O BECO DO PESADELO : Del Toro explora novos terrenos

 

O premiado cineasta Guillermo del Toro geralmente nos entrega histórias fantásticas e nos propõe um mergulho em diferentes e fantasiosos mundos. Seu retorno aos cinemas é marcado pela história de “O Beco do Pesadelo” (Nightmare Alley),  longa baseado no romance de William Lindsay Gresham e no qual não temos tanta fantasia como de costume na obra de del Toro, na verdade, dessa vez, boas doses de realidade.

Com distribuição em nosso país pela Searchlight Pictures e um elenco renomado com grandes estrelas de Hollywood como Cate Blanchet, Willem Dafoe, Toni Collette e Bradley Cooper, o filme faz jus, em grande estilo, à expectativa gerada e entrega atuações espetaculares. O filme estreia hoje (27/01), mas já passou por aqui no Festival do Rio, ano passado.

Reprodução: Searchlight Pictures – O Beco do Pesadelo

Os mais adeptos à forma como Del Toro trabalha em suas películas sabe que o diretor possui uma mão firme no que diz respeito à apresentação de universos encantados cujos filmes passeiam um pouco por nuances dramáticas, pelo suspense e sempre com uma atmosfera sombria. Bem, todos esses elementos conectados são de fazer os olhos do público brilharem. Vivenciar qualquer história apresentada por esse diretor numa telona é sempre celebrar o amor pela Sétima Arte. “Hellboy”, “O Labirinto do Fauno” e o seu mais rescente longa, “A Forma da Água”, todos trabalham com a temática do culto do desconhecido e como o ser humano aprende a lidar com as diferenças.

Mas em O Beco do Pesadelo del Toro segue nessa direção, mas com um formato diferente: trabalha muito mais dessa vez o lado psicológico dos seus personagens e demonstra como a nossa mente humana pode ser a nossa maior aliada… ou nossa maior inimiga.

Reprodução: Searchlight Pictures – O Beco do Pesadelo

Beco do Pesadelo tem um excelente primeiro ato e Del Toro sabe muito bem conduzir nossa atenção pelo mundo circense da década de 40 nos Estados Unidos. As criaturas que ali faziam parte daquele universo, os chamados charlatões, enfim, tudo é demonstrado de maneira orgânica e crescente para nos preparar para a cereja do bolo. Contudo, no desencadear da trama, algumas ideias que eram pertinentes e interessantes se perdem e somos levados a um outro víeis o que não se relaciona com o primeiro ato e soa de maneira despretensiosa, dando espaço a ideias que não ficam coerente com as ideias iniciais do diretor, o que é uma pena. A sensação, no final das contas, é um gosto agridoce na boca de um prato que gostaríamos de ter conhecido mais seu tempero, pois tinha um grande potencial.

Reprodução: Searchlight Pictures – O Beco do Pesadelo

A abordagem de realizar a trama através de um thriller psicológico, apresentando elementos ligados ao sobrenatural precisava ser melhor estruturada, pois em determinado momento o plot twist do personagem principal pode cair por terra, não surpreendendo o público fiel.

No que diz respeito aos ponto altos da trama, valem destacar: a fotografia e a trilha sonora, que como em todos os filmes do diretor não deixam nada a desejar e alavancam a qualidade da cinegrafia proposta, a criação de um universo fantástico e o designer de produção que, com certeza, deverão ser aspectos técnicos a serem lembrados nas temporadas de premiações. E, é claro, o elenco de ponta, pois todos os personagens estão a altura do que foi  proposto pelo roteiro a cada ator: temos personagens complexos, com histórias que nos prendem e que gostaríamos de ver muito mais, valendo aqui salientar a espetacular entrega de Bradley Cooper (Carlisle), que mostra toda a sua potência em um personagem extremamente complexo e repleto de dubiedades. Não irá nos surpreender caso receba a indicação ao Oscar de Melhor Ator por esse papel.

Confira o trailer:

 

Por fim, Del Toro entrega uma obra com pouco mais de duas horas e meia em que, em determinados momentos, vemos sua identidade, mas no desenrolar da trama não nos encanta tanto quanto seus filmes antecessores. Mesmo assim, O Beco do Pesadelo é uma obra que vale a pena ser conferida!

Aguardando ansioso para a próxima história deste grande cineasta, pois ele é uma verdadeira caixinha de surpresa!

Grande abraço e até a próxima pessoal!

NOTA : 7,0

LUAN RIBEIRO


ArteCult – Cinema & Companhia

Siga nosso canal e nossos parceiros no Instagram para  ficar sempre ligado nas nossas críticas, últimas novidades sobre Cinema e Séries, participar de sorteios de convites e produtos, saber nossas promoções e muito mais!

@artecult , @cinemaecompanhia , @cabinesete ,
@cinestimado,  @cineelaw e @marimastrange

#VamosParaOCinemaJuntos

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Sou natural de Mata de São João, Bahia, mas atualmente moro na cidade do São Paulo. Sou formado em Engenharia, mas sempre tive uma verdadeira fixação pelo universo cinematográfico e sou o admin do @CinemaeCompanhia no Instagram. Assistir um filme é minha válvula de escape para mergulhar e me aventurar em mundos totalmente novos e me desligar dos problemas do dia-a-dia. Aproximadamente de duas a três vezes confiro as estreias da semana nas telonas, digamos que eu seja quase um “rato de cinema”. rs Será um enorme prazer compartilhar aqui minhas opiniões sobre os filmes e suas principais curiosidades. E uma ótima oportunidade para poder aprender e "trocar figurinhas" com todos vocês! Espero que se divirtam muito e curtam minhas dicas. Que a FORÇA esteja com vocês!!! Forte abraço! Luan Ribeiro. Instagram.com/CinemaeCompanhia e-mail: luancribeiro@hotmail.com

One comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *