Dia Internacional do Idoso: Um novo olhar para os 60+

Foto: Thiago Diz

No dia primeiro de outubro é comemorado o Dia Internacional do Idoso. A Casa São Luiz, instituição de longa permanência para idosos mais antiga do Brasil, com 131 anos de existência, realizará um evento que reunirá influencers 60+ e profissionais que atuam com pessoas da terceira idade para dividir com o público suas experiências.

O evento “Minha Longevidade” acontecerá entre os dias 29 de setembro e 01 de outubro. Serão três lives pelo Instagram da CSL (@casasaoluizrj), sempre às 17h. Entre os convidados estão Eduardo Araújo criador do Miss Maturidade, Lilian Azevedo, blogueira que compartilha dicas e experiências para “uma senhora viagem” e a jornalista Natália Dornellas, colunista da revista Claudia e criadora do projeto “Conversa de Vó”.

A quebra de estereótipos relacionados à velhice marca profundamente o momento que vivemos. No Dia Internacional do Idoso (01/10) é fundamental chamar atenção para a população acima dos 60 anos que torna-se cada vez mais produtiva e protagonista da sua história. Dados divulgados nos últimos anos por instituições como o IBGE indicam que idosos estão mais integrados à sociedade e contribuindo para o sustento das famílias.

De acordo com Camilla Vilela, gerontóloga da Casa São Luiz, instituição de longa permanência para idosos mais antiga do país, localizada no Rio de Janeiro, este cenário mostra que estamos vivendo o momento de valorização do grupo 60 mais e da adaptação desta parcela da população aos novos desafios.

“Hoje o idoso deixa de ser o “doente”, sem utilidade para a sociedade, e passa a ser inserido no contexto de protagonista da sua história. Estão atuando no mercado de trabalho e aprendendo novos desafios com a tecnologia”, explica Camilla Vilela.

Foto: Thiago Diz

Dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) mostraram no início deste ano que quase um quinto da população brasileira é formada por pessoas acima dos 60 anos. Mas como convencê-las que ainda há um universo de possibilidades para serem vividas? Para falar sobre o assunto, indicamos a gerontóloga Camilla Vilela e o psicólogo Thiago Cantisano.

 

Confira nossa entrevista exclusiva com Camilla Vivela, Gerontóloga da Casa São Luiz

1-    Como os idosos podem diminuir a dependência emocional da família para suprir suas necessidades de socialização?

Buscar atividades e novos aprendizados é sempre muito efetivo para o idoso, assim ele continua se sentindo produtivo e isso ajuda em sua saúde emocional. Entendemos que para muitos existe uma certa dificuldade para promover que essas ações sejam estimuladas, por isso trabalhamos para mudar a percepção do brasileiro com relação às instituições de longa permanência para idosos. Estes locais são preparados para receber e estimular os idosos em todas as suas necessidades. Hoje com o mundo globalizado também conseguimos a socialização dos idosos através da internet, estamos vendo um boom de idosos viralizando nas redes, é um mundo novo para eles, que com cuidado e cautela, pode fazer muito bem.

2-    Cada vez mais a terceira idade se arrisca em oficinas de dança ou prática de esportes. Como você vê a relação do idoso com seu corpo como fonte de saúde e prazer hoje em dia? O quanto isso, de fato, contribui para a longevidade?

Hoje em dia temos uma cultura mais esclarecida com relação ao envelhecimento, hoje muito mais que ontem, as pessoas percebem que a idade pode até trazer certas limitações, mas não precisa impedi-las de fazer o que querem. Movimentar o corpo traz inúmeros benefício s, físicos e também mentais, e isso para qualquer idade. A prática da atividade física para o idoso trará maior autonomia para seu dia a dia, além de auxiliar na parte cognitiva. Com isso, podemos concluir que sem dúvidas, movimentar o corpo contribui, e muito, para a maior longevidade do indivíduo.

 
3-    A religiosidade dos idosos, com sua fé, crenças e práticas religiosas, pode influenciar em sua saúde e longevidade?

Com certeza! Sendo algo apreciado pelo idoso pode influenciar bastante em sua saúde. Ele poderá utilizar isso como um estímulo, por exemplo: vemos muitas idosas que não tem muita atividade social, mas que gostam de ir na igreja assistir uma missa. Pode parecer pouco, mas para uma pessoa mais velha é muito, e sabemos que crenças são bases de apoio para as dificuldades, que é um suporte para as pessoas em momentos difíceis, com os idosos isso não é diferente. Estar bem emocionalmente traz benefícios para o corpo físico, logo traz melhores condições para a saúde.

4-    Quanto um cérebro saudável ajuda à saúde do corpo e o quanto um corpo saudável ajuda ao bom funcionamento do cérebro? O quanto essa interligação é mito, o quanto é verdade?

Quando se pratica atividade física você faz com que seu fluxo sanguíneo circule, levando mais oxigênio ao cérebro. Esta ação traz um benefício que é o melhor funcionamento do cérebro e de dos nossos demais órg& atilde;os.
Não é mito que um corpo saudável ajuda no funcionamento do cérebro, devemos cuidar do nosso corpo para que tenhamos qualidade em uma vida longilínea também em outros aspectos além do físico.

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

maribarcelos
Jornalista por paixão. Música, Novelas, Cinema e Entrevistas. Designer de Moda que não liga para tendência. Apaixonada por música e cinema. Colunista, critica de cinema e da vida dos outros também. Tudo em dobro por favor, inclusive café, pizza e cerveja. Visite: Instagram.com/PortalMariBarcelos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *