JONGO: na bela arte de Paulo Hamasaki, uma visão de um mundo selvagem em terras tupiniquins

A Editora Livraria Criativo em co-edição com o selo editorial GRRR! lançaram Jongo 1972 de Paulo Hamasaki.

Trata-se de mais um “tarzanídeo” lançado em terras tupiniquins, com a bela arte de Hamasaki, em revista da editora Regiart, nos idos de 1972. Jongo vive em um mundo que mescla elementos pré-históricos com elementos das primeiras civilizações, como era comum nessas publicações dos anos 70.

É interessante perceber também os conceitos sobre o papel das mulheres nessas sociedades, inclusive na visão do protagonista. Essa edição lançada em preto e branco, formato 28,0 x 21,0 cm com capa cartonada é mais um importante resgate da memória das HQBs.

#superheroisnacionaisquemapoiafazhistoria

 

Adalberto Bernardino 

Foto: Divulgação.

 

 

 

 

 

 

@QuadriMundi

 

 

 

Author

Adalberto Bernardino é colecionador de história em quadrinhos, apaixonado pelo gênero de Super-heróis e em especial pela produção nacional. Colabora com a divulgação de material brasileiro por meio de resenhas é artigos, que expressam o seu prazer em consumir esse material. Colabora com sites e revistas eletrônicas. Recentemente criou o personagem Conector, em produção para sua estreia como roteirista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *