O Manicômio: um terror que não deu certo

Terror é um gênero complicado. Se você erra em uma medida, toda a produção pode ir por água abaixo. Geralmente, quando assisto algum filme que conversa com esse gênero, me encontro no papel cético de sempre encontrar alguma falha, algo que me faça perceber os mecanismos por trás de toda a ilusão ao horror, então entendo que nada dentro deste gênero é fácil, assustar e intrigar ao mesmo tempo é uma receita que poucos conseguiram realizar com sucesso.
Infelizmente O Manicômio se marca como um dos piores filmes de terror que já assisti. Acreditem, sushi assassino? Geladeira assassina? Demônio sexual? Este filme consegue superar em toda a sua falha. Mas não me levem a mal, a ideia, apesar de batida e repetitiva, poderia ter sido ótima de trabalhar, mas toda a produção, elenco e direção tenta incessantemente em transformar esse filme em algo, inteiramente, ruim.
Uma dupla de youtubers radicais desafiam uma youtuber princesinha para passar um dia inteiro na área de cirurgia (supostamente assombrada) de um manicômio abandonado. Eles são acompanhados pela irmã de um deles, e mais o guia, um estudante de medicina que costumava frequentar o local. Mas a ex namorada do mesmo estudante, aparece no local para alertar a todos o quanto toda aquela ideia é perigosa.
Essa é a plot numero um, escondida dentro da plot numero dois, que tem o plot twist numero três, escondida nos últimos três minutos de filme. Sim, viu? Bagunça. Found footage, referências a Bruxa de Blair original e Atividade Paranormal, duas mortes desnecessárias e uma moral que ninguém pediu. Toda a ideia do filme é lhe dizer, como expectador, que nossas crianças estão muito presas ao youtube e esqueceram os verdadeiros valores do caráter, amizade e pensamento próprio.
Mas toda essa mensagem é esquecida por conta do quão mal executado e puramente cômico, o filme se torna. O elenco, apesar de tentar o seu melhor e a dublagem brasileira, apesar de estar muito bem trabalhada, são desperdiçados em uma trama insana de ruim e acredite, eu tentei assistir no idioma original e o filme não consegue melhorar. Se eu fosse classificar este filme em estrelas, infelizmente, seria em -4.

Confira o trailer

Ainda bem que este não foi meu último filme de 2018 e muito menos o meu primeiro de 2019. Não vá ao cinema, espere, daqui a pouco deve até estar liberado no YouTube.

DANDARA ARYADNE

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Dandara Aryadne
Graduada em Belas Artes pela UFRRJ, especialização em História da Arte e Ilustração, Ilustradora freelancer, escritora, artista plástica e nas horas vagas se denomina como crítica de cinema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *