Tropicalinha – Caetano e Gil para Crianças: espetáculo infantil premiado agrada até os adultos

Vencedora dos prêmios Brasil Musical 2018 e Musical Rio 2018 de Melhor Espetáculo Infantil e Botequim Cultural 2018 de Melhor Direção de Teatro Infantojuvenil, a peça homenageia os baianos Caetano Veloso e Gilberto Gil, ícones do movimento tropicalista e da música mundial

 

Elenco de Tropicalinha

ARTECULT foi conferir neste último domingo, dia 24, o espetáculo ‘Tropicalinha – Caetano e Gil para Crianças’ e comprovou que se trata de um entrenimento maravilhoso para toda a família.

Quarto espetáculo do premiado projeto ‘Grandes Músicos para Pequenos’ e criado pela Entre Entretenimento,  já iniciou a nova temporada neste último sábado, dia 23 de Março, agora no Teatro Clara Nunes, no Shopping da Gávea e vai até 28 de abril.

Com texto de Pedro Henrique Lopes, direção de Diego Morais e direção musical de Guilherme Borges, o musical infantil, sucesso de púbico e crítica, foi vencedor dos prêmios Brasil Musical 2018 e Musical Rio 2018 de Melhor Espetáculo Infantil e Botequim Cultural 2018 de melhor Direção em Teatro Infanto juvenil. Também foi indicado a Melhor Figurino, Melhor Visagismo, Melhor Direção de Produção e Melhor Ator Coadjuvante (Hamilton Dias) no Prêmio CBTIJ de Teatro Infantil 2018. A peça faz uma grande homenagem aos baianos Caetano Veloso e Gilberto Gil, dois ícones do movimento tropicalista e da música mundial, em uma história que enaltece a amizade e desperta o sentimento de responsabilidade social.

Este espetáculo imperdível conta a história do Reino de Pindorama, governado por uma rainha autoritária (Martina Blink), que toma o poder e baixa decretos proibindo a música e as cores no lugar. Dois amigos, Cae (Pedro Henrique Lopes) e Gil (Orlando Caldeira), se unem para trazer sons e cores de volta ao reino, em alusão ao movimento tropicalista. Também estão no elenco, Flora Menezes (Pobo), Hamilton Dias (Lindoneia) e Sergio Somene (Juca). O musical não é biográfico, mas é inspirado em momentos vividos por Caetano Veloso e Gilberto Gil na juventude.

O autor Pedro Henrique Lopes, sócio da Entre Entretenimento ao lado de Diego Morais, explica:

 “Em Tropicalinha, mostramos como a amizade e parceria profissional entre dois músicos deu origem à criação de um movimento cultural que influenciou e influencia até hoje as mais diversas manifestações artísticas”

Diego completa, lembrando que o disco ‘Tropicalia ou Panis et Circencis’, lançado em 1968 como um manifesto musical do movimento, completa cinco décadas este ano:

“Dos espetáculos este é o que mais brinca com as possibilidades teatrais. No sentido de conseguir subverter o enredo em tramas lúdicas, personagens mais fantásticos, exagerados, tudo no tom descontraído, fazendo um paralelo com algumas manifestações artísticas do período da Tropicália”

No repertório, estão 43 músicas (completas e/ou trechos) compostas por eles individualmente ou em parceria, entre elas TropicáliaForça estranhaAlegria, alegria, Vamos fugirAndar com féDivino MaravilhosoExpresso 2222 Você é linda.

 “A partir de uma história divertida que se passa num reino fictício, falamos de como é importante o compromisso com a comunidade e da nossa participação na luta pelos direitos de um povo”, acrescenta o diretor. “O repertório é bem vasto porque os dois artistas compuseram, cada um, mais de 600 músicas, e quisemos reunir músicas das mais diversas fases da carreira dos dois”, completa.

No final do espetáculo conversamos com a família de Eduardo Garcia que estava curtindo bastante com sua esposa Vanessa Proença e seus filhos Arthur e Alice Garcia.
Eduardo nos falou o quanto ficaram satisfeitos:

“Achei interessante porque entretém os pais, em razão das musicas e da alusão ao movimento tropicalista, e também as crianças, graças à trama! E eles encaixaram bem as músicas no enredo da História. 
É uma peça que entretém então tanto os pais como as crianças porque quando é um tema puramente infantil, mas acaba não sendo muito interessante para os pais, mas esta peça pelo tipo de música ela entretém as crianças pois fizeram uma estória que tinha uma rainha malvada, por exemplo, era a ditadura militar. Ela proibia que fosse feitas as músicas na República Pindorama e tinha os personagens do Gil e do Caetano que queriam fazer música e acabaram derrubando a rainha, então entretinha os adultos também pois se entendia o contexto de luta contra o totalitarismo. Além disto, rolou uma interação muito boa com o público, as crianças batiam palma, os pais cantavam…então foi bem legal!”, nos contou Eduardo.
Sua mulher, Vanessa Proença acrescentou:
“Foi interessante o modo lúdico como a história real foi transmitida às crianças!”

Eduardo Garcia, Vanessa Garcia e seus filhos Arthur e Alice curtiram bastente o espetáculo

O espetáculo conta mesmo a história do Reino de Pindorama, governado por uma rainha autoritária, que toma o poder e baixa decretos proibindo a música e as cores no lugar. Dois amigos, Cae (Pedro Henrique Lopes) e Gil (Orlando Caldeira), então, se unem para trazer sons e cores de volta ao reino, em alusão ao movimento tropicalista. Também estão no elenco, Flora Menezes (Pobo), Hamilton Dias (Lindoneia) e Sergio Somene (Juca). O musical não é biográfico, mas é inspirado em momentos vividos por Caetano Veloso e Gilberto Gil na juventude.
“Em Tropicalinha, mostramos como a amizade e parceria profissional entre 2 músicos deu origem à criação de um movimento cultural que influenciou e influencia até hoje as mais diversas manifestações artísticas”, explica o autor Pedro Henrique Lopes, sócio da Entre Entretenimento, criadora do projeto, ao lado de Diego Morais.
”Dos espetáculos, este é o que mais brinca com as possibilidades teatrais, no sentido de conseguir subverter o enredo em tramas lúdicas, personagens mais fantásticos, exagerados, tudo no tom descontraído, fazendo um paralelo com algumas manifestações artísticas do período da Tropicália”, observa Diego, lembrando que o disco ”Tropicalia ou Panis et Circencis”, lançado em 1968 como um manifesto musical do movimento, completa 50 anos em 2019.
No repertório, estão 43 músicas (completas e/ou trechos) compostas por eles individualmente ou em parceria, entre elas Tropicália, Força Estranha, Alegria, Alegria, Vamos Fugir, Andar com Fé, Divino Maravilhoso, Expresso 2222 e Você é Linda.
“A partir de uma história divertida que se passa num reino fictício, falamos de como é importante o compromisso com a comunidade e da nossa participação na luta pelos direitos de um povo”, acrescenta o diretor. “O repertório é bem vasto, pois os 2 artistas compuseram, cada um, mais de 600 músicas, e quisemos reunir músicas das mais diversas fases da carreira dos 2”, completa.

Grandes Músicos para Pequenos

Tropicalinha – Caetano e Gil para crianças é o quarto espetáculo do projeto “Grandes Músicos para Pequenos”, que nasceu em 2013 com o musical Luiz e Nazinha – Luiz Gonzaga para Crianças. Depois,  vieram O Menino das Marchinhas – Braguinha para Crianças, que estreou em 2016 e foi premiado em três categorias pelo CBTIJ –  Melhor Atriz em Papel Coadjuvante (Martina Blink), Direção de Produção (Entre Entretenimento) e Prêmio Especial pela qualidade do projeto (Diego Morais e Pedro Henrique Lopes) – e Bituca – Milton Nascimento para crianças, de 2017, vencedor do Prêmio CBTIJ de Melhor Ator (Udylê Procópio) e de quatro estatuetas no Prêmio Botequim Cultural: Melhor espetáculo infanto-juvenil, Melhor Direção (Diego Morais), Melhor Roteiro (Pedro Henrique Lopes) e Melhor Atriz Coadjuvante (Aline Carrocino). As três peças juntas já foram vistas por mais de 150 mil espectadores. O objetivo do Grandes Músicos para Pequenos é apresentar a vida e a obra de importantes compositores para as novas gerações e promover o resgate da cultura brasileira através de espetáculos que envolvam toda a família em experiências inesquecíveis.

O espetáculo faz parte do projeto Grandes Músicos para Pequenos. Foto: Junior Mandriola / Divulgação/Junior Mandriola

“A ideia é trazer o legado de uma cultura quase esquecida para as novas gerações, com um conteúdo atraente para as famílias”, descreve Pedro Henrique Lopes, autor das peças do projeto. “Queremos criar experiências de entretenimento inesquecíveis e marcantes, onde o espectador participe de forma ativa”, explica o diretor Diego Morais.

Mais sobre o espetáculo e o projeto em: www.grandesmusicosparapequenos.com.br

 

ENTRE Entretenimento

A Entre é uma empresa de produção cultural e inovação em entretenimento fundada pelo diretor Diego Morais e pelo ator e dramaturgo Pedro Henrique Lopes. O objetivo da dupla é valorizar a cultura do nosso país através da criação e da viabilização de projetos inéditos e de alta qualidade artística que dialoguem com a história e as manifestações culturais do Brasil. Emoção, cultura, educação, história e momentos de extrema diversão estão na pauta dos projetos da empresa, assim como a criação de soluções culturais memoráveis para marcas, companhias e consumidores através de: comprometimento artístico-cultural; inovações em marketing; soluções transmidiáticas e envolvimento social.

Saiba mais em www.entreentretenimento.com.br.

 

TIJOLINHO:

Tropicalinha – Caetano e Gil para Crianças. Musical infantil. De Pedro Henrique Lopes. Dir. Diego Morais. Dir. Musical Guilherme Borges. Com Pedro Henrique Lopes, Orlando Caldeira, Martina Blink, Sergio Somene, Flora Menezes e Hamilton Dias. Dois amigos se unem para destronar uma rainha autoritária que proibiu a música no reino onde vivem. (60 min) Teatro Clara Nunes. Rua Marques de São Vicente, 52 – 3º andar – Gávea – Rio de Janeiro – RJ. Tel.: (21) 2274-9696. Sáb. e Dom., às 16h. R$ 70 (inteira) e R$ 35 (meia). Livre. Capacidade: 743 lugares. De 23/03 a 28/04.

 

SERVIÇO:

 Tropicalinha – Caetano e Gil para Crianças

  • Temporada: De 23 de março a 28 de abril
  • Teatro Clara Nunes (Shopping da Gávea) – Rua Marques de São Vicente, 52 – 3º andar – Gávea – Rio de Janeiro – RJ.
  • Telefone: (21) 2274-9696
  • Dias e horários: Sábados e domingos, às 16h
  • Ingressos: R$ 70 e R$ 35 (meia-entrada)
  • Lotação: 743 pessoas
  • Duração: 60 minutos
  • Classificação: Livre
  • Funcionamento da Bilheteria: Todos os dias, de 13h às 21h.

FICHA TÉCNICA:

  • Direção: Diego Morais
  • Direção Musical: Guilherme Borges
  • Texto: Pedro Henrique Lopes
  • Elenco: Pedro Henrique Lopes, Orlando Caldeira, Martina Blink, Sergio Somene, Flora Menezes e Hamilton Dias.
  • Cenário e figurinos: Clívia Cohen
  • Iluminação: Tiago e Fernanda Mantovani
  • Visagismo: Vitor Martinez
  • Produção e realização: Entre Entretenimento

FONTES:

  • RACCA COMUNICAÇÃO

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Raphael Gomide
Fundador e Diretor Geral do ArteCult.com, Sócio-fundador e editor do QuadriMundi, ambos projetos da Webstaff, sua empresa que está sendo estruturada e que também gerencia outros portais como o BandasNovas, OlheiroMusical, Bullyng nas Escolas, Reação Adversa e CasarOnLine. Apaixonado pela sua família e por toda forma de ARTE e CULTURA. No Facebook, administra vários grupos tais como Dicas de Filmes, Dicas de Livros, Dicas de Músicas , além das páginas Futuristiko (sócio-fundador), Infância80, Olheiro Musical, Bullying nas Escolas, Reação Adversa e Portal TEAmigo (app em desenvolvimento para a comunidade TEA - Transtorno do Espectro Autista).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *