23º FESTIVAL DE CINEMA BRASILEIRO DE PARIS : FESTIVAL RETORNA À SALA DE CINEMA

A 23ª edição do Festival de Cinema Brasileiro de Paris vai encontrar novamente seu público no icônico e histórico Cinema l’Arlequin, de  1º a 4 de julho.

Organizado por Kátia Adler, da Jangada org, que arregaçou as mangas e neste ano receberá o público ao vivo e a cores, com todas as normas sanitárias em vigor, o Festival de Cinema Brasileiro de Paris apresentará de quatro a cinco filmes por dia e vem recheado com uma programação de longas de ficção e documentários nacionais – ótima oportunidade dos estrangeiros e brasileiros que estiverem na França de conhecer as mais recentes produções do Brasil.

Filme Medida Provisória – foto Divulgação

Como acontece todo ano, o festival aborda um tema e faz uma homenagem a um artista que o ilumina. Nesta 23ª edição, o tema será o negro no cinema brasileiro e o homenageado é Lázaro Ramos, um ator emblemático, com vários filmes em que participou sendo exibidos: Medida Provisória, seu primeiro longa como diretor, inédito na França, será o filme abertura do festival; O Silêncio da Chuva, de Daniel Filho; Madame Satã, de Karim Aïnouz; Tudo que Aprendemos Juntos, de Sérgio Machado e, ainda, O Beijo no Asfalto,  de Murilo Benício. Após a sessão de abertura com “Medida Provisória” Lázaro e Tais Araújo, atriz principal do filme, participarão de um debate online com o público.

“É com sentimentos mistos que voltamos ao emblemático cinema Arlequin para esta 23ª edição. ;E quisemos colocar no centro da ribalta os negros no cinema brasileiro, à frente ou atrás das câmaras, prestando uma merecida homenagem a Lázaro Ramos. A sua carreira de ator é notável e as suas escolhas artísticas exigentes não o impediram de alcançar um grande sucesso público”, conta Kátia.

Um debate sobre a importância da comunidade negra no cinema brasileiro, com a presença do cineasta, ativista, produtor e escritor Luis Lomenha, que ajudou na seleção de outros filmes com a temáitca e estará presente para mediar o debate com Lázaro e Taís.

Filme Babenco – foto divulgação

Mantendo a tradição, o festival apresenta uma seleção de documentários, que são: Estrelas, de Pamela Valente; Alcione – O Samba é Primo do Jazz, de Angela Zoé; Todas as Melodias, de Marco Abujamra; Babenco – Alguém tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou, de Barbara Paz; Nheengatu, de José Barahona; e Alvorada, de Anna Muylaert e Lô Politi – escolhido para o encerramento do festival. Este filme acaba de ser lançado no Brasil e representa um retrato íntimo da ex-presidente Dilma Rousseff, que as diretoras seguiram durante seu período de isolamento no palácio da Alvorada para lidar com a espera do momento em que ela foi afastada definitivamente do poder.

Filme Marighella – foto divulgação

Como de costume, o Festival apresenta as ficções: Pacarrete, de Allan Deberton; Aos Nossos Filhos, de Maria de Medeiros; Veneza, de Miguel Falabella; Simonal, de Leonardo Domingues; Curral, de Marcelo Brennand; Marighella, de Wagner Moura; Três Verões, de Sandra Kogut, e A Febre, de Maya Da-rin.

O bar com suas tradicionais caipirinhas retorna, finalmente, para esquentar essa programação. Outro evento esperado será o baile de máscaras, com roda de samba, no sábado, dia 03 de julho às 23h.

 

SERVIÇO

23ª edição do Festival de Cinema Brasileiro de Paris

 

Filme O Silêncio da Chuva – foto divulgação

Programação:

01/07

* 14hs – O Professor de Violino, de Sérgio Machado

* 16h – Três Verões, de Sandra Kogut

* 18h – O Silêncio da Chuva, de Daniel Filho

* 20h – Medida Provisória, de Lázaro Ramos

02/07

* 14h – O Beijo no Asfalto, de Murilo Benício

Filme Três Verões – foto divulgação

* 16h – A Febre, de Maya Da-Rin

* 18h – Estrelas, de Pamela Valente

* 20h – Babenco – Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou, de Bárbara Paz

* 21h30 – Aos Nossos Filhos, de Maria Medeiros

* 23h45 – Marighella, de Wagner Moura

03/07

* 14hs – Curral, de Marcelo Brennand

Filme Madame Satã – foto divulgação

* 16h – Simonal, de Leonardo Domingues

* 18h10 – Todas as Melodias, de Marco Abujamra

*20h – Pacarrete, de Allan Debertan

* 22h – Alcione, o Samba é Primo do Jazz, de Angela Zoé

04/07

* 14h – Madame Satã de Karim Ainouz

* 16h10 – Veneza, de Miguel Falabella

Filme Alvorada Dilma Roussef – foto divulgação

* 18h – Nheengatu, de José Barahona

* 20h30 – Alvorada, de Anna Muylaert e Lo Politi

 

 

 

 

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

CINEMA & COMPANHIA
Críticas, Séries, notícias, Mundo Geek! Siga o @cinemaecompanhia no Instagram!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *