Dia das Mães: Conheça a história da criação deste dia tão especial que está chegando!

 

A celebração do Dia das Mães ocorre de maneiras distintas em cada país, havendo inclusive uma grande variação nas datas celebradas, variando muito dependendo da cultura local ou crença religiosa. Os primeiros relatos de festejos do dia das mães tem origem mitológica oriunda da Grécia antiga que exaltava Rhea – a mãe dos deuses.

Em Portugal, colonizador do Brasil, originalmente homenageava as mães no dia 8 de dezembro, dia de Nossa Senhora Imaculada Conceição, mas a mudança na data no país ocorreu a partir de 1917, depois da aparição da Virgem de Fátima. Por esse motivo houve transferência da celebração para o primeiro domingo do mês de maio, exaltando assim o mês desse grande milagre. A data sempre teve uma conotação religiosa forte, sendo alterada também em todos os países de língua portuguesa que ainda eram colônias ou protetorados portugueses. Logo, o Brasil, independente desde 1822, se tornou o único país lusófono que comemora no segundo domingo de maio, data instituída pelo presidente Getúlio Vargas em 1932.

Mas então explica uma coisa: Por que o segundo domingo? Seria birra?

Na verdade, não tem nada de birra, mas sim de uma mudança de influência cultural bem marcante ocorrida nos anos 30, década da política da Boa Vizinhança, quando começamos a nos aproximar cada vez mais do Tio Sam. Vamos entender a origem e isso vai ficar mais claro.

Nos Estados Unidos em 1858 foi iniciado um movimento chamado Mothers Days Works Club pela ativista metodista Ann Marie Reeves Jarvis, que tinha como objetivo diminuir a taxa de mortalidade das crianças filhas de trabalhadores que sofriam com sarampo, febre tifoide e disenteria, com foco nas condições sanitária da vida dessas famílias. Essa mulher foi além e durante a guerra civil americana, criou a Mothers Friendship Day pregando a neutralidade entre o Sul e o Norte, para cuidar igualmente dos feridos em batalha.

Depois de instituir um legado na área de políticas sanitárias e prevenção de doenças, faleceu em 09 de maio de 1905, tendo influenciado em grandes transformações em seu país.

Dois anos após o seu falecimento, sua filha Ann Jarvis, continuou reverberando suas ideias até chegar ao congresso a ideia de criar o Dia das Mães, para que todo o país mantivesse vivo o trabalho de sua mãe.

Ann Jarvis

O congresso americano aprovou em 1914 a lei que determinou que todo o segundo domingo do mês de maio seria o Dia das Mães.

Quatro anos após a criação da lei nos Estados Unidos, foi a vez da Associação Cristã de Moços do Rio Grande do Sul começar a difundir por aqui essa celebração. Mas somente em 1932, que Bertha Lutz e sua Federação Brasileira pelo Progresso Feminino apelará ao presidente Getúlio Vargas para a criação da data de maneira oficial no nosso país, pegando carona em outras reivindicações, como o voto feminino.

Bertha Lutz

A história é rica em todos os detalhes e quando nos debruçamos sobre ela, percebemos que nada é ao acaso.

PARA MAIS DICAS DE HISTÓRIA E TURISMO HISTÓRICO
NO RIO DE JANEIRO, CONHEÇA E SIGA:

https://www.facebook.com/riohctur/

@riohctur

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

priscilamonteiro
Carioca, empreendedora, professora de História e guia de turismo, fui criadora da primeira empresa de Turismo Histórico da cidade do Rio de Janeiro com o intuito de dar aulas a céu aberto. Formada em História pela Universidade Cândido Mendes em 2007, segui um caminho sem volta em apresentar essa cidade que é um verdadeiro museu a céu aberto, onde capítulos dos livros sobre a história do Brasil saltam aos olhos. Da colônia, passando pelo Império e chegando a República, encontramos fragmentos da história de todos os brasileiros Acompanhe os textos desse blog e descubra um outro Rio, um outro Brasil que muitas vezes não nos são apresentados em sala de aula.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *