A LÓGICA ABSTRATA DOS ACASOS: ANDRÉIA BORGES DA SILVA lança coletânea de contos

 

Depois de participação em algumas antologias e coletâneas, chegou a hora de Andréia Borges da Silva lançar seu primeiro livro individual. A lógica abstrata dos acasos é composto de 28 contos, unidos pelo fato de que, em alguma medida, os acontecimentos e as relações entre os personagens são influenciados pelo acaso. Conversamos com a autora sobre a obra, a expectativa para o lançamento, criação literária e mais. Confira na entrevista abaixo.

 ArteCult: Como a Literatura entrou na sua vida?

Andréia Borges da Silva: Desde muito nova, sempre amei ler. Eu me lembro de que, quando minha mãe saía e perguntava o que eu e minha irmã queríamos que ela trouxesse, eu geralmente pedia um livro. Então, na juventude, resolvi fazer o curso de Letras e, depois, Direito. Não fiz o curso de Letras pensando em lecionar, mas em focar na escrita ou na parte editorial, pois sempre amei ler e escrever. Embora não trabalhe na área de Letras, a escrita está em tudo. Há alguns anos, comecei a participar de alguns concursos literários e tive meus contos e poemas selecionados em alguns, o que me motivou a querer me dedicar cada vez mais à escrita.

 

AC: Inspiração ou transpiração: o que vale mais no fazer literário?

ABS: Com certeza, transpiração. Já li vários relatos de grandes escritores falando que sentar e escrever é uma tarefa como outra qualquer, ainda que você não esteja inspirado. Acredito que, quanto mais você pratica, melhor desenvolve a sua escrita. A inspiração é apenas uma pequena porcentagem do processo.

 

AC: Como nasceu A lógica abstrata dos acasos, o livro que você está lançando pela editora Penalux?

A lógica abstrata dos acasos, coletânea de contos de Andréia Borges da Silva, será lançado no dia 05 de novembro. Foto: Divulgação.

ABS: Como falei anteriormente, eu participei de alguns concursos literários. Em um deles, o conto “Noite feliz”, que é o que abre esse livro, ganhou o 3º lugar no concurso do CLARON – Centro literário e artístico da Região Oceânica de Niterói. Então, comecei a escrever alguns outros contos e fui armazenando. Após trabalhar bem os contos e revisá-los, achei que estava na hora de reunir alguns deles em um livro.

 

AC: Antes de lançar A lógica abstrata dos acasos, você participou de algumas antologias, tanto de contos quanto de poemas. Fale dessa experiência.

ABS: A minha primeira experiência marcante foi com a antologia Novas Contistas da Literatura Brasileira, da Editora Zouk em parceria com a Casa da Mãe Joanna. Foi um concurso nacional, com quase mil contos concorrendo, e ter ficado entre as 30 autoras selecionadas me trouxe grande satisfação, além de ter sido uma “virada de chave” para que eu começasse a me dedicar mais à escrita, inclusive com oficinas literárias e retiro de escritoras. Vale destacar que fiz uma oficina com você, César, da qual gostei muito. Depois desse concurso vieram outros, em que tive contos e poemas selecionados, embora não me considere poetisa. Acredito que tenha maior aptidão para a prosa. Mas fiquei feliz com a seleção dos poemas também. Como exercício de escrita, escrevi um romance recentemente, que lancei apenas na Amazon, em e-book: A vila que vive em mim.

AC: Como é seu processo de escrita? Você reescreve muito? Pede opinião enquanto está escrevendo?

O romance A vila que vive em mim foi lançado na Amazon. Foto: Divulgação.

ABS: Acredito que a maioria dos escritores observa muito. Então, a partir do que observo ou vivencio, tento criar histórias ficcionais, trazendo algumas situações observadas ou narradas por amigos ou mesmo vivenciadas. Eu faço algumas revisões, mas não reescrevo tanto. Quando acho que aquele texto não está fluindo, geralmente parto para outro. Eu acho importante ter um leitor beta, que é aquela pessoa que vai ler antes de todo mundo e dar a sua opinião sincera. Também acho importante contratar um profissional para que ele faça uma leitura crítica. No livro que estou lançando, eu tive as duas leituras. A partir das sugestões, eu pude melhorar os meus textos, dentro do que eu acreditava.

 

AC: Gostaríamos de conhecer um pouco do que você escreve. Por favor, deixe aqui uma amostra do seu trabalho.

ABS: Vou deixar um trecho do conto “Bodas”, do livro A lógica abstrata dos acasos:

(…)Luzia acabou seguindo os conselhos da mãe. Casou-se aos vinte. Com vinte e um já teve seu primeiro filho. E depois mais três. Foram dois meninos e duas meninas.
Agora estava com cinco netos, que eram a sua alegria e de Itamar.

Luzia acabou não terminando o seu curso universitário. Na época, optou por cuidar dos filhos.

Seu marido ganhava um salário suficiente para toda a família. Era assim que tinham aprendido. O marido trabalhava fora e a esposa cuidava da casa e dos filhos.

Se pudesse voltar atrás, gostaria de ter se formado, ter uma carreira, ser mais independente.

Sempre gostou de cuidar da casa e das crianças, mas também sentia falta de exercer uma profissão.

Aprendeu a pintar e a bordar. Nunca fez por dinheiro, mas como hobby mesmo.

Suas pinturas estavam espalhadas por toda a casa, assim como seus bordados. Ela também gostava de presentear os amigos com sua arte.

Seus netos achavam que ela deveria fazer uma exposição de suas pinturas, mas ela se achava velha demais para começar uma carreira, por mais incentivo que recebesse deles.

Itamar também gostava de pensar sobre tudo que tinham vivido até ali. Sentia-se realizado, com sua bela família e com uma carreira de sucesso como arquiteto. (…) .

 

A LÓGICA ABSTRATA DOS ACASOS – SINOPSE

Os vinte e oito contos que compõem este livro trazem temas diversos, alguns com um toque de fantástico, mas todos eles ligados por um ponto em comum: o acaso. O acaso vai ditando os acontecimentos da vida. Se por um lado, ele faz você conhecer alguém interessante em uma viagem, por outro lado ele também pode fazer você descobrir que seu casamento está falido. E qual é a lógica dos acasos? Você poderia fazer algo diferente para evitar determinado acontecimento? Eis aí o mistério de viver.

 

LANÇAMENTO 

A autora convida a todos para o lançamento do livro A lógica abstrata dos acasos, que, seguindo todos os protocolos de saúde, será no dia 05/11, às 16 horas, no salão nobre do Museu da Justiça, no centro do Rio.

Ele será vendido por 40 reais e pode ser encomendado por e-mail (andreia.borges777@gmail.com) diretamente com a autora ou comprado no próprio site da Editora Penalux.

 

SIGA ANDREIA NAS REDES

@andreiaborges777

 

SERVIÇO

A LÓGICA ABSTRATA DOS ACASOS

 

Até a próxima!

César Manzolillo – Colunista do canal LITERATURA

 

 

 

 

 

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Carioca, licenciado em Letras (Português – Literaturas) pela UFRJ, mestre e doutor em Língua Portuguesa pela mesma instituição, com pós-doutorado em Língua Portuguesa pela USP. Participante de vinte e quatro antologias literárias. Autor do livro de contos A angústia e outros presságios funestos (Prêmio Wander Piroli, UBE-RJ). Professor de oficinas de Escrita Criativa. Revisor de textos.

One comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *