Presença feminina na arte é tema de mostra coletiva da ArtEEdições Galeria

Sonia Gomes, Menino de Ouro, 2019

Exposição convida o público a refletir sobre a atuação das mulheres na arte contemporânea e reúne edições de Sonia Gomes, Leda Catunda, Cris Rocha, Catherine Yass, Elizabeth Magill e Rachel Whiteread

Reflexões sobre o arquétipo feminino na arte permeiam a exposição Artista, o Substantivo no Feminino, mostra coletiva que está em cartaz até 28 de fevereiro, na ArtEEdições Galeria, com Catherine Yass, Cris Rocha, Elizabeth Magill, Leda Catunda, Sonia Gomes e Rachel Whiteread.

“Como sugere o título, nesta exposição, o substantivo se apresenta apenas no feminino. Subvertendo a compreensão etimológica da palavra, salientamos sua fonética no feminino e despertamos uma reflexão a partir de um gênero do sujeito artista”, explica Marília Borges, que assina o texto da exposição.

De pesquisas diversas, o corpo de artistas eleito convida o público a refletir sobre a presença das mulheres na arte contemporânea. É uma imersão em diferentes cenários, nos quais são contadas histórias criadas por mulheres plurais a partir da mesma posição: ser artista.

A partir de um livro de fábulas dos anos 1950, Sonia Gomes apresenta três edições nas quais explora tecidos carregados de histórias, colagens, costuras e desenhos. Trata-se de Livro de Fábulas II (2019), série em que Gomes agrega seu imaginário quimérico ao caráter fantástico da publicação.

Com xilogravuras, Leda Catunda dá continuidade à ideia de construções em camadas dominadas por formas maleáveis, sobreposições e, sobretudo, a atmosfera lúdica onde cada elemento compete com o outro, até preencher cada centímetro do espaço à disposição.

Linhas sinuosas, formas ondulantes e transparências são exploradas através dos processos tradicionais de gravura utilizados por Cris Rocha em Moléculas (2019). A partir de chapas de monoprint, técnica utilizada também na gravura, Elizabeth Magill editou a série Venice (2009), em que diferentes cores resultam em obras que envolvem o visitante pela narrativa romântica da imagem.

Películas descartadas de um filme mudo de 1932 são ressignificadas por Catherine Yass. A artista exibe Safety Last (2011), composta por oito gravuras em metal que intensificam a drama e o suspense originais do longa-metragem.

As duas obras de Rachel Whiteread presentes na exposição dialogam com as esculturas feitas a partir de moldes de objetos de seu cotidiano, sugerindo novos significados a essas réplicas permeadas por memórias.

 

SERVIÇO

Artista, o Substantivo no Feminino
Coletiva com Sonia Gomes, Leda Catunda, Cris Rocha, Catherine Yass, Elizabeth Magill e Rachel Whiteread
ONDE: ArtEEdições Galeria . Rua Estados Unidos, 1162, Jardim América
QUANDO: Até 28 de fevereiro de 2020 . Horário: segunda a sexta, das 10h às 19h, e sábados mediante agendamento
Informações: (11)3031-0142| arteedicoes@arteedicoes.com.br

 

fonte: A4&Holofote

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Redação ArteCult.com
Redação do Portal ArteCult.com.   Expediente: de Seg a Sex - Horário Comercial.   E-mail para Divulgação Artística: divulgacao@artecult.com.   Fundador e Editor Geral: Raphael Gomide.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *