Benzinho: Amor, Maternidade, Naturalidade e Sentimento. Veja convite do elenco do filme para os seguidores do AC!

Irene, mãe de quatro filhos, precisa lidar com a partida  do seu filho mais velho, Fernando, que vai jogar handebol na Alemanha.  O ponto de partida do filho, é apenas um dos pontos abordados dentro do enredo, que gira em torno de uma mãe, humilde e totalmente amorosa com todos os seus filhos e cheia de sentimentos reprimidos.

Transcrevendo toda a simplicidade da família e toda a delicadeza do amor, a fotografia de Benzinho , filme já selecionado no Festival Sundance de Cinema, é clara e bem simples, composta de ângulos bem abertos, fechando apenas em alguns momentos mais emotivos, mas sempre em Irene.

Dirigido por Gustavo Pizzi, que tem seus filhos em set e também são filhos da atriz Karine Teles (por sinal,os filhos dela estão em cena também),  manteve todo o carinho não só quando dirigia os gêmeos de sete anos mas com toda a família montada em cena. Todo esse carinho e naturalidade familiar é transmitida durante todo o tempo, trazendo ainda mais veracidade para o enredo. O diretor também não deixou longe o simbolismo da perda, dentro de vários aspectos do filme, como o fato de Irene não querer abandonar a sua casa, que é cheia de problemas e nem ao menos a porta abre e a entrada fica sendo pela janela. Os detalhes também não muito importantes, como um momento em que a mãe pára próximo a um cartaz que tem escrito “The falling into a vacuum signals the abandonment of the mother” (A queda num vácuo sinaliza o abandono da mãe), frase da obra I Am Afraid (Eu Tenho Medo), de Louise Bourgeois.

Um dos aspectos que me chamou atenção, foi a conexão entre som e imagem. As cenas mais calmas, são sempre acompanhadas de um grande silêncio, e todo o sentimento de tensão, agitação, dor e confusão, não é expressada na sua maior parte com imagens, porque sem os efeitos sonoros ou trilha musical, não teriam o mesmo efeito ou a mesma tensão. Além de ir a cabine de imprensa, também participamos da pré estreia do filme no Rio de Janeiro e além de conversar com alguns integrantes do elenco, conversarmos com o diretor Gustavo Pizzi exatamente sobre essa percepção entre som e imagem.

Veja o que o diretor respondeu sobre isto para a gente:

 

 

 

Um exemplo sem spoiler é a música “Esôfago” de Karina Buhr, que faz parte de uma cena em que Kariane Teles precisa externar através de sua personagem todo o desespero e dor do momento. A música ajuda o espectador a sentir todas as emoções da personagens. 

Lotado de muitos sentimentos, cenas profundas, saímos do cinema com um grande pensamento em nossos pais e nessa ligação familiar que é criada e muitas vezes precisa ser interrompida fisicamente por motivos de evolução ou necessidade.

Recheado de assuntos pequenos, dramas naturais de um cotidiano, como a falta de dinheiro para a continuação de uma obra ou a necessidade de venda de uma casa de veraneio, Benzinho também trata de assuntos sérios.

Sônia, irmã de Irene, interpretada por Adriana Esteves, sofre abusos doméstico de seu marido, e vai buscar colo na casa de sua irmã. Mesmo que de uma maneira secundária, o assunto é abordado ao longo de todo o filme.

A atriz Adriana Esteves também falou um pouco sobre sua personagem:

 

 

 

 

Ter Petrópolis como cenário principal do filme, principalmente sendo o interior desta cidade, o longa que já foi premiado em festivais, apresenta uma coerência com a história não só emocional, mas financeira da família, abordando ainda um cenário pouco visto dentro de filmes, e quando exposto, apenas seus pontos turísticos. Graças às atuações maravilhosas de todo o elenco, o espectador tem a real sensação de que todos ali são uma família, comum como a sua própria ou a do vizinho. Inclusive a forma natural como a personagem Ligia, interpretada por Camilo Pellegrini é naturalmente inserida, somente confirma essa sensação de tudo ser natural e próximo da realidade.

Karine Telles falou como foi sua preparação e sobre estar no set com seus filhos: 

 

 

 

 

Mostrando que a vida continua, mesmo a despedida sendo o foco central, outros assuntos familiares são inseridos durante o roteiro, fazendo com que em muitos momentos o assunto fique de lado e toda a vida continua, afinal mesmo com todos os problemas e barreiras que enfrentamos, a vida precisa seguir. 

 

 

Confira o convite do diretor e elenco para todos os seguidores do ArteCult:

 

 

 

 

Confira o Trailer do filme!

 

 

 

Veja algumas fotos da Pré Estreia:

Review e Entrevista: MARIANE BARCELOS
Siga-nos no Instagram @TiltCine / @barcelosmariane

Fotos e Videos:  LUAN RIBEIRO
Instagram:  @CinemaeCompanhia 

 Acompanhe também o canal CINEMA & SÉRIES em nosso Instagram @artecult!

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Jornalista por paixão. Música, Novelas, Cinema e Entrevistas. Designer de Moda que não liga para tendência. Apaixonada por música e cinema. Colunista, critica de cinema e da vida dos outros também. Tudo em dobro por favor, inclusive café, pizza e cerveja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *