O Escaravelho do Diabo

cartaz escaravelho

O Escaravelho do Diabo virou filme! Caramba, um vulto passou pela janela, uma caixa misteriosa com besouro dentro, que frio na barriga bom! Senti o cheiro do livro e vi uma cor, o vermelho, vermelho escuro, vermelho cor de sangue. Como é bom ser criança e entrar com tanta intensidade na história de um livro. E uma vez lá – na minha infância – reencontrei Drummond (companheiro da vida toda), Fernando Sabino, Rubem Braga e Paulo Mendes Campos em “Para Gostar de Ler”.

O livro que virou filme

O livro que virou filme

Com medo da melancolia me pegar distraída, resolvi dar um refresh nas sensações para rejuvenescer a minha memória, e convidei uma tropa de rapazes para irem ao cinema comigo. Do alto dos seus onze anos, todos já são “patente alta, bigode grosso” e aceitaram assumir o papel de críticos com muita alegria. Muito falantes, assustaram os outros espectadores que também estavam na sala de cinema, mas assim que o filme começou pararam até de comer pipoca. Vidrados, foram num fôlego só até a cena final que mereceu aplausos, aplausos dos cinco.

 

Com vocês, apresento a sessão Opinião em Formação,  que abre espaço para os pequenos grandes críticos:

Pedro – Fico com medo de dar spoiler, mas achei muito interessante a relação do tipo do escaravelho e a morte da pessoa.

Ian – Achei a história bem interessante, pois adoro filmes de suspense e terror e esse misturou os dois certinho.

Antonio Pedro – Tenho pavor de filme de terror, mas fiquei interessado do início ao fim, até sonhei que era o personagem principal do filme.

Bruno – Gostei muito do delegado Pimentel (Marcos Caruso) e achei incrível o menino, além de todas as obrigações como escola e coisas normais de criança, ainda assumir funções de adulto como investigar um crime.

Antonio Alonso fecha com chave de ouro.

Claudia – Vocês recomendam o filme?

Antonio Alonso – Depende para quem.

 

os pequenos grandes críticos

os pequenos grandes críticos

COTAÇÃO DO FILME – O ESCARAVELHO DO DIABO (1, 2 ou 3 estrelas)

Pedro Henrique  – *** (3 estrelas)

Antonio Alonso – *** (3 estrelas)

Antonio Pedro – *** (3 estrelas)

Bruno – *** (3 estrelas)

Ian – ***(3 estrelas)

 

INDICAÇÃO DE FILMES BRASILEIROS

Pedro Henrique  – Minha Mãe É Uma Peça

Antonio Alonso – Até que a Sorte nos Separe

Antonio Pedro – Até que a Sorte nos Separe 1, 2 e 3

Bruno – Meu Passado me Condena 1 e 2

Ian – Nise – O Coração da Loucura

 

 

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Claudia Ebert
Jornalista e prioritariamente um bicho de televisão. Adoro cinema e tenho queda forte por documentários. Minha vida profissional já pairou na GloboNews, Globosat e por produtoras que faziam programas para a Globosat. Falo pouco de mim, mas escuto histórias - as interessantes! -, e prometo contá-las aqui.