‘Assédio’: Rede Globo lança série repleta de responsabilidade, coragem, força e maestria

Assédio’ é uma obra ficcional que conta a história de uma rede de mulheres que se forma para denunciar uma série de abusos sexuais cometidos por um médico bem-sucedido e respeitado: Roger Sadala (Antonio Calloni). A saga começa quando uma dessas mulheres rompe o silêncio e torna público o que até então era restrito ao consultório. ‘Assédio’ é uma minissérie da Globo, de Maria Camargo, escrita com Bianca Ramoneda, Fernando Rebello e Pedro de Barros. A obra é livremente inspirada no livro “A Clínica: A Farsa e os Crimes de Roger Abdelmassih”, de Vicente Vilardaga. A direção artística é de Amora Mautner, direção-geral de Joana Jabace e direção de Guto Botelho.  

Durante a coletiva, assistimos o primeiro episódio da série e as palavras que não saem da minha cabeça são: responsabilidade, coragem, força e maestria.

Responsabilidade moral, ou seja, a ética de Maria Camargo e Amora Mautner por produzir/dirigir uma série que fala sobre dor, abuso, sonhos e impunidade.
Coragem, de todos os envolvidos no projeto de produzir e distribuir uma série livremente inspirada na vida de Roger Abdelmassih, que hoje está solto, mesmo após tantas vítimas.
Força para participar de um projeto com tamanha importância, diante de um tema que precisa ser falado para ontem. Principalmente de todas as atrizes que se colocaram no papel das vítimas e necessitarão reviver todo o sofrimento. Inclusive, perguntamos a atriz Mariana Lima, como foi a 
construção para seu papel, Glória SadalaEsposa de Roger Sadala, principalmente por ser um outro tipo de vítima e precisar expressar amor por um homem tão repugnante. 

“O texto ajudou muito, e a direção também ajudou muito. Já chegou pra gente personagens bem complexos no ponto de vista humano. Dava para entender lendo aquilo, eu ganhei o livro depois mas, eu não precisaria ter lido o livro para construir essa mulher a partir do que estava escrito, proposto ali na direção. Que era uma mulher capaz de chegar às raias da loucura de amor, de cometer consigo mesmo o que ele estava cometendo com as outras mulheres, porque ela se auto flagela no fundo né, ela desenvolve uma doença por causa disso, por ser capaz de amar esse homem verdadeiramente. Então eu acho que foi a coisa mais difícil que eu já fiz na minha vida, mesmo, nunca tive um desafio tão grande. Porque ela é uma mulher tão complexa de se construir. Ela foi ficando doente de amor, de ciúmes e de amar uma pessoa como o Roger, então eu tive que entender esse tipo de amor, que é o tipo de amor que pessoalmente não seria capaz de sentir. A minha relação com essa figura mítica, essa figura ficcional, a minha relação pessoal é de asco e ali eu tive que desenvolver um amor profundo, um amor doente. Foi bem difícil, mas estávamos ancorados pela direção, pelo texto, toda uma construção de figurino, maquiagem incrível, a gente vai se transformando bastante.”  (Mariana Lima)

E Maestria, em destaque para Maria Camargo e Amora Mautner , por traduzir em tela tanta dor de uma maneira impactante mas, totalmente respeitosa. Durante o primeiro capítulo que foi dado como um dos mais leves não só por Amora, mas por quase todo o elenco, é retratado o abuso com uma das vítimas, Stela, incrivelmente interpretada por Adriana Esteves. Depois de assistir a cena executada com muita competência e mais uma vez digo, maestria, pois mesmo se tratando de um cena que relata um abuso sexual, não existe em momento algum uma imagem vulgar e sim um cena que registra dor, sofrimento e agonia. Diante disto perguntamos a Amora sobre a fotografia. Como foi a relação dela e da Maria com direção de fotografia da série, para imprimir tanta dor em tela:

 

“Um dos meus agradecimentos foi a Rafaela Leite, que me ajudou muito a estrutura como seria esse desenho de fotografia que que enclausura. Maria também que é um esteta, então tudo eu mostrava pra ela e aí ela falava é isso, me dava muitos palpites. Nessa série cabia um certo formalismo, diante da situação, onde a atmosfera seria importante para manter o tom. O que a gente está vendo ali a maioria do tempo,  com cenas normais, uma situação normal, então a gente tinha que manter esse tom, esse clima suspenso, um terror suspenso. A fotografia ela foi muito pensada para ajudar nessa atmosfera onde elas ficassem enclausuradas, dentro desse horror que foi viver essa violência. Até que tem um virada, onde elas se unem, começam a ficar mais potentes e mudarem a história. A fotografia acompanha um pouco essa virada, mas não tanto, porque clareia um pouco tudo. No geral elas se libertam, vocês vão vê que não só na fotografia, mas na decupagem ela vai melhorando, no sentido dessas mulheres ficarem mais leves.” (Amora Mautner)

A minissérie fala da força do coletivo por um objetivo comum e é estruturada a partir dos dramas das vítimas, entrelaçados à história de Roger, dramas estes que se cruzam em curvas opostas, sem que se prendam necessariamente numa ordem cronológica. No período entre 1994 a 2007, o médico está em ascensão e as vítimas, em queda. Com a união das mulheres, elas ganham força, e chega o ponto em que o médico inicia sua curva de decadência, entre 2008 e 2014. Nesse período, as vítimas, com a ajuda das autoridades e da imprensa, buscam por justiça.

“Vamos falar da força do coletivo. As vítimas tomam uma posição e decidem mudar a história mostrando o poder da coletividade contra o assédio. O médico da trama é um antagonista simbólico desse movimento conjunto de quem rompe o silêncio. O tema é um dos grandes protagonistas. É um assunto muito atual e tem gerado debates no mundo todo”, ressalta a autora Maria Camargo.

Stela ( Adriana Esteves ), Vera ( Fernanda D’Umbra ) , Eugênia ( Paula Possani ), Daiane ( Jéssica Ellen ) e Maria José ( Hermila Guedes ).

Stela (Adriana Esteves), Eugênia (Paula Possani), Maria José (Hermila Guedes), Vera (Fernanda D’Umbra) e Daiane (Jéssica Ellen) têm uma situação forte que as une. Todas foram iludidas pela figura de Dr. Roger. Referência na reprodução humana assistida, o renomado profissional usa todo o seu poder de persuasão e influências social e profissional para envolver as mulheres que o procuram. Todas são suas pacientes, com exceção de Daiane (Jéssica Ellen), que trabalha na clínica, mas também sofre com seu assédio. Ao lado dessas mulheres está Mira (Elisa Volpatto), uma incansável jornalista que vai atrás obsessivamente de provas dos crimes cometidos pelo médico.

“O maior desafio da direção foi falar sobre a pluralidade das vítimas e sobre como o assédio está presente em situações inimagináveis, como, por exemplo, dentro de um consultório médico”, relata a diretora artística, Amora Mautner.

 

Conheça um pouco dos personagens: 

As vítimas e suas relações

Eugênia ( Paula Possani ) , Stela ( Adriana Esteves ), Vera ( Fernanda D’ Umbra ) , Maria José ( Hermila Guedes ) e Daiane ( Jéssica Ellen ) reunidas com Mira ( Elisa Volpatto ) e Navas ( Theo Werneck ).

Stela (Adriana Esteves) – Professora de Educação Infantil/ Pré-escolar. É psicologicamente frágil e sofre por não conseguir ter filhos com Homero (Leonardo Netto), seu marido. Torna-se paciente de Roger Sadala (Antonio Calloni), mas é violentada durante um procedimento. Acaba silenciando e se sente incapaz de se abrir sobre a violência que sofreu. Seu casamento termina e ela cai em depressão.

Homero (Leonardo Netto)    Marido de Stela (Adriana Esteves). É um homem carinhoso e compreensivo. Ama sua esposa e não consegue compreender o que aconteceu para ela se fechar dentro de si e optar pelo silêncio. O casal acaba se divorciando. É piloto de avião.

Julieta (Denise Weinberg) –  Mãe de Stela (Adriana Esteves). Acompanha a filha em consulta com Roger, mas nem imagina o que ela passou dentro do consultório. Tenta salvar a filha da depressão quando percebe que ela está cada vez pior.

Duda (Luana Tanaka)  Professora. Melhor amiga de Stela (Adriana Esteves). É alegre e generosa. Trabalha com Stela em uma escola primária.

Eugênia (Paula Possani)  Arquiteta. Filha de família rica, é casada com Ronaldo (Felipe Camargo), que já tem um filho do primeiro casamento. Quer ser mãe e se submete a um tratamento na clínica de Roger Sadala (Antonio Calloni). É violentada pelo médico. Conta toda a verdade ao marido, que aciona um advogado. Mais tarde, vai fazer parte do grupo de vítimas que deseja capturar o médico.

Ronaldo (Felipe Camargo)  Engenheiro e diretor de uma construtora. É um homem rico e pragmático. Casado com Eugênia (Paula Possani), tem um filho do casamento anterior. Apoia a esposa na luta.

Vitor (Anthony Motta/ Giuliano Costa/ / Gabriel Cersosimo)  Filho do primeiro casamento de Ronaldo. É apegado à Eugênia (Paula Possani), sua madrasta.

Valentina (Gabi Arbuz/ Alice Dias/ Giovana Lemos) – Filha de Eugênia (Paula Possani) e Ronaldo (Felipe Camargo), fruto da fertilização in-vitro.

Irene (Magê/ Susana Ribeiro)  Vítima de Roger Sadala (Antonio Calloni) na década de 1970, quando ele ainda era residente no Hospital Irmãos Penteado, em Campinas. Carregou este trauma ao longo de muitos anos, mas ao ver o médico sendo exaltado na televisão, resolve quebrar o silêncio. Liga para a redação do telejornal e Mira (Elisa Volpatto) atende. O telefonema dela instiga Mira a começar a investigação.

Vera (Fernanda D’Umbra) – Dançarina. Casada com Elisa (Simone Iliescu). É atacada em uma consulta, não chega a ser violentada. Junta-se à Eugênia (Paula Possani) por meio do seu advogado Gregório (Flávio Barollo) e depois às outras mulheres da comunidade para enfrentar o médico na justiça.

Elisa (Simone Iliescu)  Esposa de Vera (Fernanda D’Umbra). Vai se unir a ela na caçada por Roger Sadala (Antonio Calloni). Apoia a companheira em todas as decisões.

Daiane ( Jéssica Ellen ) e Leandro ( Gabriel Godoy ).

Daiane (Jéssica Ellen)   Recepcionista da Clínica de Roger Sadala (Antonio Calloni). Casada com Leandro (Gabriel Godoy) e mãe de Raíssa (Laura Rodrigues/ Alana Cabral) e Diego. Se torna espiã de Glória (Mariana Lima) na clínica, acompanhando de perto os passos de Roger (Antonio Calloni). Ao ser assediada pelo médico, quebra o silêncio e resolve denunciá-lo. Junta-se ao grupo de vítimas.

Leandro (Gabriel Godoy) –  Marido de Daiane (Jéssica Ellen) e pai de Raíssa (Laura Rodrigues/ Alana Cabral) e Diego. Como é depende financeiramente da esposa, vai incentivá-la a voltar a trabalhar com Roger (Antonio Calloni), mesmo depois dela ter sofrido assédio do médico.

Raíssa (Laura Rodrigues/ Alana Cabral) – Filha de Daiane (Jéssica Ellen) e Leandro (Gabriel Godoy).

Diego (Benjamin de Souza Oliveira/ Pedro Galvão) – Filho de Daiane (Jéssica Ellen) e Leandro (Gabriel Godoy).

 Maria José (Hermila Guedes)  Moradora de Vitória da Conquista, na Bahia, é casada com Odair (João Miguel) e trabalha com ele administrando uma pequena empresa de transportes. Sonha em ser mãe, mas tem dificuldade para engravidar. Convence Odair a investir financeiramente em um tratamento na clínica de Roger Sadala (Antonio Calloni). É violentada pelo médico e esconde a verdade do marido.

Odair (João Miguel)  Marido de Maria José (Hermila Guedes). Machista e de valores tradicionais. Sente-se menos homem por não conseguir engravidar sua mulher. Concorda, a contragosto, em levar Maria José para um tratamento de fertilização na clínica de Roger Sadala (Antonio Calloni). Ao descobrir que a mulher foi abusada pelo médico, volta-se contra ela, acreditando que ela foi responsável pelo ataque sofrido.

Fábio (Marko Paiva Lucarelli/ JP Mendes) – Filho gêmeo de Maria José (Hermila Guedes) e Odair (João Miguel).

Felipe (Tito Paiva Lucarelli/ PH Mendes) – Filho gêmeo de Maria José (Hermila Guedes) e Odair (João Miguel).

Socorro (Séfora Rangel Irmã de Maria José (Hermila Guedes), recebe a irmã e Odair (João Miguel) em sua casa, na zona leste de São Paulo, durante o período em que o casal passa pelo tratamento de fertilização na clínica de Roger Sadala (Antonio Calloni). Será a primeira pessoa a saber que a irmã foi atacada por Sadala. Tem dois filhos, Mateus (Bruno Miguel/ Gustavo Danieluz) e Giovanna (Heloisa Martins/ Isabela Paccini).

Rubinho (Aury Porto)  Marido de Socorro (Séfora Rangel), cunhado de Maria José (Hermila Guedes). É um homem preguiçoso e mimado, que se diverte com as próprias piadas. Conta para Odair (João Miguel) que Maria José foi violentada por Roger Sadala (Antonio Calloni).

Mateus (Bruno Miguel/ Gustavo Danieluz)  Filho de Socorro (Séfora Rabgel) e Rubinho (Aury Porto), sobrinho de Maria José (Hermila Guedes).

Giovanna (Heloisa Martins/ Isabela Paccini)  Filha de Socorro (Séfora Rangel) e Rubinho (Aury Porto), sobrinha de Maria José (Hermila Guedes).

Lurdinha (Wanderlucy Bezerra)  Irmã de Rubinho (Aury Porto). É falante e extrovertida. Gosta de se meter na vida dos outros.

Retrato de família do Roger ( Antonio Calloni ). Roger ( Antonio Calloni ) ao centro, os filhos Clarice ( Silvia Lourenço ), Henrique ( Gabriel Muglia ), Leila ( Sabrina Greve ) e Tamires ( Bianca Müller), a esposa Glória ( Mariana Lima ), sua mãe Olímpia ( Juliana Carneiro da Cunha ) e a governanta Abigail ( Noemi Marinho ).

Família Sadala

Roger Sadala (Antonio Calloni)  Médico especialista em reprodução assistida. É um homem poderoso, influente, passional e ambíguo. Patriarca de uma grande família, é autoritário, violenta e estupra suas pacientes, mas acredita ser injustiçado. Casado com Glória (Mariana Lima), filho de Olímpia (Juliana Carneiro), com quem nutre um amor exagerado, e pai de Henrique (Gabriel Muglia), Leila (Sabrina Greve), Tamires (Bianca Müller) e Clarice (Silvia Lourenço). Se torna amante de Carolina (Paolla Oliveira), sua paciente, e após a morte de Glória, casa-se com ela.

Glória Sadala (Mariana Lima)   Esposa de Roger Sadala (Antonio Calloni) e mãe de todos os filhos dele, Clarice (Silvia Lourenço), Leila (Sabrina Greve), Henrique (Gabriel Muglia) e Tamires (Bianca Müller). Elegante e vaidosa, apoia o marido na profissão. É ciumenta e vigia os passos dele ao descobrir que ele tem casos extra-conjugais. Tem como braço-direito sua governanta, Biga (Noemi Marinho). É arrebatada por uma doença grave e acaba morrendo, mas antes fica sabendo dos assédios do marido pelo testemunho da secretária Daiane (Jéssica Ellen).

Olímpia Sadala (Juliana Carneiro)  Mãe de Roger (Antonio Calloni), superprotetora, idealiza o filho. Mora na casa de Roger e provoca ciúmes em Glória (Mariana Lima). É avó de Tamires (Bianca Müller), Henrique (Gabriel Muglia), Leila (Sabrina Greve) e Clarice (Silvia Lourenço).

Tamires Sadala (Bianca Müller)  Filha caçula de Roger (Antonio Calloni) e Glória ( Mariana Lima). Irmã de Clarice (Silvia Lourenço), Henrique Gabriel Muglia) e Leila (Sabrina Greve). É a filha mais rebelde e combativa. É a única com coragem para enfrentar o pai, mesmo diante de toda família.

Clarice Sadala (Silvia Lourenço) – Filha de Glória (Mariana Lima) e Roger (Antonio Calloni). Menos submissa que Henrique (Gabriel Muglia), seu irmão, é capaz de enfrentar o pai quando necessário, mas também vive à sua sombra. Trabalha com ele na clínica e é atenciosa com os pacientes. É bióloga, especialista em reprodução assistida e responsável pelo laboratório de fertilização.

Domenico (Elvis Chelton)  Marido de Clarice (Silvia Lourenço).

Maria Antônia (Beatriz Damini/ Alicia Belgini/ Julia Cavalheiro)  Filha de Clarice (Silvia Lourenço) e Domenico (Elvis Chelton), neta de Roger (Antonio Calloni) e Glória (Mariana Lima).

Enzo (Renan Cuisse/ Davi Butzge/ Pedro Hirt)  Filho de Clarice (Silvia Lourenço) e Domenico (Elvis Chelton), neto de Roger (Antonio Calloni) e Glória (Mariana Lima).

Guto (Brenno Kuusberg/ Dudu Kuusberg)  Filho de Clarice (Silvia Lourenço) e Domenico (Elvis Chelton). Neto de Roger (Antonio Calloni) e Glória (Mariana Lima).

Henrique Sadala (Gabriel Muglia)  Filho de Glória (Mariana Lima) e Roger (Antonio Calloni). Irmão de Clarice (Silvia Lourenço), Tamires (Bianca Müller) e Leila (Sabrina Greve). Apesar de crítico é mais submisso ao pai. Médico, trabalha na clínica ao lado de Roger e da irmã, Clarice.

Ingrid (Mariana Leme)  Esposa de Henrique (Gabriel Muglia).

Frederico (David Bertrand/ Pedro Henrique Lima Filho de Henrique (Gabriel Muglia) e Ingrid (Mariana Leme). Neto de Roger (Antonio Calloni) e Glória (Mariana Lima).

Leila (Sabrina Greve)  Filha de Roger (Antonio Calloni) e Glória (Mariana Lima). É a filha mais próxima do pai. Mãe de Louise (Laura Pavan/ Mariana Amor).

Alan (Daniel Granieri)  Marido de Leila (Sabrina Greve) e pai de Louise (Laura Pavan/ Mariana Amor).

Louise (Laura Pavan/ Mariana Amor)   Filha de Leila (Sabrina Greve) e Alan (Daniel Granieri). Neta de Roger (Antonio Calloni) e Glória (Mariana Lima).

Segundo casamento de Roger

Carolina (Paolla Oliveira)  Advogada. É bonita e inteligente. Esposa do juiz Evandro Loyola (Ricardo Ripa), torna-se paciente de Roger (Antonio Calloni). Se envolve com ele e acaba se tornando sua amante e futura esposa, após a morte de Glória (Mariana Lima).

Evandro Loyola (Ricardo Ripa)  Juiz bem-sucedido. É o primeiro marido de Carolina (Paolla Oliveira) e amigo de Roger Sadala (Antonio Calloni). É abandonado por Carolina quando ela se envolve com Roger.

Funcionários de Roger

Abigail (Noemi Marinho)  Mais conhecida como Biga. É governanta da família Roger Sadala (Antonio Calloni). Mulher forte e compassiva. É o braço direito de Glória (Mariana Lima).

Delcio (Darson Ribeiro)  Motorista da família de Roger (Antonio Calloni). É fiel ao patrão.

Pedro Paulo (Pedro Nercessian)  Mais conhecido como Pepê. É assessor de imprensa de Roger (Antonio Calloni). Começa a trabalhar com ele ainda jovem, quando passa a ocupar a função que era de Osvaldo Baldin (Henrique Schafer). Inicialmente faz tudo pelo patrão e aos poucos passa a enxergá-lo melhor. Se apaixonará por Mira (Elisa Volpatto), sua amiga de faculdade, após reencontrá-la.

Osvaldo Baldin (Henrique Schafer)  Assessor de imprensa de Roger (Antonio Calloni). Acaba perdendo o posto para Pedro Paulo (Pedro Nercessian), após se desentender com o patrão por causa das notícias que começam a sair sobre ele.

Artur Castelo (Paulo Miklos)  Relações públicas. Trabalha como gestor de crises. Torna-se confidente de Roger Sadala (Antonio Calloni).

 Rui Ventura (Arthur Khol) – Advogado de Roger Sadala (Antonio Calloni). Assume o caso assim que um blog das vítimas entra no ar. Consegue desativar a comunidade, mas ela logo reaparece. É discreto e ponderado.

Carlos Augusto Muñoz (Sergio Mastropasqua)  Criminalista experiente. É chamado para assumir o caso quando as denúncias contra Roger Sadala (Antonio Calloni) se agravam.

Funcionários da Clínica

Léa (Gilda Nomacce) – Enfermeira da clínica de Roger (Antonio Calloni).

Piedade (Luciana Cacioli) – Faxineira da clínica de Roger (Antonio Calloni). Estranha as manchas de sangue pelo consultório após determinadas consultas do médico.

Osíris (Tom Nunes) – Segurança da clínica de Roger (Antonio Calloni). É fiel ao patrão.

Lígia (Amanda Lyra) – Paciente de Roger (Antonio Calloni). Participa dos depoimentos.

 Eunice (Ana Paula Lopez) – Recepcionista da clínica de Roger (Antonio Calloni).

Amigos de Roger

Werther (Jarbas Homem de Mello)  Cantor de sucesso. Ele e sua esposa, Giovanna (Janaína Afhonso), se tornam pacientes e amigos pessoais de Roger (Antonio Calloni). Conseguem ter filhos gêmeos após um tratamento de fertilização na clínica de Sadala. Werther é convidado para cantar na festa que celebra o sucesso do amigo no tratamento de Fertilização In Vitro.

 Giovanna (Janaina Afhonso)  Esposa de Werther (Jarbas Homem de Melo). Engravida de gêmeos após passar por um tratamento na clínica de Roger Sadala (Antonio Calloni). É grata ao médico pela gravidez bem-sucedida. E testemunha a favor dele no julgamento.

Haydée (Vera Fischer Apresentadora de TV. É vaidosa e espalhafatosa e torna-se amiga pessoal de Roger Sadala (Antonio Calloni).

Juíza Niara Flores ( Dani Ornellas ), Navas ( Theo Werneck ) e um assistente.

Autoridades

Francisco Navas (Theo Werneck) – Promotor do Ministério Público. Assiste aos depoimentos gravados por Mira (Elisa Volpatto), ouve as vítimas pessoalmente e resolve investigar o caso. É ele quem dá abertura formal ao processo.

Niara Flores (Dani Ornellas) – Juíza responsável pelo julgamento do caso de Roger Sadala (Antonio Calloni).

Heloísa (Helô) (Brenda Ligia)  Detetive particular contratada por Glória (Mariana Lima) para investigar os casos extra-conjugais de Roger Sadala (Antonio Calloni). É ela quem mostra para Glória as fotos de Roger com suas amantes.

Imprensa

Emir Jarouche (Kiko Vianello) – Inicialmente é chefe de redação e depois se torna diretor de um grande jornal. É amigo pessoal de Roger (Antonio Calloni). Tenta, sempre que possível, proteger o amigo. É patrão de Mira (Elisa Volpatto) quando ela ainda está no início da carreira.

Neville (Marco Antônio Pâmio)  Repórter experiente. É o homem de confiança de Emir (Kiko Vianello). Foi o primeiro chefe de Mira (Elisa Volpatto).

Suzana Almendra (Bete Coelho) – Editora-chefe do jornal em que Mira (Elisa Volpatto) passa a trabalhar. Autoriza Mira a dar continuidade à matéria sobre o caso do médico.

Família de Mira

Roger ( Antonio Calloni ) e Mira ( Elisa Volpatto ).

Mira Simões (Elisa Volpatto)  Jornalista. Destemida e persistente, é a responsável por encontrar as vítimas de Roger Sadala (Antonio Calloni) e gravar seus depoimentos para apresentar ao Ministério Público. Após a fuga de Sadala, parte em busca do paradeiro do médico. Namora Thomas (Guilherme Magon) e engravida de Martim (Kauã Orsi/Gabriel Ferrarini) durante as investigações. Não consegue equilibrar sua vida pessoal e profissional. Mais tarde, se envolverá com Pedro Paulo (Pedro Nercessian), assessor de imprensa de Sadala e seu colega de faculdade.

Thomas (Guilherme Magon)  Namorado de Mira (Elisa Volpatto), pai de Martim (Kauã Orsi/ Gabriel Ferrarini). É divertido e inteligente, porém imaturo. É surfista. Separa-se de Mira quando ela começa a se dedicar à investigação do caso de Roger.

 Martim (Kauã Orsi/ Gabriel Ferrarini) – Filho de Mira (Elisa Volpatto) e Thomas (Guilherme Magon). Fica aos cuidados do avô Milton (Celso Frateschi) enquanto sua mãe trabalha no caso de Roger.

Milton (Celso Frateschi)  Pai de Mira (Elisa Volpatto). Ajuda no cuidado com o neto Martim (Kauã Orsi/ Gabriel Ferrarini).

Participações

Lorena (Barbara Paz) – Paciente e vítima de Roger (Antonio Calloni). Uma das denunciantes, depõe no julgamento.

Carmen (Monica Iozzi) – Paciente e vítima de Roger (Antonio Calloni). Uma das denunciantes, depõe no julgamento.

Conceição Duarte Silva (Renata Vilella/ Léa Garcia) – Paciente testemunha do ataque nos anos 70.

Antonia (Érica Ribeiro) – Neta de Conceição (Léa Garcia).

Simas (Wellington Coelho) – Professor de hidroginástica de Olímpia (Juliana Carneiro).

Irandir (Jorge Mesquitta) – Funcionário da empresa da família de Carolina (Paolla Oliveira).

Neuza (Malu Bierrenbach) – Coordenadora de Martim (Kauã Orsi/ Gabriel Ferrarini). Conversa com Mira (Elisa Volpatto) sobre o desenvolvimento do menino na escola.

Alessandra (Cris Broilo) – Corretora de imóveis. Amante de Roger Sadala. (Antonio Calloni).

Gregório (Flávio Barollo)  Advogado e amigo de Ronaldo (Felipe Camargo). É a primeira pessoa que orienta o casal após o ataque sofrido por Eugênia (Paula Possani) no consultório de Roger (Antonio Calloni). Também orienta Vera (Fernanda D’Umbra) quando ela passa pela mesma situação e apresenta ela ao casal.

 Luiza (Lilian de Lima)  Delegada titular da delegacia da mulher, é quem toma a frente das investigações ao lado de Pedro Henrique Navas (Theo Werneck).

Mirtes (Andréia Paiva) – Cuidadora de Olímpia (Juliana Carneiro).

Anahí (Sol Gamboa) – Babá dos gêmeos de Roger (Antonio Calloni) e Carolina (Paolla Oliveira).

 

No Globoplay

‘Assédio’ será lançada com exclusividade pelo Globoplay e estará disponível para os assinantes a partir do dia 21 de setembro. Esta é uma das muitas novidades do Globoplay, a maior plataforma de streaming brasileira, que reúne as produções originais da Globo, além de filmes e séries internacionais renomadas, dentre títulos exclusivos que só serão exibidos online. Só em 2018, o serviço espera ter cerca de 100 novas produções nacionais e internacionais em seu catálogo, além de toda a programação da Globo, permitindo que os assinantes possam acessar a qualquer momento e de onde estiver o que está no ar, o que já foi ao ar e o que ainda será exibido.

 

 

 

MARIANE BARCELOS
Siga-nos no Instagram @artecult / @TiltCine / @barcelosmariane

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

maribarcelos
Eu me chamo Mariane Barcelos, tenho 26 anos, sou designer e estudante de Audiovisual, construindo uma carreira na área. Já viajei para quase todos os cantos do mundo, inclusive já fui para fora do planeta, já dei um pulo em Marte, conheci uns anéis de Saturno e me aventurei em galáxias muito distantes, me transformei em bruxa, loba e vampira, também já fui super heroína e vilã. Não pensem que sou louca, sou apenas uma cinéfila que enxerga nos filmes uma maneira de se desconectar da realidade, ou quem sabe me conectar, com a minha realidade. Quando eu vejo um filme é para me conectar com aquele mundo, se não estou no clima, digo "nossa que dor de cabeça" e fica para um outro momento. Cinema é para ser sentido, para se apaixonar e se iludir. Encantar. Espero poder compartilhar com vocês, toda essa emoção que eu sinto ao assistir um filme e conseguir fazer com que vocês também embarquem nessa viagem sem destino. Agora através do ArteCult, também faça cobertura de eventos, como o Festival do Rio, RioMarket, Pré-Estreias e afins. Assim como nos filmes, espero poder trazer grandes novidades e coberturas completas em todas as mídias sociais, para que vocês, leitores, possam se sentir sempre imersos ao nosso universo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *