Itaú realiza sonho de compositora de 85 anos em minidocumentário para o Rock in Rio

Criada pela Africa, série “Eu busco as diferenças” conta em seu quarto episódio a história de dona Antonietta, que se encontrou por meio da música já na terceira idade.

Dona Antonietta sabe bem como a música pode transformar as pessoas. Ela se encontrou como 29compositora após os 70 anos, quando passou a transcrever seus sonhos e pensamentos em letras de música. Hoje, aos 85, já tem quase 300 composições – e sua história é contada no quarto episódio da série “Eu busco as diferenças”, lançada pelo Itaú Unibanco para mostrar o poder transformador da música em aquecimento para o Rock in Rio 2019.

“Eu sempre, sempre gostei de música. A família inteira gosta de música. Depois que eu operei a catarata e comecei a enxergar, comecei a escrever” conta ela, que é a protagonista do minidocumentário ‘Em Busca de Empatia’”, lançado no perfil do Itaú Unibanco no YouTube.

Criado pela agência Africa, o filme conta um pouco da trajetória de dona Antonietta, que aprendeu a escrever aos 75 anos para registrar suas letras. “Eu desabafo no papel. Não penso para escrever. Vem na minha cabeça e escrevo. Mas queria divulgar pois gostaria muito que algum cantor ou compositor pusesse melodia nas minhas letras. E que ela faça sucesso”, diz.

Mãe e avó, ela lembra que na infância se reunia com a família em volta do rádio para ouvir música. Ao final, o vídeo registra ainda uma agradável surpresa para a letrista – que teve uma de suas composições gravadas pela cantora Josyara.

“É visível como a música transformou a vida da dona Antonietta. Ao compartilhar sua história, queremos não apenas inspirar, mas também incentivar a união entre as pessoas, por mais diferentes que sejam em várias instâncias sociais ou culturais. O relato segue a mesma linha da campanha do banco para o Rock in Rio deste ano, que convida as pessoas a buscarem as diferenças”, diz Eduardo Tracanella, diretor de Marketing do Itaú Unibanco.

A série “Eu busco as diferenças” conta em três minidocumentários as histórias de pessoas que, usando a música, viram nas diferenças e adversidades uma forma de se encontrarem. A estreia ficou por conta de Tabatha Aquino, artista carioca que cantava em transportes e espaços públicos para se expressar e ganhou fama quando um vídeo seu viralizou na internet. O segundo minidoc trouxe a banda “Compulsão Sonora, composta por dois terapeutas e oito pacientes que fazem música para ajudar pessoas com distúrbios mentais. Já o terceiro conta a história da Banda Itaú, formada por 47 artistas que estão se apresentando por todos os dias de Rock in Rio na arena do Itaú Unibanco.

Faça abaixo um comentário sobre este artigo. PARTICIPE!

Comentários (utilize sua conta no Facebook):

Powered by Facebook Comments

Author

Daniela Fróes
Musicalmente eclética, apaixonada pela diversidade dos estilos, das festas e festivais, amante de uma boa música, principalmente das batidas eletrônicas. #Música #MúsicaEletrônica - Nunca se precisou de drogas para senti-la, a essência da batida, a sonoridade toca a alma de um jeito que não da pra ficar parado! "Quem não sente a melodia acha maluco quem dança"!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *