2ª Mostra Taturana de Cinema apresenta filmes sobre democracia e antirracismo

Em parceria com a Coalizão Negra por Direitos, Associação dos Profissionais do Audiovisual Negro (APAN) e Wonder Maria Filmes (Portugal), evento gratuito terá atividades online e presenciais entre 14 e 19 de setembro no Brasil e em Portugal

A Mostra Taturana de Cinema chega à sua segunda edição com curtas e longas-metragens documentais sob a premissa de que não é possível debater democracia sem se comprometer com a luta antirracista. Organizada pela Taturana Mobilização Social, em parceria com Coalizão Negra por Direitos, Associação dos Profissionais do Audiovisual Negro (APAN) e Wonder Maria Filmes (Portugal), o evento contará com atividades online – pela plataforma de Streaming TodesPlay e Oficina Cultural Alfredo Volpi, e presenciais em salas do circuito SPCine (São Paulo – Brasil) e no Museu do Aljube (Lisboa – Portugal), entre os dias 14 e 19 de setembro, semana em que celebra o Dia Internacional da Democracia. Após essa data, a Mostra vai itinerar em outras regiões do país. O objetivo é ampliar as discussões e democratizar o acesso ao cinema. “Será produzido um material educativo para ajudar as organizações anfitriãs a mediarem conversas sobre os temas abordados pelos filmes nos locais onde a Mostra irá passar. A expectativa é ter 40 exibições e debates nesta itinerância”, diz Amanda Letícia, coordenadora de mobilização da Mostra. Todas as exibições e atividades serão gratuitas.

Parte do evento será realizada em Portugal com colaboração do site Buala, Inmune (Instituto da Mulher Negra em Portugal), SOS Racismo e Nêga Filmes. O intuito é trazer à tona as políticas de visibilidade e as noções de representação, levando em conta o significado do processo de colonização e de dominação nos países marcados pela escravização. “A luta antirracista para pensar, fortalecer e estruturar a democracia é uma questão urgente não só no Brasil, onde o racismo estrutural se expressa em sua forma mais violenta, mas no mundo todo”, enfatiza Fernanda Polacow, representante da Taturana Mobi, em Portugal.

Para a Coalizão Negra por Direitos, debater racismo neste momento é compreender o que é o racismo estrutural e como ele arregimenta a história do Brasil, além de ser essencial para buscar saídas para a atual crise que o Brasil passa. “Aumento da miséria e da fome, criminalização da pobreza, encarceramento em massa, feminicídio de mulheres negras, extermínio da juventude negra são todos problemas de uma mesma equação, que é o racismo estrutural”, salienta Seimour Souza, integrante da Coalizão Negra por Direitos . “É necessário seriedade e compromisso no enfrentamento ao racismo e suas consequências, as saídas são muitas, e é justamente da parcela mais marginalizada que sairão as respostas. Basta ouvir quem historicamente foi silenciado. São das favelas e periferias, das rodas de samba, de rima e rap, dos terreiros e cursinhos populares, que nascerá um novo Brasil, consciente racialmente apontando para uma sociedade mais justa e igualitária.”, enfatiza Seimor.

A curadoria da Mostra selecionou 23 filmes dirigidos apenas por pessoas negras e indígenas e promoverá nove sessões presenciais, debates, encontros, oficinas e rodadas de conversas com lideranças e intelectuais de diferentes áreas do conhecimento. Entre os filmes que serão exibidos estão: Cavalo (BRASIL, 2020, dir. Rafhael Barbosa e Werner Salles Bagetti), Nhemonguetá Kunhã Mbaraete (BRASIL, 2020, dir. Michele Kaiowá, Graciela Guarani, Patrícia Ferreira Pará Yxapy e Sophia Pinheiro), Raízes (BRASIL, 2020, dir. Simone Nascimento e Well Amorim), Travessia (BRASIL, 2017, dir. Safira Moreira), O Caso do Homem Errado (BRASIL, 2017, dire. Camila de Moraes), Chico Rei Entre Nós (BRASIL, 2020, dir. Joyce Prado), Joãosinho da Goméa – O Rei do Candomblé (BRASIL, 2019, dir. Janaina Oliveira ReFem e Rodrigo Dutra), A Sússia (BRASIL, 2018, dir. Lucrécia Dias), Pontes sobre abismos (BRASIL, 2017, dir. Aline Motta), Thinya (BRASIL, 2019, dir. Lia Letícia), Sementes: mulheres pretas no poder (BRASIL, 2020, dir. Éthel Oliveira e Júlia Mariano), Ipa | Ipá (BRASIL, 2020, dir. Thais Scabio), O Bocado da Cova da Moura que Há em Nós (PORTUGAL, 2014, 21′, dir. Edson Diniz e Edu Semedo), Bastien (PORTUGAL, 2016, dir. Welket Bungué), entre outros.

As escolhas refletem o conceito desta edição, dividida em seis eixos temáticos nos quais os filmes se organizam. São eles: Experiências do corpo e da fé: religiosidade, estética e antirracismo; Em defesa da vida: direito ao território e ao modo de viver; Árvore da memória: busca da ancestralidade e o combate ao apagamento e à invisibilidade; Muros do racismo: estruturas e fronteiras geográficas, materiais e simbólicas; Vidas negras importam: violência de Estado e genocídio da população negra; Outras histórias possíveis: memória, vozes e disputa de narrativas. Todos os longa-metragens ficarão disponíveis durante 48h e os curtas poderão ser assistidos durante toda semana em que acontece o evento. “O audiovisual é uma ferramenta de luta e não só entretenimento”, reforça Thais Scabio, cineasta e vice-presidenta da APAN. “A cultura do racismo foi fortalecida no audiovisual todo esse tempo com o apagamento das pessoas negras na frente e por trás das câmeras. O corpo negro sempre foi retratado como sendo um risco à sociedade, pois em toda produção o negro é tido como bandido, pessoa má, traficante e isso nada mais é que um genocídio apoiado pelo audiovisual. A Mostra Taturana de Cinema: Democracia e Antirracismo surge como um papel fundamental que é mostrar a beleza da diversidade como forma de combate ao racismo”, finaliza a cineasta.

A programação se encerra com a Caminhada São Paulo Negra, que faz um resgate de lugares importantes da histórias dos negros na cidade de São Paulo. O tour será realizado pelo Guia Negro, no Brasil. Em Portugal, a Caminhada Lisboa Negra será conduzida pela Batoto Yetu Portugal. Os passeios terão vagas limitadas, mediante inscrição. Os debates serão transmitidos pela TodesPlay e Youtube da Taturana Mobi. As atividades paralelas – Encontros e oficinas -, também acontecem mediante inscrição.

https://www.mostra.taturanamobi.com.br/programacao

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Luan Ribeiro
Sou natural de Mata de São João, Bahia, mas atualmente moro na cidade do São Paulo. Sou formado em Engenharia, mas sempre tive uma verdadeira fixação pelo universo cinematográfico e sou o admin do @CinemaeCompanhia no Instagram. Assistir um filme é minha válvula de escape para mergulhar e me aventurar em mundos totalmente novos e me desligar dos problemas do dia-a-dia. Aproximadamente de duas a três vezes confiro as estreias da semana nas telonas, digamos que eu seja quase um “rato de cinema”. rs Será um enorme prazer compartilhar aqui minhas opiniões sobre os filmes e suas principais curiosidades. E uma ótima oportunidade para poder aprender e "trocar figurinhas" com todos vocês! Espero que se divirtam muito e curtam minhas dicas. Que a FORÇA esteja com vocês!!! Forte abraço! Luan Ribeiro. Instagram.com/CinemaeCompanhia e-mail: luancribeiro@hotmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *