Da Série “Talentos da Cena Eletrônica”: RIVAS. Um dos promissores nomes para 2020.

DJ e Produtor, atualmente considerado um dos mais promissores nomes da cena eletrônica nacional. Com mais de 30 músicas próprias já lançadas, algumas presentes nos principais palcos do Brasil, incluindo o mainstage do Festival Tomorrowland. Rivas é responsável pelo remix da música “Dont Ya”, do DJ Alok e Fractall; o remix de “Gael”, com o DJ Smile, além das tracks: “16 toneladas”, co-produzida com DANNE e sucesso na playlist “Top 50 Viral” do Spotify; “On Me”, “Fly With You” , “Know About”, entre outras.

Ele é umas das atrações do Celebration 2019, no Hopi Hari, na tarde do dia 30 de novembro, no Palco Street Stage. #SóVeeem

Mas antes confira, na íntegra, o nosso bate papo e conheça um pouco mais desse talento brasileiro.

 

– Pra começar, “do começo”…. Qual o seu nome, idade, cidade natal e como começou o seu flerte com a música?

“Meu nome é Gustavo Rivas tenho 24 anos de idade, sou de São Paulo – SP. Meu primeiro flerte com a música foi aos 12 anos de idade, onde ganhei um violão e comecei a aprender a tocar pq queria ter uma banda de Rock”.

 

– De onde e quando surgiu a vontade de ser DJ e Produtor?
“Depois que esfriou a vontade de ser rockstar (risos). Quando eu tinha 14 anos eu comecei a ouvir bastante PSY Trance por influência de um amigo e ele me disse que era possível “fazer essas batidas”, começamos a fuçar num programa chamado FL Studio e daí saiu meu primeiro “barulho”, era tão ruim, que em sã consciência não posso chamar de música (risos). Até então era tudo por brincadeira e conforme eu fui evoluindo, as músicas foram melhorando e as pessoas começaram a reagir a isso, meio que foi acontecendo naturalmente logo em seguida comecei a tocar e o sentimento de ver alguém dançando, gritando, pulando, sentido uma música que vc colocou tempo e sentimento nela é indescritível e tô aí até hoje e não me vejo fazendo algo diferente disso”.

– Quem são as pessoas que mais incentivaram e incentivam você na sua carreira? E quais te inspiraram a seguir em frente?

“Eu sempre fui incentivado pelos meus amigos mais próximos, meus pais não me apoiaram tanto no início, mas também nunca proibiram e hoje eles são as pessoas que mais acreditam e me incentivam a continuar. Eu tenho uma responsabilidade enorme com o meu público, com as pessoas falam que começaram a produzir por minha causa, que eu fui inspiração pra ela sair do emprego e tentar a sorte na música, ou que vai no meu show e diz que foi o melhor show da vida dela, essa troca sincera e a responsabilidade que eu tenho com as pessoas que confiam no que eu faço e que gostam da minha música é o que me inspira e faz continuar”.

 

– Em curto espaço de tempo você lançou várias músicas, de onde vem tanta inspiração? Existe algo que você faz antes de começar a produzir? Tipo uma reza, um ritual, algum hobbie!? rsrs

“Pra mim é tudo muito natural, hoje graças aos 11 anos de experiência que tenho na produção de música eletrônica eu consigo transpor tudo que eu imagino em uma música muito facilmente e fui desenvolvendo algumas “manias” e formas que me ajudam nesse processo de criação e aumenta a minha produtividade”.

 

– Nos fala um pouco sobre seu mais recente lançamento ‘Know About’?

“Essa música é uma versão 2.0 de um collab que eu fiz com o KVSH em 2016 e eu sempre tocava ela nos meus sets, então resolvi dar uma repaginada nela, já que o sample é bem conhecido e criar essa versão se encaixa melhor no momento musical que estou hoje”.

 

– De todos seus lançamentos, tem algum preferido?

“Acho que continua sendo a “16 toneladas”, ela é uma música que fez as coisas acontecerem pra mim, e é figurinha marcada em todos os meus shows. Não tem como não ser ela (risos)”.

– Ao ouvir suas tracks, é nítida a mescla de vários estilos e elementos, além da técnica de mix! Pra você, um repertório excelente somado ao feeling, são mais importantes que uma técnica perfeita?

“Com toda certeza, meu pai sempre foi muito eclético e eu sempre cresci ouvindo todo tipo de música, desde BB King à Luiz Gonzaga. E sempre tive muito isso enraizado em mim, que música boa é música independente do gênero, e gosto de brincar com isso nas minha produções. Vejo que Isso também reflete muito nas minha apresentações, aprendi muito também abrindo os shows do Alok, onde tinha um público muito misto, que vai desde a criança de 3 anos de idade até a senhorinha de 70, alí vc tem que entender o contexto da região, do público, e desenvolver um set bem amplo mas que não tire sua identidade, tentando agradar ao máximo todos que estão ali, pq ao meu ver a função do DJ é fazer com que TODOS dancem, isso técnica nenhuma vai te dar”.

– Qual seu maior sonho como DJ e Produtor, atualmente? E qual a collab dos sonhos, aquela que você deseja muito realizar?

“Atualmente meu maior sonho como DJ é ser reconhecido mundialmente e expandir meu público em todos os 4 cantos do mundo. Gostaria muito de fazer uma collab com o MADEON ele é meu produtor favorito e suas músicas pra mim são fora da curva”.


– Qual a novidade exclusiva que você pode compartilhar com a gente, e o que podemos esperar para 2020?

“2020 vai vir CHEIO de música nova, boa e collabs de peso. Vou fazer algumas mudanças no meu canal do YouTube onde não vou ser o único apresentador e vai ter bastante coisa pra quem quer se inserir nesse mundo da música eletrônica e da produção musical”.

 

– Para finalizar nossa mega conversa… qual mensagem você gostaria de enviar para seus seguidores e fãs?

“Queria primeiramente agradecer a todos que me seguem e que gastam alguns minutos do dia ouvindo minhas músicas, vendo meus vídeos ou então olhando minhas redes sociais pra ver se tem alguma novidade. Sem vocês não teria o menor sentido fazer o que faço e dizer para que não DESISTAM DOS SEUS OBJETIVOS, sei que é clichê mas é a verdade. É difícil na maioria das vezes, mas temos que confiar que somos capazes, aprender com as dificuldade e sempre dar a volta por cima, um dia a sua hora vai chegar, tenha paciência e acredite”.

Bom, finalizamos nossa conversa por aqui, gratidão Rivas! Mas pra não deixar ninguém com gostinho de saudade…

Aperta o Play:

E visita o RIVAS nas redes sociais:

#VidaLongaRivas

DANIELA FRÓES

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Daniela Fróes
Musicalmente eclética, apaixonada pela diversidade dos estilos, das festas e festivais, amante de uma boa música, principalmente das batidas eletrônicas. #Música #MúsicaEletrônica - Nunca se precisou de drogas para senti-la, a essência da batida, a sonoridade toca a alma de um jeito que não da pra ficar parado! "Quem não sente a melodia acha maluco quem dança"!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *