AC Entrevista: Day Mesquita, atriz fala sobre a carreira, os planos e o grande sucesso em Jesus como Maria Madalena

O ARTECULT entrevistou Day Mesquita, que por conta do seu talento e de ter emendado um trabalho no outro, é vista como grande aposta da sua atual emissora e meio como uma “menina dos olhos” (como tem saído espontaneamente em alguns veículos, por exemplo no Flávio Ricco) e já tem em sua carreira novelas em outras três emissoras.

Na sua atual emissora, a Record, Day está fazendo muito sucesso no papel de Maria Madalena na novela Jesus e já atuou também em “A Terra Prometida” (que está sendo reprisada) e “Os Dez Mandamentos”. Já na Globo, Day atuou em “Cheias de Charme” e “Além do Horizonte”. No SBT foi a protagonista da novela “Vende-se um Véu de Noiva”, sendo esta sua segunda novela, e antagonista em “Dance, Dance, Dance”, da Band, que foi seu primeiro trabalho na televisão. Lembrando que também esteve ano passado nos cinemas no filme “Nada a Perder” e foi muito bem criticada.

Foto: Pupin&Deleu

A atriz que é formada em Artes Cênicas, Jazz e Ballet Clássico, tem também em seu currículo participações nas séries “O Negócio”, da HBO, e (Des)Encontros, do Canal Sony, no seriado “Morando Sozinho”, do Multishow, protagonizou o programa “Viagem sem Fim”, também do Multishow, ao lado de mais seis atores. Além dos trabalhos na tv, ela atuou em cinco peças sendo uma delas o drama “Gota D’Água”, texto de Paulo Pontes e Chico Buarque.

No papel de Maria Madalena em “Jesus”, Day vem impressionando a todos numa novela que está colecionando Records de audiência. A trama estreou no dia 05/11, no canal Univision, nos Estados Unidos, batendo recorde de audiência em estreia de novela bíblica por lá e sendo a produção mais assistida nos canais de língua hispânica, três milhões e meio de pessoas assistindo, deixando o canal com vantagem de 93,9% sobre os demais, sendo o primeiro lugar em Los Angeles e Miami, inclusive ela segue sendo líder de audiência ainda dentre estes canais. Além disso, no dia 17/10 a novela “Jesus” estreou na emissora Tv Miramar, em Moçambique, África, e registrou um número de audiência histórica na Tv de Moçambique. A trama da Record TV escrita por Paula Richard com direção de Edgard Miranda registrou mais de seis milhões de telespectadores em sua estreia, com um share de 87% para a TV Miramar, emissora aberta de Moçambique que pertence ao grupo Record.

AC ENTREVISTA DAY MESQUITA

ARTECULT: Primeiro preciso perguntar como está sendo sua preparação para esse papel? Inclusive física, já existem cenas que exigem demasiadamente do corpo. Destaco uma cena mais antiga, porém que ficou muito marcada na minha opinião, que foi a do exorcismo.

Foto: Pupin&Deleu

Day Mesquita: Minha preparação foi através das referências passadas pela direção dos filmes “A Paixão de Cristo”, “Ben Hur”, “Maria Madalena”. Assisti aos filmes e li livros (Maria Madalena – Michael Haag e Maria Madalena – Lilia Sebatiani) para entender, descobrir e me aprofundar mais no universo, na época e na história das personagens. Após isso, o foco foi no texto, nas características e nuances que a personagem vinha mostrando a cada cena, em entender e viver a personagem dentro de mim.
Antes de gravar procuro me alongar e me aquecer para deixar o corpo pronto para o dia de trabalho, e um pouquinho antes de cada cena fico mais quietinha pensando na intenção, concentrada no estado que a cena pede.

Já para as cenas em que ela estava possuída, houveram algumas conversas sobre o que seriam essas cenas e como poderiam ser executadas. Foi uma troca muito bacana de informações que tive junto com o nosso diretor Edgard Miranda e nossa preparadora de elenco Fernanda Guimarães.

O Edgard nos passou alguns filmes de referência que mostravam a linguagem que ele achava interessante seguirmos e depois de assistirmos e estudarmos bastante as cenas, começou a investigação no trabalho de preparação corporal com a Fernanda, com estímulos que nos apontassem algumas possibilidades de caminhos. As referências dos filmes foram bem importantes, destacando “O Ritual”, quando assisti fiquei apaixonada pelo trabalho do Anthony Hopkins. Achamos que era uma boa medida para termos como base no nosso trabalho. Ele mostra uma sutileza na interpretação, com grande preenchimento interno, você vê tudo o que está acontecendo nos olhos dele, expressado com muita verdade e minimalismo nos movimentos.

Maria Madalena é um personagem já desenvolvida por diversos ângulos, em situações e contextos diferentes, inclusive historicamente existem muitas controvérsias sobre quem ela foi. Você somente seguiu a linha que os autores apresentaram ou tentou de alguma forma se envolver no processo, digamos que, de criação?

Antes de receber os capítulos, estudei, li e pesquisei muito do que se fala sobre Maria Madalena para entender o que diziam os historiadores sobre.
Quando o texto chegou ele se tornou a minha base de trabalho, e em cima dele pude aprofundar e dar a minha interpretação sobre o que estava escrito, o que também é um processo de criação. Dar vida, colorir e dar profundidade nas palavras e ações escritas.

Teve algumas inspiração para viver esse papel?

Não digo uma inspiração exatamente, mas assim que recebi o convite, fui assistir ao filme “Maria Madalena” , e sai muito mexida, o filme é lindo e mostra uma mulher sensível, e muito forte. Já ao sair do cinema senti que essa personagem seria muito especial para mim.

Foto: Pupin&Deleu

“Jesus” está tendo uma repercussão incrível mundialmente, batendo recordes nos EUA e em vários outros locais. Como está sendo a sua percepção desse sucesso? Inclusive para sua carreira, já que interpreta uma personagem com enorme importância.

É uma linda história, e temos a grande alegria de poder passar essa mensagem e um trabalho tão especial para outros países além do Brasil. Fico muito feliz pois é um trabalho que está sendo feito com muito cuidado e carinho.

Essa é o seu terceiro trabalho dentro de uma trama bíblica. Existe alguma diferença muito grande dos demais papéis que você já  interpretou?

Todas as histórias e conflitos que qualquer personagem passa em qualquer obra, sendo bíblica ou não, são humanas e universais. Acho que o principal ao interpretar qualquer uma delas é a verdade e a entrega, o que diferencia um pouco é só a forma, por se tratar de uma época e costumes diferentes.

Como foi gravar a cena do encontro de Maria Madalena com Jesus? Era uma cena muito esperada pelo público.

Foto: Pupin&Deleu

Era uma cena muito esperada pelo público e por mim também, em que se fechava um ciclo da personagem, um momento de transformação para um recomeço completamente diferente do anterior na vida de Maria Madalena. Conversei com o Edgard (nosso diretor), a Fernanda (preparadora de elenco) e o Dudu Azevedo também, que além de ser um grande ator, é muito generoso com todos que contracena. Falamos de alguns momentos pontuais, sobre o que achávamos que seria interessante para o desenho da cena, mas na hora do gravando estivemos abertos ao jogo para que ali coisas novas também pudessem surgir. Essa era uma cena delicada, de muita intensidade e todos foram muito cuidadosos e isso me ajudou muito. O Dudu estava conectado ali comigo para não deixarmos dispersar enquanto mudavam posicionamento das câmeras e das luzes. Foi essencial sentir a entrega e o cuidado dele e da equipe toda ali naquele momento. Todos estavam atentos e concentrados para que tudo acontecesse da melhor forma e isso me ajudou muito.

Foto: Pupin&Deleu

Você é uma atriz muito versátil, que sempre agrega muito aos seus personagens. Já trabalho em canais fechados, cinema, várias emissoras de tv aberta, tem algum sonho profissional que você ainda não conseguiu realizar?

Estou muito feliz com todas as oportunidades que tive até hoje na minha carreira, todas as personagens sempre foram muito diferentes umas das outras. Gosto quando um trabalho consegue me tirar da minha zona de conforto, e Madalena está fazendo isso, pois é completamente diferente de tudo o que já fiz até hoje, então acho que gostaria de fazer outros tantos personagens complexos e intensos como este.

Você tem emendado um projeto no outro, agora pretende dar uma pausa ou já existem novos projetos?

Vou aproveitar o intervalo do fim das gravações e meu próximo trabalho para estudar um mês e meio em Los Angeles. Esse ano também tem a estreia do longa “Nada a perder 2” e quero começar a trabalhar em uma ideia de um curta-metragem que tenho vontade de fazer.

 

Matéria e Entrevista: MARI BARCELOS

Fotos: Pupin&Deleu (instagram.com/pupindeleu)

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Jornalista por paixão. Música, Novelas, Cinema e Entrevistas. Designer de Moda que não liga para tendência. Apaixonada por música e cinema. Colunista, critica de cinema e da vida dos outros também. Tudo em dobro por favor, inclusive café, pizza e cerveja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *