A importância da Psicoeducação para familiares e cuidadores de idosos

A Psicoeducação para familiares e cuidadores de idosos tem como objetivo a orientação e discussão em grupo de técnicas de manejo nos cuidados à pessoa idosa. Os grupos são uma fonte rica de troca de informações e também trazem a oportunidade de alívio do estresse devido à sobrecarga de atividades enfrentadas pelo cuidador familiar.

É comum que os filhos tenham muitas dúvidas e sintam dificuldades no dia a dia de convivência com seus pais, e não encontrem orientação disponível. As dúvidas mais comuns giram em torno dos cuidados com uso do toilet, uso de fraldas de dia ou noite, a higiene íntima e banho (técnicas e horários), alimentação (excesso e falta de apetite), locomoção (reumatismos, problemas circulatórios), medicação (sonolência, agressividade) e adaptação da casa para pessoa idosa (especial para o banheiro e nos outros cômodos).

Questões como a personalidade do idoso, alterações de comportamento, depressão e os relacionamentos com os outros familiares são também muito frequentes. Temas como as demências (Alzheimer, Parkinson, etc) e os acidentes vasculares como isquemias cerebrais demandam orientações mais técnicas e elaboradas.

O familiar cuidador é orientado a ser alguém vigilante,  com foco no bem-estar do idoso, desenvolvendo a capacidade de identificar alterações importantes de comportamento e no estado geral de saúde, comunicando as ocorrências observadas à equipe como médicos, psicólogos, fisioterapeutas, entre outros profissionais responsáveis pelo tratamento do idoso.

Outro item importante a ser discutido são as atividades de exercício físico (caminhadas, dança, hathayoga por exemplo), e a promoção de atividades de lazer e entretenimento ao ar livre, visando melhor qualidade de vida do cuidador familiar e do idoso. É muito importante que a pessoa idosa caminhe todos os dias, passeie, saindo de casa e visitando lugares que lhe sejam agradáveis,  encontrando amigos.

O cuidador familiar é informado sobre os riscos à sua própria saúde caso haja sobrecarga de atividades que o levem a altos níveis de estresse (síndrome de burnout). É muito importante que o familiar cuidador tenha ao menos 2 dias de descanso na semana. O cuidador familiar é orientado a valorizar o cuidador contratado que exerce um forte apoio na divisão das tarefas, e se constitui um elo de informações para a família e profissionais de saúde, responsáveis pela assistência ao idoso. A divisão de tarefas também pode ser organizada entre os membros da família.

Veja mais artigos como este no canal Artecult Psicologia, perguntas e respostas sobre envelhecimento!

Regina Murray Loureiro

Psicóloga clínica, psicóloga hospitalar e psicogeriatra.

Vitória-Régia Serviços de Psicologiahttps://rjpsicologiareginamurrayloureiro.blogspot.com.br/ )

e-Mail: reginamurrayloureiro@gmail.com

WhatsApp 21997522980

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Regina Murray
Regina Murray Loureiro é psicóloga clínica, hospitalar e psicogeriatra pela UFRJ IPUB . Fundadora da "Vitória-Régia Serviços de Psicologia" e colaboradora do Canal Psicologia no ArteCult.com.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *