“THE DROPOUT”: CONHEÇA A HISTÓRIA REAL QUE INSPIROU A SÉRIE

Protagonizada por Amanda Seyfried e Naveen Andrews, a produção conta a história de uma jovem bilionária que perdeu tudo

The Dropout (Foto: Beth Dubber/Hulu)

Já está disponível no Star+ os primeiros episódios de “The Dropout”. A nova minissérie dramática conta a história de Elizabeth Holmes e da sua empresa, a Theranos. A produção aborda a ambição da criadora da Startup, como ela ficou famosa e foi capa de várias revistas de negócios até a sua queda.

Com 8 episódios, “The Dropout” traz Naveen Andrews como Sunny Balwani e conta com a participação de Utkarsh Ambudkar, Kate Burton, Stephen Fry, Michel Gill, LisaGay Hamilton, William H. Macy, Elizabeth Marvel, Laurie Metcalf, Dylan Minnette, Alan Ruck, Sam Waterson e Michaela Watkins. O Star+ estreia toda quinta-feira, um novo episódio da série.

Descubra abaixo a história real de Elizabeth e da Theranos que inspirou a série.

A THERANOS

Imagine que uma gota de sangue fosse o suficiente para detectar várias doenças. Essa era a promessa da Theranos, a empresa fundada em 2003 por Elizabeth Holmes, aos 19 anos. A ideia levou à criação das máquinas portáteis, Edison, que processariam as amostras de sangue para detectar anormalidades — teoricamente, eram equipamentos muito sofisticados e superiores aos que faziam os exames daquela época. O nome Theranos era um misto de therapy (terapia) e diagnosis (diagnóstico).

A empresa desenvolveu seu próprio recipiente para armazenar o sangue: era o nanotêiner, que tinha meia polegada de tamanho (1,29 cm), guardava 150 microlitros e substituiria vários tubos tradicionais de coleta de sangue. Segundo a Theranos, o sistema estava preparado para realizar até 250 testes: de diabetes e colesterol a câncer.

O bilionário Tim Draper, que conhecia Elizabeth desde pequena, foi o primeiro a apostar na Theranos. Ele emprestou US$ 1 milhão (R$ 5,5 milhões) à empresa. No ano seguinte à fundação, 2004, a companhia informava que já tinha arrecadado US$ 6,4 milhões (R$ 35,1 milhões). Em 2005, outros US$ 16 milhões (R$ 87,8 milhões) chegaram. Em 2014, os investimentos já somavam US$ 400 milhões (R$ 2,2 bilhões), a companhia empregava 800 profissionais e era avaliada em US$ 9 bilhões (R$ 49,4 bilhões).

A QUEDA

A confiabilidade da empresa foi questionada ainda em 2015, quando John Ioannidis, professor de medicina da Universidade de Stanford, levantou as primeiras suspeitas. Em um artigo, o professor aponta que a Theranos não tem pesquisas revisadas por outros cientistas e publicadas em periódicos especializados. Em seguida, uma reportagem de John Carreyrou publicada no jornal americano The Wall Street Journal denunciou que as máquinas Edison não eram tão eficazes como anunciado. A matéria afirmava que os equipamentos podiam fornecer resultados imprecisos.

Além disso, foi descoberto que a tecnologia da Theranos não era usada em todos os testes oferecidos pela empresa: muitos exames passavam por máquinas tradicionais. A companhia passou a ser investigada e teve de enfrentar investidores, ações judiciais e sanções de agências governamentais dos EUA. As entidades reguladoras dos Estados Unidos pediram mais dados sobre a Edison e a qualidade dos exames que a máquina realizava.

A investigação de Carreyrou revelou mentiras sobre parcerias com laboratórios farmacêuticos, discrepâncias sobre os investimentos recebidos, testes forjados e outros. A acusação de fraude contra Elizabeth veio em junho de 2018. Três meses depois, em setembro de 2018, a Theranos foi dissolvida. Depois das denúncias, a Theranos prometeu adequar os exames. A FDA, a procuradoria dos EUA e órgãos estaduais de saúde decidiram investigar a companhia e os dados divulgados por ela. A Forbes reavaliou a Theranos em US$ 800 milhões (R$ 4,4 bilhões) e, como as ações de Elizabeth não eram preferenciais, a fortuna da empresária foi de US$ 4,5 bilhões a US$ 0 de um dia para o outro.

 

CONFIRA O TARILER:

Sobre Star+

Star+ é um serviço de streaming de entretenimento geral e esportes lançado em 31 de agosto de 2021 na América Latina, sendo complementar, mas independente, do serviço do Disney+ nesta região. O serviço é o lar de estreia exclusiva de séries e filmes de entretenimento geral dos estúdios de conteúdo da The Walt Disney Company, incluindo Disney Television Studios, FX, 20th Century Studios, Star Original Productions, National Geographic Original Productions e muito mais, bem como o serviço de streaming de esportes ao vivo da ESPN, a marca mais respeitada e reconhecida pelos fãs de esporte da região. De dramas a comédias (incluindo todas as temporadas de Os Simpsons) e thrillers para adultos, o Star+ também conta com programação original exclusiva da marca de entretenimento geral Star, junto com uma coleção de produções originais regionais da América Latina. Para mais informações, acesse: www.starplus.com.

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Sou natural de Mata de São João, Bahia, mas atualmente moro na cidade do São Paulo. Sou formado em Engenharia, mas sempre tive uma verdadeira fixação pelo universo cinematográfico e sou o admin do @CinemaeCompanhia no Instagram. Assistir um filme é minha válvula de escape para mergulhar e me aventurar em mundos totalmente novos e me desligar dos problemas do dia-a-dia. Aproximadamente de duas a três vezes confiro as estreias da semana nas telonas, digamos que eu seja quase um “rato de cinema”. rs Será um enorme prazer compartilhar aqui minhas opiniões sobre os filmes e suas principais curiosidades. E uma ótima oportunidade para poder aprender e "trocar figurinhas" com todos vocês! Espero que se divirtam muito e curtam minhas dicas. Que a FORÇA esteja com vocês!!! Forte abraço! Luan Ribeiro. Instagram.com/CinemaeCompanhia e-mail: luancribeiro@hotmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *