas eu não pude entrar, era para amigos e familiares, fui sincero, falei que não conhecia nenhuma vítima.
Em relação ao lançamento, aconteceu inicialmente na Europa, certo? Quais as cidades em que você realizou o lançamento de Telma? Lisboa, né?
Sim, Lisboa e em Almada.
E agora, após este lançamento no Brasil, alguma expectativa de fazer o lançamento em outra cidade? 
Quero lançar em outras cidades lá na Europa, por isso mesmo até enviei meu livro para Genebra, para Madrid, para Paris, lugares em que eu já morei, como agora eu estou na Suíça… mas mandei para Madri e para Londres com a expectativa de que se interessem,  principalmente estas cidades, por que a história tem a ver com Cervantes… Shakespeare… Achei que seria bacana estes lugares tambem.
Bom, e em relação ao público brasileiro, como está sua expectativa em relação à receptividade deste público, esta história é muito bacana, qual a sua expectativa em relação a isso e também se você pensa em transformar a estória num roteiro de filme pensa em desenvolver um roteiro para um filme ?
Eu gostaria muito que particularmente os brasileiros me lessem. Por mais que eu tenho viajado, vivido em diversos lugares, minha raiz ainda é brasileira, né ? Então é como se eu desejasse ser reconhecido em meu próprio país, tenho a intenção de dividir as minhas experiências. Eu sei o que é viver no Rio de Janeiro durante 27 anos, né ? Ainda mais, eu era um carioca bairrista, nunca tinha pensado em viajar, agora eu penso que seria legal compartilhar esta minha experiência. Às vezes, as pessoas precisam olhar um pouco para fora, não só olhar para dentro, ver o que acontece lá fora, saber como é que as pessoas vivem.  Então é um pouco esta a intenção, a de dividir minhas experiências.
Ótimo. Então a gente deseja muito sucesso neste lançamento e parabéns pelo livro!
Muito obrigado.

 

 

 

 

 

ADQUIRA AQUI UM EXEMPLAR DE TELMAH

 

Observação: O dinheiro arrecadado com a venda dos livros será doado para o Instituto Apontar, que amplia oportunidades de crianças e adolescentes de famílias de baixa renda.

 

Sinopse de TELMAH:

Quando Hélio Parfia chega a Madri, após o ataque terrorista que assolou o mundo no dia 11 de março de 2004, um furgão quase o atropela na frente de seu hotel. Ao salvá-lo, uma mulher morre em seu lugar.

Nos dias seguintes, enquanto tenta encontrar alguma informação sobre a sua heroína, alguém invade seu quarto, rouba suas roupas, e Telmah Millais entra em sua vida com um beijo, como se já o conhecesse há tempos.

Hélio se vê, então, no meio de uma trama ilógica, cada vez mais apaixonado pela desconhecida e desafiando as leis do espaço e do tempo.

Veja as imagens do lançamento no Brasil:


Biografia do autor: 

Nascido no Rio de Janeiro, em 11 de janeiro de 1971, cedo se apaixona pelas artes. Autodidata, aprende música, desenho, faz cursos de teatro e de cinema até que, aos 27 anos, graças aos seus conhecimentos de informática, dá uma reviravolta em sua vida e parte do Brasil, à procura de novas experiências.

Vive por seis anos em Lisboa, faz o Caminho Português de Santiago de Compostela e inscreve-se em um curso de pintura em Florença, onde escreve “Piedade Moderna” e conhece Jannick, que se tornará sua esposa.

Sua vida de escritor apenas começava.

Vive por dois anos em Lausanne. Escreve “Mais Alto que o Fundo do Mar”, envia contos e crônicas para os sites Tertúlia e Bonjour Brasil e frequenta o Laboratório de Escritura Criativa à Distância do Instituto Camões.

Depois de quatro anos em Paris, no encalce da Geração Perdida, instala-se em Nice e encontra nova fonte de inspiração.

Nasce seu filho, Tiziano Carretoni.

Publica seu livro “Mais Alto que o Fundo do Mar” em francês (“PlusHaut que lefond de la Mer”), escreve “TELMAH, A Tragédia do Desencontro” e participa da oficina literária da escritora Adriana Lisboa e do masterclass do escritor Bernard Werber.

Segue escrevendo.

Visite a página do autor.

Informações da obra: 

Autor: André Carretoni
Data de publicação: Março de 2019
Número de páginas: 244
ISBN: 978-989-52-5162-9
Colecção: Viagens na Ficção
Género: Romance
Idioma: Pt/Br
Preço: R$53,00

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Redação ArteCult.com
Redação do Portal ArteCult.com.   Expediente: de Seg a Sex - Horário Comercial.   E-mail para Divulgação Artística: divulgacao@artecult.com.   Fundador e Editor Geral: Raphael Gomide.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *